Eliziane Gama
Para Eliziane, Temer fechará 2018 sem aprovar Reforma da Previdência
Política

Palácio do Planalto tem apenas duas semanas para se articular e votar a PEC que trata do tema

A deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA) declarou, nesta quarta-feira feira 6, que não vê “clima” favorável para se aprovar a reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. O comentário ocorre horas após o presidente da República, Michel Temer, dizer que o texto do governo só será votado após o Palácio do Planalto ter a garantia de votos suficientes para aprová-lo.

Para a parlamentar do PPS, o governo corre o sério risco de ver 2018 chegar sem votar a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que trata do tema.

“É provável que a reforma não seja votada tão cedo. Acho mais produtivo o presidente da República ajudar na montagem da árvore de Natal do Jaburu. Pelo clima no Congresso, esta situação vai demorar muito. Acho que é melhor cuidarem da Ceia de Natal, porque Reforma da Previdência, acho complicado votarem, muito menos aprovar”, ironizou a deputada.

Para Eliziane, há um “certo embaraço” de auxiliares do governo em conduzir as negociações. E boa parte do Congresso Nacional não concorda com o teor do atual texto para alterar as regras previdenciárias.

“Se atravessar a rua, o presidente e sua equipe virão que na Câmara não há o mínimo otimismo em relação à aprovação de uma matéria que é rejeitada pelo conjunto da população brasileira”, acrescentou a deputada do PPS.

O governo tem apenas duas semanas para se articular e votar a PEC, sob o risco de virar o ano sem aprovar o projeto.

Vox Populi coloca Eliziane na disputa pelo Palácio e Senado
Política

Segundo instituto, se entrar na corrida pelo governo, parlamentar ficará na lanterninha. Para o Senado, ela empata com Lobão e Zé Reinaldo

O Instituto Vox Populi, de Minas Gerais, realizou uma pesquisa de intenção de votos no Maranhão em que coloca a deputada federal Eliziane Gama (PPS) como pré-candidata em pelo menos duas disputas distintas na majoritária: ao Palácio dos Leões e ao Senado Federal, agora em 2018.

O resultado foi divulgado na tarde desta nesta segunda-feira 4. Apesar do destaque dado a parlamentar, pelos números, se concorrer ao governo ela perde. E perde feio. Já se tentar a Câmara Alta, disputará a segunda vaga de forma acirrada com o já senador Edison Lobão (PMDB) e o colega de bancada na Câmara, José Reinaldo Tavares (PSB).

Na corrida pelo Palácio dos Leões, Gama pontuou míseros 1% da intenção de votos, ficando na lanterninha. Antes dela, pela ordem de intenção de votos, aparecem Flávio Dino (PCdoB), com 37%; Roseana Sarney (PMDB), com 35%; Eduardo Braide (PMN), com 7%; Roberto Rocha (PSDB), com 5%, Maura Jorge (Pode), com 3%; e Ricardo Murad (PRP), com 2%.

Ninguém, branco e nulo marcou 9%, e não sabe ou não responderam 2%.

Já na disputa para o Senado, segundo o Vox Populi, Eliziane ainda tem chances de ser eleita.

De acordo com os números, se as eleições fosse hoje, a primeira vaga a que o Maranhão tem direito no Senado da República seria ocupada com tranquilidade pelo ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (28%). Para a segunda vaga, ainda segundo a pesquisa, como a margem de erro da consulta é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, deu empate técnico, com Eliziane Gama e Edison Lobão marcando 24% e Zé Reinaldo 22%.

Waldir Maranhão (PTdoB), pontuou 18%; Weverton Rocha (PDT), 16%; e Márcio Jardim (PT), 9%.

Ninguém, branco ou nulo correspondem a 25% e 11% não sabem ou não responderam.

