Política
Adriano inova e lança projeto de emendas participativas
Política

Além de interatividade, ação garante participação popular na busca por solução para problemas enfrentados pelos maranhenses

O líder da oposição ao governo de Flávio Dino (PCdoB) na Assembleia Legislativa do Maranhão, Adriano Sarney (PV), divulgou que abrirá um processo de participação popular para a destinação dos R$ 4 milhões a que tem direito no orçamento Estado por meio de emenda parlamentar.

Batizado de “Emendas Participativas”, o projeto visa destinar, por meio de sugestões da população maranhense, benefícios a áreas prioritárias como saúde, educação, cultura, infraestrutura etc.

Com isso, além de interatividade, a proposta garante ainda participação popular e ativa colaboração com a solução dos problemas enfrentados pelos maranhenses.

“É uma inovação no modo de fazer política que permitirá o cidadão escolher onde e como serão investidas as emendas parlamentares. O dinheiro é público e a decisão é do povo!”, destacou Adriano.

Flávio Dino volta a anunciar exoneração de Karen Barros do Procon
Política

Segundo o governador, autarquia será presidida pela advogada Adaltina Queiroga. Em maio, ele havia anunciado que seria o advogado Carlos Sérgio

Três meses após anunciar a exoneração da advogada Karen Barros da presidência do Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor (Procon) do Maranhão, o governador Flávio Dino (PCdoB) voltou a divulgar que ela será substituída no comando da autarquia.

Segundo o novo anúncio, assume agora a também advogada e atual adjunta da Casa Civil, Adaltina Queiroga. A substituição está prevista para ocorrer na próxima semana.

Anteriormente, em maio, o nome indicado pelo comunista para o Procon-MA era o do advogado Carlos Sérgio.

Apesar da queda, Karen Barros não ficará com as mãos abanando. No mesmo anúncio, Flávio Dino informou que ela agora será adjunta da Seduc (Secretaria de Estado da Educação).

Juntamente com o ex-presidente do Procon maranhense, Duarte Júnior, hoje deputado estadual pelo PCdoB, Karen Barros é ré numa ação na Justiça Eleitoral por abuso de poder político e econômico. Se condenada, ela deve ficar fora da vida pública por até oito anos.

Empresa de filhos de Luis Fernando fecha contrato com o governo Dino
Política

LF Consultoria e Serviços tinha como sócio o próprio secretário de Programas Estratégicos da gestão comunista

A LF Consultoria e Serviços Ltda, que tem entre os sócios o casal de filhos do secretário de Programas Estratégicos do Maranhão, Luis Fernando Moura da Silva, caminha para se consagrar como um case empresarial de sucesso especialista em ministração de curso de orçamento público. Pelo menos para o poder público aliado.

No final do mês passado, além de ser contratada pela Prefeitura de São José de Ribamar, onde Luis Fernando Silva até o março deste ano era o chefe do Executivo, a empresa fechou um contrato com o governo de Flávio Dino (PCdoB), por meio da SES (Secretaria de Estado da Saúde), ao valor de R$ 13.265,00.

Com capital social de R$ 500 mil e endereço cadastral no bairro do Jardim Renascença, em São Luís, a LF Consultoria e Serviços possui cinco sócios. Dois são o médico Luis Fernando Silva Júnior e a dentista Fernanda Gasparinho Moura da Silva, filhos do ex-gestor ribamarense.

Os demais membros do quadro societário são Fernanda Souza de Alencar, Maria Letícia Vale Figueiredo e Carlos Vinícius Lauande Franco, genro de Eudes Sampaio (PTB), eleito vice de São José de Ribamar e empossado prefeito após a renúncia de Luis Fernando Silva do cargo para tentar reconstruir a vida pública na gestão comunista.

O próprio Luis Fernando Silva, inclusive, até dois meses antes da SES abrir o procedimento de contratação da LF para ministração de um curso sobre planejamento, execução e controle, constava entre os cotistas da empresa.

