Flávio Dino vai torrar R$ 13,9 milhões com aluguel de helicóptero e bimotor
Política

Flávio Dino vai torrar R$ 13,9 milhões com aluguel de helicóptero e bimotor

De acordo com edital, comunista pretende pagar pouco mais de R$ 1,1 milhão por mês pelas aeronaves

Embora alegue que o Estado esteja com os cofres sucateados, Dino vai torrar mais de R$ 13,9 milhões com aluguel de aeronaves
CCLMA Revolução Burguesa Embora alegue que o Estado esteja com os cofres sucateados, Dino vai torrar mais de R$ 13,9 milhões com aluguel de aeronaves

O governador eleito do Maranhão, Flávio Dino, do PCdoB, pretende tirar pouco mais de R$ 13,9 milhões dos cofres públicos do estado para o custeio de um helicóptero e um avião bimotor para passeios, que serão locados pelo período de um ano.

O gasto é superior ao feito pela ex-governadora Roseana Sarney durante o ano de 2014, quando pagou pela mesma prestação de serviços apenas R$ 7.635.684,00.

De acordo com o Processo nº 80.698/2015, o pregão está marcado para acontecer já no próximo dia 17, quando serão recebidos e iniciada a abertura dos envelopes contendo a proposta comercial e documentos de habilitação.

Para justificar a locação milionária das aeronaves - R$ 807.273,00 por mês com o aluguel do helicóptero e mais R$ 355.800,00 por mês com o aluguel do bimotor -, o comunista alega que o "exercício de suas atividades envolvem uma agenda intensa e diversificada de compromissos", e ainda que, pela "extensão do estado com 217 municípios, torna-se necessária a contratação de meio de transporte imediato, ágil e seguro".

Além de Flávio Dino, o vice-governador do Maranhão, o tucano Carlos Brandão; o secretário de Articulação Política e Assuntos Federativos, Márcio Jerry Barroso; e outros "representantes máximos do Poder Executivo" também poderão utilizar as aeronaves pagas com dinheiro público para se deslocarem por todo o Maranhão e outros estados do país.

Embora o governo anterior tenha adquirido um super helicóptero EC-145, por R$ 15 milhões, para ser utilizado nas missões do Grupo Tático Aéreo (GTA) no intuito de reforçar as operações da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão no combate à criminalidade, o comunista também alega no edital que o dispêndio com as aeronaves servirão para a "participação efetiva da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Defesa Civil".