Impostômetro
Maranhenses já pagaram mais de R$ 14,5 bilhões em impostos este ano
Economia

Montante foi calculado entre o dia 1° e esta segunda-feira 21, pelo Impostômetro

Somando todos os impostos federais, estaduais e municipais, os maranhenses já pagaram nas três primeiras semanas de 2019 mais de R$ 14,5 bilhões em tributos.

Os dados são do Impostômetro, rede automatizada que recebe em tempo real os dados de todo o Brasil e informa os valores em um painel instalado na fachada da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), localizada no Centro da capital paulista.

Segundo a ferramenta, a arrecadação neste período já é superior a registrada no ano passado, quando o maranhense pagou 13,9 bilhões. Em 2016, também neste mesmo período, o valor em tributos pagos foi de R$ 13,1 milhões, demonstrando a existência de uma elevação razoável na arrecadação com o passar dos anos.

O Impostômetro foi implantado em 2005 pela ACSP para conscientizar os brasileiros sobre a alta carga tributária e incentivá-los a cobrar os governos por serviços públicos de mais qualidade.

O valor já arrecadado no Maranhão em 2019, segundo a plataforma, corresponde a 0,81% do total levantado em todo o país, que já ultrapassou R$ 169,5 bilhões.

Maranhenses pagaram mais de R$ 4,3 bilhões em impostos neste ano
Maranhão

Valor representa 65,95% tributos federais, enquanto os estaduais equivalem a 28,47% e os municipais a 5,58%

O Impostômetro, mecanismo criado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) para medir o valor dos tributos [impostos, taxas e contribuições] pagos pelo cidadão brasileiros durante o ano, que chegou aos R$ 2 trilhões em todo o território nacional na quarta-feira 30, ultrapassou no Maranhão o valor de R$ 4,3 bilhões nesta quinta-feira 31, último dia do ano.

Com esse valor arrecadado pela União, Governo do Estado e municípios, daria para se fornecer mais de 30 milhões de bolsas famílias, contratar mais de 267 policiais ou mais de 322 mil de professores do ensino fundamental por ano, construir mais de 46 mil quilômetros de redes de esgoto ou construir mais de 12 mil casas populares de 40 metros quadrados, por exemplo.

Segundo a ACSP, os tributos federais representam 65,95% dos R$ 4,3 trilhões arrecadados este ano, enquanto os estaduais equivalem a 28,47% e os municipais, a 5,58%. Individualmente, o tributo de maior arrecadação é o ICMS (19,96% do total), seguido do INSS (19,18%), Imposto de Renda (15,62%) e Cofins (10,13%).

Nova metodologia

Neste ano, segundo a ACSP, houve uma alteração na metodologia aplicada no Impostômetro, em função de mudança na medição do Produto Interno Bruto (PIB) pelo IBGE.

Com isso, os valores exibidos pelo Impostômetro passaram a considerar novos dados de arrecadação de Imposto de Renda retido dos funcionários públicos estaduais e municipais e novas taxas e contribuições federais. Também foram incluídas arrecadações de municípios que não estavam sendo informadas à Secretaria do Tesouro Nacional.