Márcio Jerry revela desconfiança em relação a Waldir, Eliziane e Zé Reinaldo
Política

Secretário acabou atingindo consórcio de pré-candidatos ao tentar mirar em Roberto Rocha. Senador é tratado como traidor por não ser subserviente a Flávio Dino

O secretário estadual de Comunicação Social e Assuntos Políticos, Márcio Jerry Barroso, revelou ter total desconfiança em relação a pelo menos três pré-candidatos ao Senado Federal pelo Palácio dos Leões em 2018: Waldir Maranhão (PTdoB), Eliziane Gama (PPS) e José Reinaldo Tavares (PSB).

Em postagem no Twitter, possivelmente mirando no senador Roberto Rocha (PSDB), que é forte pré-candidato ao governo no pleito do próximo ano, Jerry acabou atingindo ao trio anilhado, deixando-o em total saia justa. “Ano que vem vamos também acertar na eleição de senadores. Uma pena nosso estado estar hoje com péssima representação no Senado da República”, comentou.

Apesar do consórcio palaciano de pré-candidatos ao Senado ter quatro integrantes, a demonstração de desconfiança em forma de cautela atinge apenas três nomes, em razão de Weverton Rocha (PDT) já ter sido oficialmente ungido a uma das vagas da chapa, pelo próprio Jerry, em possível troca da primeira suplência para Lene Rodrigues, que preenche todos os requisitos por estar lotada como chefe de Gabinete do governador Flávio Dino (PCdoB), ser comunista e mulher do próprio secretário.

Com apenas uma vaga sobrando, a declaração de Márcio Jerry coloca os três esperançosos no mesmo balaio de gato, e já esclarece que, quando o outro nome for escolhido, os dois restantes serão defenestrados da chapa majoritária por não serem bem vistos pelo governo.

Essa falta de confiança, cabe ressaltar, pode ser lida como não subserviência doentia ao governador Flávio Dino. Por esta razão, o deputado federal Zé Reinaldo, que não segue as diretrizes do governador em Brasília, é um dos principais atingidos pela declaração de Jerry, já podendo, inclusive, ser considerado abatido, se não mudar e passar a ser totalmente obediente.

Não havendo mudanças, restará na disputa apenas Eliziane Gama e Waldir Maranhão. Levará a segunda vaga ao Senado na chapa governista quem se submeter e bajular mais.

Projeto de Eliziane reserva uma das vagas de candidatura ao Senado para mulheres
Política

Deputada também sugeriu à Comissão da Reforma Política na Câmara a participação feminina na composição das chapas de candidatos ao Executivo

A deputada federal Eliziane Gama (PPS) é autora de um projeto de lei que pode garantir a ela própria o benefício de ter a candidatura ao Senado, em 2018, obrigatoriamente engolida pelo Palácio dos Leões, de onde tenta fazer parte.

Desde abril deste ano, tramita na Casa proposta apresentada pela maranhense que acrescenta o artigo 83-A ao Código Eleitoral, para quando da renovação do Senado Federal por dois terços, como ocorrerá no pleito do próximo ano, uma das vagas de candidatura será reservada para o sexo masculino e a outra para o sexo feminino — baixe o PL. Atualmente, não há existe essa obrigatoriedade.

A proposição foi apensada a outras e aguarda parecer final da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara, tendo já a relatora apresentado parecer pela sua inconstitucionalidade. “Não é admissível desconsiderar os votos dados aos candidatos e obrigar o preenchimento de lugares nas casas legislativas em razão do sexo dos candidatos eleitos”, ressalta — baixe o documento.

Mais cotas

Este não é o único projeto de cotas que pode beneficiar diretamente Eliziane Gama.

Há cerca de duas semanas, a parlamentar comemorou a aprovação, pela Comissão da Reforma Política na Câmara dos Deputados, do texto-base do relator Vicente Cândido (PT-SP), emenda sugerida por ela própria e apresentada pelo líder do PPS na Casa, deputado federal Arnaldo Jordy (PA), que assegura cotas para mulheres na composição de chapas de candidatos ao Executivo (presidente da República, governador e prefeito).