Como ocorreu em São José de Ribamar, a contratação da LF Consultoria e Serviços pela SES também foi feita por inexibilidade de licitação.

Esse tipo de contratação direta, segundo a Lei de Licitações e Contratos, é permitida quando há impossibilidade de competição, isto é, devido a exclusividade do objeto a ser contratado ou pela falta de concorrentes no tipo de serviço.

Outro lado

Procuradores pelo ATUAL7 para se posicionarem sobre a celebração do contrato, até o momento, o Governo do Maranhão e nem a LF Consultoria e Serviços retornaram o contato.

O espaço segue aberto para manifestação.

Sob iminência de perda do cargo e prisão, Juscelino Oliveira renuncia mandato
Política

Oficialmente, prefeito de Açailândia alega problemas de saúde. Vice, Aluísio Sousa já foi empossado pela Câmara

Dois anos e oito meses após ser reeleito para o cargo, o prefeito de Açailândia, Juscelino Oliveira (PCdoB), renunciou ao mandato, na noite dessa quinta-feira 22. Também ontem, o vice, Aluísio Silva Sousa (SD), foi imediatamente empossado prefeito pela Câmara de Vereadores.

Oficialmente, em carta-renúncia ao presidente do Poder Legislativo de Açailândia, Josibeliano Chagas Farias, o Ceará (Avante), o comunista alegou que a decisão foi tomada devido à problemas de saúde. No bastidor, segundo apurou o ATUAL7, porém, o principal motivo teria sido outro.

Alçado ao comando do município em julho de 2015, após a cassação da então prefeita Gleide Lima Santos (MDB) por corrupção, Juscelino Oliveira acumula em seu prontuário político quase 10 processos cíveis e criminais pelos mesmos motivos que derrubaram a sua antecessora.

Em todos, o Ministério Público do Maranhão pede que ele seja condenado à perda do cargo e devolução de dinheiro desviado ao erário. O mais recente, feito nesta semana pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas), o pedido é de prisão preventiva.

O processo tramita sob sigilo no Tribunal de Justiça, em razão do – até então – foro privilegiado de Juscelino Oliveira. Com a perda do privilégio, devido à renúncia do cargo de prefeito, atendendo eventual manifestação do MP-MA, passará a ser processado em primeira instância.

Em tese, por a investigação apontar o envolvimento de mais de 100 outras pessoas, inclusive secretários municipais e vereadores de Açailândia, deve passar a tramitar na 1ª Vara Criminal de São Luís, do juiz Ronaldo Maciel, privativa para processamento e julgamento de crimes cometidos por organizações criminosas.

Até que isso ocorra, somado ao fato de Juscelino Oliveira não estar mais no cargo e, segundo alega, doente, a possibilidade do magistrado atender o pedido do Gaeco e expedir o mandato de prisão preventiva de Juscelino Oliveira pode ser menor. Pode.

Bolsonaro manda exonerar Mauro da Hidraele, indicado de Josimar, do Incra
Política

Empresário e fazendeiro, ele foi emplacado na superintendência regional da autarquia no mês passado

O presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) mandou exonerar o empresário e fazendeiro Mauro Rogério Maranhão Pinto, o Mauro da Hidraele, do comando da Superintendência Regional do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

O ofício determinando a exoneração foi encaminhado ao Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), pasta a qual o Incra é subordinada, nessa quinta-feira 22.

A exoneração, contudo, ainda não foi publicada no DOU (Diário Oficial da União).

Por indicação do deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL-MA), Mauro da Hidraele foi emplacado no cargo no último dia 6, em evento prestigiado pelo também deputado federal Júnior Lourenço (PL-MA) e pelo senador Roberto Rocha (PSDB-MA).

Chico Carvalho desmente ato de pré-candidatura de Monteiro como do PSL
Política

Integrante do governo Jair Bolsonaro divulgou que oficializará entrada na disputa pela Prefeitura de São Luís nesta sexta 23

O vereador Chico Carvalho, presidente estadual do PSL, do presidente Jair Bolsonaro, emitiu nota desmentindo a informação de que o ato de lançamento da pré-candidatura do Coronel Monteiro à Prefeitura de São Luís, marcado para acontecer nesta sexta-feira 23, se trata de um ato do partido.

