Sara Winter
Militante bolsonarista Sara Winter é presa pela Polícia Federal em Brasília
Política

Ela é uma das líderes do movimento armado de extrema direita intitulado 300 do Brasil, que fez ataques ao STF

A militante bolsonarista Sara Fernanda Giromini, autodenominada Sara Winter, foi presa pela Polícia Federal, na manhã desta segunda-feira 15, em Brasília (DF). O mandado foi autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), a pedido do vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, no bojo do inquérito que apura a realização de atos antidemocráticos.

Ela é uma das líderes do movimento armado de extrema direita intitulado 300 do Brasil, que tem cerca de 20 integrantes, formado por apoiadores do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

No sábado 13, o grupo havia montado acampamento na Esplanada dos Ministérios, mas foi desmontado pela Polícia Militar. No mesmo dia, os integrantes tentaram invadir o Congresso Nacional, sem sucesso. À noite, fez um ato disparando fogos de artifício em direção ao STF.

Sara Winter é investigada no inquérito das fake news, sob suspeita de ameaça aos ministros do Supremo. Em maio, foi alvo de busca e apreensão. Como reação, publicou vídeo nas redes sociais afirmando ter vontade de “trocar socos” com Alexandre de Moraes e prometendo infernizar a vida do ministro e persegui-lo.