Simplício entra com queixa-crime contra Roberto Rocha sob acusação de injúria
Política

Simplício entra com queixa-crime contra Roberto Rocha sob acusação de injúria

Pedido de ação penal foi registrado no STF, com base em prints de WhatsApp. Rosa Weber remeteu o caso para um dos juizados especiais criminais de São Luís

O secretário estadual de Industria e Comércio, Simplício Araújo, registrou uma queixa-crime contra o senador Roberto Rocha (PSDB-MA), com base em prints de WhatsApp referentes a um bate-boca ocorrido entre eles, em setembro último.

No documento, ele pede que o senador responda pelo crime de injúria, com aumento da pena em um terço, devido ao meio utilizado facilitar a divulgação da ofensa. Em eventual condenação, Roberto Rocha pode pegar até seis meses de prisão e ter de pagar uma multa.

O pedido de ação penal foi registrado no STF (Supremo Tribunal Federal), no final de outubro, cerca de mês após o embate entre secretário estadual e o senador no aplicativo de troca mensagens. Em decisão do último dia 12, porém, a ministra Rosa Weber, relatora do caso, determinou a remessa dos autos a um dos juizados especiais criminais de São Luís. A PGR (Procuradoria-Geral da República), por meio do vice-procurador-geral da República José Bonifácio de Andrada, já manifestou ciência da decisão.

Ao remeter os autos para a Justiça estadual de 1º Grau, Rosa Weber esclareceu que as supostas ofensas não possuem relação com o mandato do senador, retirando do Supremo a competência para julgar a queixa-crime. “Pelo que se depreende dos ‘prints’ da conversa entre as partes no aplicativo WhatsApp, as ofensas irrogadas teriam ocorrido em decorrência de desentendimento pessoal desvinculado do desempenho da função parlamentar”, escreveu.

O bate-boca entre Roberto Rocha e Simplício Araújo teve início após o tucano, em um grupo de WhatsApp intitulado “ACIB - Articulação”, haver sustentado a tese —divulgada por ele próprio em entrevistas— de que o grupo Brasil Kirin havia desistido de instalar uma fábrica da Heineken no Maranhão devido aos altos impostos cobrados pelo governo Flávio Dino (PCdoB).

Simplício retrucou, e disse que o senador “torce contra o Maranhão e não gosta dos maranhenses, principalmente os mais pobres”.

Rocha, então, disparou insultos contra o auxiliar do comunista, tendo aumentado os impropérios após ser confrontado com seu fraco resultado nas urnas em 2018, quando disputou e perdeu a eleição para o Palácio dos Leões. Nos ataques, o senador dá a entender que Simplício Araújo teria se aproveitado da situação de um dos seus filhos, sob tratamento contra câncer à época da campanha eleitoral, para lhe atingir.

“Figura vagabunda, filho da puta, sacana, calhorda, escroto, vagabundo, moleque, babaca, imbecil e bajulador” foram as palavras apontadas por Simplício Araújo como ofensivas, segundo a queixa-crime.

Recentemente, no mesmo grupo de WhatsApp, Roberto Rocha voltou a usar algumas das mesmas palavras ofensivas.

Apesar de não ficar claro qual o interlocutor da conversa, pelo contexto, é provável que o senador estivesse novamente se referindo a Simplício Araújo. “Fala, pilantra!!! Fala, vagabundo!!! (...) Apresenta nova denúncia contra mim, seu escroque filho da puta”, instigou Roberto Rocha.



Comentários 1

  1. Martha

    Só maluco de ambas as partes!
    Petismo!
    Foi bom nos livrarmos do PT e do PCdoB…
    Claro que dilma tinha algum transtorno psíquico: basta ver a confusão mental e linguística que aprontava.
    Além disso o PT é desgraçado. E louco. O Petismo, lula, dilma, os petistas, Pilantrel de Belo Horizonte são tooodos desgraçados, sem excessão nenhuma.

Comente esta reportagem