No comunicado, para evitar crises com Bolsonaro, de quem Monteiro é próximo, Carvalho reconhece o superintendente de Patrimônio da União no Maranhão como um dos nomes que tenta se viabilizar pela legenda, mas destaca que a discussão sobre as eleições de 2020 ainda não foi iniciada internamente.

Curiosamente, na nota, além do Coronel Monteiro, Chico Carvalho ressalta apenas o nome do apóstolo Silvio Antônio como outro postulante a prefeito da capital pelo PSL, deixando de citar o recém filiado Tadeu Palácio e o diretor do Departamento de Articulação Interfederativa da Secretaria-Executiva do Ministério da Saúde, Allan Garcês, também possíveis pré-candidatos.

Abaixo, a íntegra do comunicado:

Nota oficial

O PSL do Maranhão ainda não iniciou o debate interno sobre as eleições municipais de 2020. Conforme calendário da Direção Nacional, acabamos de fazer uma campanha de filiação com vistas para o pleito do ano que vem e assim aumentar a bancada de vereadores e o número de prefeitos em todo o Brasil.

Em São Luís, temos nomes do partido que se colocaram à disposição do PSL para disputar a Prefeitura da capital a exemplo do apóstolo Silvio Antônio e o coronel Monteiro, que nesta sexta-feira, 23, vai fazer ato simbólico colocando seu nome à disposição do partido.

Diante disto, a Direção Estadual do PSL no Maranhão reafirma que não há pré-candidatura do partido definida em São Luís. As discussões ainda serão feitas e somente após o debate interno é que o nome será anunciado.

Sobre a proposta do PSL para a Prefeitura de São Luís, por resolução, a direção Estadual já criou uma comissão que vai apresentar o programa que será avaliado e julgado pela população ludovicense em 2020.

Chico Carvalho
Presidente Estadual do PSL

PSL, de Bolsonaro, lança Coronel Monteiro pré-candidato à Prefeitura de São Luís
Política

Escolha será oficializada nesta sexta-feira 23, no Hotel Luzeiros

O PSL (Partido Social Liberal), do presidente Jair Bolsonaro, definiu que o Coronel Monteiro concorrerá à Prefeitura de São Luís no pleito de 2020. A informação foi divulgada pela assessoria de Monteiro.

A pré-candidatura será oficializada nesta sexta-feira 23, em coletiva a partir das 16, no Hotel Luzeiros, na Ponta do Farol, na capital.

No evento, Monteiro, que no governo Bolsonaro é superintendente de Coordenação e Governança do Patrimônio da União no Maranhão, pretende apresentar a plataforma de propostas do PSL para São Luís.

Desde 2013, a capital está sob gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

O pedetista é apadrinhado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), um dos principais desafetos de Jair Bolsonaro e postulante à Presidência da República em 2022.

Desembargador nega recurso e mantém perda do cargo de Zé Gomes
Política

Ministério Público diz que ele praticou improbidade num esquema de locação de veículos. Por decisão da Justiça, tomou posse no cargo de prefeito de Buriticupu o vice Grande

O desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão, Jaime Ferreira de Araújo, negou recurso apresentado pela defesa do prefeito de Buriticupu, José Gomes Rodrigues, o Zé Gomes (PRB), contra decisão do juiz Raphael Leite Guedes, titular da 1ª Vara da Comarca do município, que determinou a perda do cargo e a suspensão dos direitos políticos do gestor, pelo período de oito anos.

Proferida nessa quarta-feira 21, a decisão mantém no comando da prefeitura o vice-prefeito do município, Ivanildo Santos dos Santos, o Grande (PDT). Na semana passada, ele foi empossado no cargo de prefeito pela Câmara de Vereadores de Buriticupu, por determinação da Justiça.

