Esquema de fantasmas de Eduardo Braide foi denunciado pelo Fantástico em 2014
Política

Esquema de fantasmas de Eduardo Braide foi denunciado pelo Fantástico em 2014

Revelação foi feita na estreia do quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui?”. Documento mostra que candidato do PMN nomeou quadrilha no próprio gabinete

É gravemente caluniosa a afirmação do deputado estadual e candidato a prefeitura Eduardo Braide (PMN), de que ele passou a ser atacado por blogueiros bancados pelo deputado estadual Wellington do Curso (PP). A declaração foi feita no debate da TV Mirante, no último dia 30, ao ser questionado pelo progressista a respeito de suas emendas enviadas para o município de Anajatuba.

Advogado, filho da velha política e por isso de boa retórica, Braide saiu-se pela tangente ao estilo Collor de Mello ao fazer com que o eleitor entendesse que sua relação umbilical com a Organização Criminosa (Orcrim) que assaltou os cofres de quase 70 prefeituras são ataques criados agora no período eleitoral, e ainda convocou coletiva para avisar à imprensa que vai processar todos que o criticarem sem provas.

Documento exibido em reportagem do Fantástico em 2014 mostra que quadrilha era toda nomeada no gabinete de Eduardo Braide
Atual7 Os fantasmas de Braide Documento exibido em reportagem do Fantástico em 2014 mostra que quadrilha era toda nomeada no gabinete de Eduardo Braide

Contudo, conforme o ATUAL7 mostra agora, os primeiros processados deveriam ser, neste caso, o programa Fantástico, da Rede Globo, e a Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

O primeiro por expor para o Brasil e para o mundo como funcionava o esquema surripiador de verba publica. O segundo por publicar em seu Diário Eletrônico que a quadrilha de assaltantes - aí incluindo o seu próprio pai, o ex-deputado estadual e ex-presidente da AL-MA, Carlos Braide — era toda nomeada em seu gabinete parlamentar, e sequer precisava ir ao local de trabalho, ou seja, eram todos fantasmas.

Cadê o dinheiro que tava aqui?

Na estreia da saga do repórter Eduardo Faustini em sair por todo o Brasil para radiografar a corrupção com verba pública nas prefeituras, o Fantástico lançou, no dia 2 de novembro de 2014, o famoso quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui?”.

O alvo: a prefeitura de Anajatuba, onde quatro empresas de fachada foram contratadas e receberam juntas R$ 9 milhões, dinheiro todo desviado.

No documento exibido no programa, o mesmo publicado pelo ATUAL7 na última sexta-feira 30 (com edição na linha inicial, que mostra a data), aparece o nome de Eduardo Braide, em depoimento de um dos funcionários da empresa fantasma A4 Serviços e Entretenimento Ltda ao delegado de Polícia Federal Francisco Albuquerque Parente Júnior.

Braide é apontado no depoimento como chefe, no seu próprio gabinete parlamentar, dos integrantes da Orcrim, inclusive da esposa de Fabiano de Carvalho Bezerra e o próprio empresário, apontado pela PF e pelo Gaeco (Grupo de Combate ao Crime Organizado) como um dos chefões do esquema criminoso.

Trecho do Diário Eletrônico da AL-MA, que mostra que Fabiano Bezerra foi nomeado por Braide em seu próprio gabinete
AL-MA I$O Trecho do Diário Eletrônico da AL-MA, que mostra que Fabiano Bezerra foi nomeado por Braide em seu próprio gabinete

Eduardo Braide, que disputa a prefeitura de São Luís em segundo turno contra o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), sempre negou qualquer ligação com os integrantes da máfia e processou quase uma dezena de jornalistas e blogueiros que noticiaram o caso. Mas cópias do Diário Eletrônico da Assembleia Legislativa mostram que ele mentiu, e que o depoimento prestado na Superintendência da PF no Maranhão é completamente verdadeiro.

De acordo as investigações e cópias do Diário da AL-MA, Braide empregou no próprio gabinete: José Antônio Machado de Brito Filho, responsável pela montagem dos processos de fraudulentos que desviou verba pública das prefeituras; Matilde Sodré Coqueiro, operadora das empresas de fachada Vieira e Bezerra Ltda - ME, A.J.F. Júnior Batista Vieira - ME, A4 Serviços e Entretenimento Ltda e do instituto Escutec - Pesquisa de Mercado e de Opinião Pública Ltda; Natasha Alves Lesch, esposa de Fabiano Berra; e o próprio Fabiano Bezerra (veja ao lado e baixo o Diário).

Até mesmo o pai do candidato a prefeito de São Luís, o ex-deputado Carlos Braide, também ganhou um sinecura no gabinete do filho.

Além de configurar prática de nepotismo, Braide pai não somente tinha envolvimento com a quadrilha que assaltou cerca de R$ 60 milhões dos cofres de quase 70 prefeituras, mas era um dos cabeças, sendo apontado pela Polícia Federal e pelo Gaeco como agiota e braço empresarial e operacional de todo o esquema.



Comentários 7

  1. RICARDO

    Isso aí é só uma parcela de podres que Braide possui. Na cidade de Santa Luzia do Tide, a familia [...] dele e os grupos políticos aliados é quem comanda. A cidade vive na mizéria em meio a ostentação dos Braide. Deus nos livre desse cara na prefeitura de São Luís, será a maior desgraça que faremos para a nossa cidade.

  2. Pingback: Atual7

  3. Pingback: Atual7

  4. Pingback: Atual7

  5. Pingback: Atual7

  6. Pingback: Atual7

  7. Pingback: Atual7

Comente esta reportagem Cancelar Resposta