Pelo dispositivo, a mulher poderá concorrer tanto na cabeça da chapa quanto ao cargo de vice, já que o texto diz que “será assegurada a participação de ambos os gêneros” na composição eleitoral.

O relatório está ponto para ser votado. Se aprovado, segue para apreciação do Senado Federal, e precisa ter o aval do Congresso até o início de outubro próximo, para já valer nas eleições do próximo ano.

Eliziane Gama pode ganhar vaga vice de Flávio Dino via ‘cota’
Política

Deputada sugeriu à Comissão da Reforma Política proposta que assegura a participação de mulheres na composição das chapas de candidatos ao Executivo

Esquecida pelos institutos e eleitores em pesquisas de intenção de votos para o Senado, ao ponto de já ter de subir em palanque do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) para tentar ser notada, a deputada federal Eliziane Gama (PPS) pode ganhar sobrevida política por meio de uma unção forçada a vice de Flávio Dino (PCdoB) na disputa pelo Palácio dos Leões em 2018.

No início desta semana, foi aprovada na Comissão da Reforma Política da Câmara dos Deputados, no texto-base do relator Vicente Cândido (PT-SP), emenda sugerida pela própria Gama e apresentada pelo líder do PPS na Casa, deputado federal Arnaldo Jordy (PA), que assegura uma especie de ‘cota’ para mulheres na composição de chapas de candidatos a presidente da República, de governador e de prefeito.

Pelo dispositivo, a mulher poderá concorrer tanto na cabeça da chapa quanto ao cargo de vice, já que o texto diz que “será assegurada a participação de ambos os gêneros” na composição eleitoral.

O relatório está ponto para ser votado.

Se aprovado, segue para apreciação do Senado Federal, e precisa ter o aval do Congresso até o início de outubro próximo, para já valer nas eleições do próximo ano.

Apesar do apagado desempenho para o Senado, Eliziane jura que a proposta não foi feita pensamento em benefício próprio. “Neste caso não, porque não tô me colocando pra vice. Nosso projeto é pro Senado”, garante, mas sem descartar a possibilidade de, valendo a ‘cota’ para 2018, entrar na disputa como vice Dino: “essa decisão vou tomar junto com o partido”.

Conforme divulgada pela própria, a parlamentar fez juramentos recentes à cúpula da Assembleia de Deus, onde congrega com a família, de que não tentará a reeleição para a Câmara e nem o retorno para a Legislativo do Maranhão. Pelo juramento, para contar com o coronelismo gospel da igreja, ela só poderá disputa o Senado ou o Executivo.

Por sobrevida política, Eliziane já sobe em palanque com Edivaldo
Política

Deputada participou da entrega do Forte de Santo Antônio. Ela ficou em quarto lugar nas eleições de 2016, quando fez oposição ao prefeito de São Luís

A deputada federal Eliziane Gama (PPS) segue em sua Cruzada para manter sobrevida política. Depois de apelar para o coronelismo gospel, Gama resolveu ignorar o histórico oposicionista ao prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), e participou, em palanque com o pedetista, da entrega da obra de revitalização do Forte de Santo Antônio da Barra.

Mesmo ignorada nos cenários espontâneo e estimulado de diversas pesquisas sobre as eleições de 2018, ela dá a palavra de que é pré-candidata ao Senado Federal. Nos bastidores, porém, comenta-se que, diante da humilhante derrota nas urnas em 2016, ela blefa para disputar, na verdade, pelo retorno à Assembleia Legislativa do Maranhão.

Sobre a presença desavergonhada no mesmo palanque de Edivaldo, Eliziane rebateu informação oficial do governo estadual, de que a obra do Forte de Santo Antônio foi uma parceria entre os Executivos estadual e municipal.

“O evento era de Flávio, a obra era do governo do estado e não da prefeitura”, garante.