Zé Gomes foi condenado por prática de ato de improbidade administrativa. Como, segundo o magistrado da primeira instância, não apresentou defesa em tempo hábil, a sentença transitou em julgado. Ele, também, está proibido de operar qualquer movimentação nas contas da prefeitura de Buriticupu.

A perda do cargo se deu por, segundo o Ministério Público, irregularidades em licitações para contratação de empresa para prestação de serviços de locação de veículos para diversas secretarias da gestão municipal.

A empresa F. Z. Construções e Serviços Eireli-ME, e seu proprietário Francisco Zerbini Dourado Gomes, envolvidos no esquema, também foram condenados no mesmo processo.

MP Eleitoral quer oitiva de Márcio Jerry em ação sobre cassação de Duarte Júnior
Política

Testemunha afirmou em depoimento que a Secap, então comandada pelo hoje deputado federal, participava da análise dos conteúdos divulgados pelo Procon-MA

A oitiva do deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) pode esclarecer os fatos apurados pelo MPE (Ministério Público Eleitoral) no Maranhão no âmbito da Aije (Ação de Investigação Judicial Eleitoral) que pede a cassação do diploma e a inelegibilidade do deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB), por abuso de poder político e de autoridade.

É o que aponta manifestação do procurador-regional eleitoral Pedro Henrique Oliveira Castro Branco, da semana passada, ao relator do caso no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Maranhão, desembargador Tyrone Silva.

Segundo apurou o ATUAL7, a oitiva de Márcio Jerry foi solicitada após menção ao comunista pela jornalista e ex-funcionária do Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor (Procon) do Maranhão, Aline Alencar Nunes, em depoimento no bojo do processo. Ela foi arrolada como testemunha pelo próprio Duarte Júnior.

Em seu depoimento, aponta o MPE, ela revelou a participação da Secap (Secretaria de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos) na análise das matérias divulgadas pelo Procon do Maranhão que, segundo o Parquet Eleitoral, continham a “exposição massiva da imagem” do hoje deputado estadual pelo PCdoB.

À época da suposta malandragem eleitoral, quem comandava a Secap era Jerry.

Outras duas pessoas, funcionárias do Procon-MA durante a gestão de Duarte Júnior na autarquia, também deverão ser ouvidas por terem sido citadas no mesmo depoimento.

“Assim, a oitiva das pessoas referidas, em especial do então Secretário Estadual de Comunicação, MÁRCIO JERRY SARAIVA BARROSO, atualmente Deputado Federal, mostra-se útil para o esclarecimentos dos fatos”, diz o Castelo Branco.

Além de Duarte Júnior, também é ré no processo, com pedido de inelegibilidade, a atual presidente do Procon-MA, Karen Barros, namorada do comunista. O MP Eleitoral diz que ambos lançaram mão de uma “estratégia ilícita” para obter dividendos eleitorais à custa da publicidade institucional da autarquia.

Aprovada em primeiro turno PEC que cria fundo estadual de proteção aos animais
Política

Proposta de autoria de César Pires teve o voto favorável de todos os 30 deputados presentes à sessão desta quarta 21. Votação em segundo turno deve acontecer na próxima semana

A Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou em primeiro turno, nesta quarta-feira 21, PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que cria o fundo estadual de proteção aos animais.

De autoria do deputado César Pires (PV), a matéria teve o voto favorável de todos os 30 deputados presentes à sessão, e deverá ser votada em segundo turno na próxima semana.

“Agradeço o apoio de todos os meus pares, que superaram as divergências políticas e partidárias para abraçar essa causa extremamente relevante e oportuna que é de toda a sociedade”, declarou César Pires ao final da votação.

Pelo texto, a criação do fundo visa garantir maior eficácia às ações que atualmente são desenvolvidas com muitas dificuldades financeiras, por órgãos públicos e por organizações não-governamentais.

Os recursos, ainda segundo a proposta, serão exclusivamente aplicados em ações destinadas à assistência e fomento às políticas públicas de proteção aos animais no estado do Maranhão.

Núbia entra com pedido de interdição judicial de Domingos Dutra
Política

Prefeito de Paço do Lumiar está afastado do cargo após sofrer um AVC. Vice foi empossada no comando interino do município desde o início de agosto

A ex-super secretária de Planejamento e Articulação Governamental de Paço do Lumiar, Neusilene Núbia Feitosa Dutra, tenta a interdição judicial do marido e ex-prefeito do município, Domingos Dutra (PCdoB), que segue internado um quase um mês num hospital particular da capital após sofrer um AVC (Acidade Vascular Cerebral).

O pedido de curatela foi feito na última segunda-feira 19, e tramita na 2ª Promotoria de Paço do Lumiar. Caberá à promotora Raquel Pires de Castro se manifestar sobre a solicitação, e à Justiça estadual decidir sobre a questão.

Se concedida a curatela, já que ao curador cabe ter reconhecida idoneidade, a depende dos limites eventualmente estabelecidos pelo juízo, Núbia Dutra poderá ter poderes sobre questões de natureza patrimonial e negocial do marido, incluídos aí os pactos antenupciais e o regime de bens.

Por conta da falta de comando no município, ocasionada pelo problema de saúde sofrido por Domingos Dutra, no último dia 1ª, a Câmara de Vereadores deu posse à vice-prefeita Maria Paula Azevedo Desterro (SD), a Paula da Pindoba, no cargo de prefeita de Paço do Lumiar.

Comissão de Segurança na Câmara vai ouvir Luiz Gonzaga sobre caso de espionagem
Política

Tiago Bardal e Ney Anderson serão ouvidos novamente sobre acusações contra Jefferson Portela

A Comissão de Segurança e Combate ao Crime Organizado na Câmara dos Deputados virá ao Maranhão, em data ainda a ser marcada, para ouvir o chefe da PGJ (Procuradoria-Geral de Justiça), Luiz Gonzaga Martins Coelho, a respeito do caso de espionagem no estado.

Solicitado pelo deputado federal Aluísio Mendes (Pode-MA), o requerimento foi aprovado pelo colegiado nessa terça-feira 20. O objetivo é saber de Gonzaga a respeito de uma notícia de fato que tramita sob sigilo no âmbito da Assessoria Especial de Investigação da PGJ.

Os ex-chefes da Seic (Superintendência Estadual de Investigações Criminais) e do DCCO (Departamento de Combate ao Crime Organizado), da Polícia Civil maranhense, respectivamente, Tiago Mattos Bardal e Ney Anderson Silva, que já prestaram depoimento à comissão em Brasília (DF), serão novamente ouvidos.

Eles acusam o secretário de Segurança Pública, delegado Jefferson Portela, de haver determinado o monitoramento e a implantação de escutas ilegais contra diversas autoridades no Maranhão, inclusive de desembargadores do Tribunal de Justiça, além de dar blindagem a pessoas próximas ao governo de Flávio Dino (PCdoB) envolvidos na máfia da agiotagem.

Portela, desde o início do escândalo, nega as acusações. Ele processa Tiago Bardal e Ney Anderson, e três profissionais de imprensa, pela divulgação das acusações.

César Pires defende nome de coalizão para disputa pela prefeitura de Codó
Política

Grupo pretende lançar o petista Zé Francisco em 2020

As eleições municipais do próximo ano foram colocadas em pauta durante almoço que reuniu o deputado César Pires (PV), o pré-candidato a prefeito de Codó, Zé Francisco (PT), e outros líderes políticos daquela cidade: o vereador de oposição Domingos Reis, o líder comunitário do povoado KM 17, Roberto Reis, e o líder evangélico e pré-candidato a vereador Gracinaldo.

O grupo pretende lançar um candidato com chances reais de vitória na disputa pela Prefeitura de Codó, em 2020.

O almoço foi mais um encontro articulado por César Pires para avaliar o quadro político-eleitoral de Codó e discutir uma pré-candidatura que possa representar a oposição com chances reais de vitória nas eleições de 2020. Nesse sentido, ele participou de outra reunião com Ribamar Oliveira, outra liderança política codoense.

“O que defendemos é uma coalizão de forças em torno de um nome que possa, de fato, representar os nossos anseios de mudança que traga desenvolvimento e melhores de condições de vida para os codoenses”, enfatizou o deputado.

Para o parlamentar, o pré-candidato do PT reúne as condições para representar a oposição na disputa pela Prefeitura de Codó. “Zé Francisco é um médico respeitado em nossa cidade, que tem a preferência de grande parte dos codoenses e acreditamos que ele está preparado para administrar Codó, fazendo as mudanças que o município tanto necessita”, finalizou César Pires.

Froz Sobrinho suspende inquérito contra empresa que vendeu terreno do Cajueiro para WPR
Política

BC3 Multimodal Ltda e seus proprietários chegaram a ser alvo de busca e apreensão do Gaeco. Também tiveram sigilos bancário e fiscal quebrados com outros investigados, dentre eles Fernando e Maluda Fialho

O desembargador José de Ribamar Froz Sobrinho, do Tribunal de Justiça do Maranhão, suspendeu um inquérito policial que investiga a empresa BC3 Hub Multimodal Industrial Ltda (antiga BR Presal Porto e Serviços Ltda), bem como seus sócios-proprietários, Helcimar Araújo Belém Filho e Carlos Cesar Cunha, por suposta ilegalidade na aquisição de terras nos bairros Cajueiro e Andirobal.

A decisão foi tomada há pouco mais de uma semana, durante o plantão judicial, atendendo pedido em habeas corpus apresentado pela defesa de Helcimar Filho, de que ele estaria sofrendo constrangimento ilegal.

Em abril deste ano, todos foram alvo de operação deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas) e pela 44ª Promotoria de Justiça Especializada em Conflitos Agrários, por suposta integração em organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção.

Os mandados foram expedidos pelo 1ª Vara Criminal de São Luís, privativa para processamento e julgamento dos crimes de organização criminosa, e também miraram as empresas BCP Soluções, Meta Participações Ltda, Italobrasileira de Cimento Ltda e Tecnologia Ltda e Llonch Empreendimento Industrial 1 Ltda; além de Maria da Gloria Mendes Coles, Rachel Cubits Belém e Fernando José Oliveira Duailibe Mendonça.

Constam ainda como representados o ex-secretário de secretário de Desenvolvimento Social do Maranhão, Fernando Antonio Brito Fialho, e a mulher deste, Maria de Lourdes Maluda Cavalcanti Fialho, atual titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam) de São Luís.

A WPR São Luís Gestão de Portos e Terminais Ltda, agora TUP Porto São Luís, também consta entre os alvos do inquérito policial suspendido por Froz Sobrinho.

Houve ainda quebra de sigilos bancário e fiscal dos investigados.

Instaurada em setembro de 2016 pela Decradi/Deca (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância e Conflitos Agrários), a investigação visava a apuração da venda de uma área do Cajueiro pela BC3 para WPR. Em 2014, a WTorre, da qual a WPR é braço de engenharia, doou um cheque de R$ 252 mil para o PCdoB, que repassou o recurso indiretamente – conforme previsto pela legislação eleitoral – para a campanha de Flávio Dino (PCdoB) ao Palácio dos Leões em 2014.

No terreno vendido pela BC3, um dia após a decisão de Sobrinho, foi cumprida uma ordem de reintegração de posse em favor da WPR, sob uso de força bruta da Polícia Militar – novamente utilizada em frente a sede do Governo do Maranhão, para reprimir moradores e manifestantes do Cajueiro –, com despejo e demolição de casas de dezenas de famílias que, com base em documentos oficiais, com fé pública, reivindicam a propriedade do local.

Dois juízes federais podem deixar magistratura para disputar prefeitura de São Luís
Política

Roberto Veloso é cotado pelo PSL e PSDB; Carlos Madeira pelo PP

Pelo menos dois juízes federais da Seção Judiciária do Maranhão no TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região podem deixar a magistratura para se filiar a partidos políticos e entrarem na disputa pela prefeitura de São Luís, nas eleições de 2020. São eles: Roberto Veloso e Carlos Madeira.

Por lei, para concorrerem, eles precisam deixar o cargo definitivamente até junho do próximo ano. Ambos, porém, segundo apurou o ATUAL7, devem se aposentar ainda em 2019.

Titular da 1ª Vara Criminal, Veloso é cotado para a corrida pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, mas pode sair pelo PSDB, do senador Roberto Rocha.

Já Madeira, titular da 5ª Vara Cível, é cotado pelo PP, comandado no estado pelo deputado federal André Fufuca.

Se confirmados, além de defenderem uma gestão enxuta e eficiente, ambos devem centrar suas campanhas no combate à corrupção, principalmente sobre desvios de recursos da saúde, educação e infraestrutura, tema difícil para a maioria dos postulantes a prefeitura da capital aliados de Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e do governador Flávio Dino (PCdoB).

Lula defende frente ampla e cita Dino entre presidenciáveis da esquerda para 2022
Política

Em abril, ex-presidente já havia apontado o comunista como “figura importante no Brasil”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu, em mais uma entrevista concedida da carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, a construção de uma frente ampla liderada pelos partidos de esquerda para disputar as eleições presidenciais de 2022 contra o atual mandatário da República, Jair Bolsonaro (PSL).

Na entrevista, concedida ao jornalista Bob Fernandes, exibida na noite desta sexta-feira 16, no canal dele no Youtube e na TVE Bahia, o petista citou o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), como uma das lideranças do campo progressista credenciadas para disputar a sucessão presidencial. “Tem o nosso companheiro Flávio Dino”, afirmou.

O ex-presidente disse também que o PT têm bons quadros para a disputa, citando como exemplo o candidato derrotado ao Planalto em 2018, Fernando Haddad; a deputada federal Gleisi Hoffmann, o ex-ministro da Justiça Tarso Genro; e os governadores Camilo Santana (CE), Rui Costa (BA) e Wellington Dias (PI). Ele citou ainda Ciro Gomes (PDT), embora com duras críticas à postura do pedetista.

É a segunda vez que Lula faz referência a Flávio Dino em relação a próxima disputa presidencial.

No mês de abril, em entrevista da carceragem da PF aos jornais Folha de S.Paulo e El País, ao ser perguntado sobre os nomes mais importantes para liderar o campo progressista no país, o ex-presidente citou o governador do Maranhão. “Você tem o Flávio Dino que é uma figura importante no Brasil”.

Bolsonaro manda investigar contrato de R$ 6 milhões da gestão Dino na Embratur
Política

Segundo o presidente, recursos foram gastos com o “Brazil Quest”, game mobile desenvolvido para promover no exterior as cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou, nessa quinta-feira 15, durante live semanal no Facebook, que mandou investigar um contrato que custou R$ 6 milhões aos cofres da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) para a criação e promoção do “Brazil Quest”, um game mobile desenvolvido para promover no exterior as cidades-sedes da Copa do Mundo de Futebol de 2014, realizada no Brasil. O jogo foi lançado durante evento na Times Square, em Nova York.

Bolsonaro não chegou a citar o nome de Flávio Dino (PCdoB), mas deixou claro que se referia ao comunista ao dizer que o contrato foi fechado em 2012, e que o presidente da Embratur à época “está na política ainda”.

“Estamos investigando, tinha um presidente da Embratur na época, não vou falar o nome dele aqui. Pelo que parece, ele está na política ainda. Vamos investigar isso aqui e qualquer irregularidade nós vamos acionar quem de direito para cobrar os prejuízos causados aos nosso cofres públicos”, declarou.

Atual governador do Maranhão e um dos principais opositores do presidente da República, Dino comandou a Embratur de junho de 2011 a março de 2014, quando deixou a autarquia para disputar novamente o Palácio dos Leões, desta vez, sendo eleito.