Difusora AM ignora Maura Jorge e Eliziane Gama em pesquisa eleitoral
Política

Levantamento do Instituto Escutec terá grande abrangência e será feito nos quatro cantos do estado

A rádio Difusora AM, pertencente ao suplente de senador Edison Lobão Filho (PMDB), resolveu ignorar as pré-candidatas ao governo estadual e ao Senado Federal, respectivamente, Maura Jorge (Pode) e Eliziane Gama (PPS), numa pesquisa eleitoral encomendada junto ao Instituto Escutec.

Embora estejam fora da pesquisa de Edinho, como é conhecido o peemedebista, ambas garantem que são pré-candidatas.

Nos cenários estimulados pela Escutec, apenas três nomes foram colocados para avaliação na disputa para o Palácio dos Leões: Flávio Dino (PCdoB), Roseana Sarney (PMDB) e Roberto Rocha (PSB). Já para o Senado, os nomes postos foram: Sarney Filho (PV), Edison Lobão (PMDB), o próprio Lobão Filho (PMDB), José Reinaldo Tavares (PSB), Waldir Maranhão (PTdoB) e Weverton Rocha (PDT).

De acordo com o blog do Diego Emir, além das tradicionais análises de cenários, o levantamento será mais amplo, uma vez que serão feitos questionamentos sobre a influência de lideranças na disputa estadual, assim como possível apoio de nomes nacionais como do ex-presidente Lula (PT).

Ainda segundo a publicação, a pesquisa terá uma grande abrangência e vai buscar identificar o sentimento do eleitor maranhense nos quatro cantos do estado.

Para se cacifar ao Senado, Eliziane apela para o coronelismo gospel
Política

Deputada tem se beneficiado da exploração de “rebanhos” nos chamados “currais evangélicos”

Atrás ou sequer lembrada nas pesquisas de intenção de votos de institutos não atrelados ao Palácio dos Leões, a deputada federal Eliziane Gama (PPS) abriu espaço para o famigerado coronelismo gospel como tentativa de reverter a baixa credibilidade junto ao eleitorado desde que acabou massacrada nas urnas em 2016.

Considerada uma das formas de “voto de cabresto”, a prática já foi bastante explorada nos chamados “currais evangélicos”, sobretudo na Assembleia de Deus, até ser contraposta pelas novas lideranças religiosas e abolida das igrejas pela recusa das novas gerações de crentes.

Na última eleição municipal, porém, esse tipo de manipulação acabou sendo reimplantada, justamente em favor do então — repisa-se, então — desafeto de Gama, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Agora, porém, é a parlamentar quem é beneficiada com as mesmas práticas de manipulação de “rebanhos”: declarações e manifestos de apoios, cultos especiais, círculos de operação e até unção pastoral de representante oficial de determinada denominação religiosa.

E tudo isso nas barbas da leniente Justiça Eleitoral maranhense...

Apenas Eliziane, dos pré-candidatos de Dino ao Senado, não é investigada no STF
Política

Os outros são Weverton Rocha, Waldir Maranhão e Zé Reinaldo. Os três estão pilhados em casos de corrupção e desvio de dinheiro público

Apenas a deputada federal Eliziane Gama (PPS), dos quatro pré-candidatos que disputam o apoio público do governador Flávio Dino (PCdoB) ao Senado em 2018, não é investigada no Supremo Tribunal Federal (STF).

Os outros três são Weverton Rocha (PDT), Waldir Maranhão (PP) e José Reinaldo Tavares (PSB).

Todos os três estão pilhados em casos envolvendo corrupção e desvio de dinheiro público, sendo o primeiro réu por peculato e violação à Lei de Licitações, o do meio enrolado com lavagem de dinheiro e formação de quadrilha e o último atolado na mesmo que a Lava Jato, que dispensa apresentações.

Com o peso de quem já exerceu dois mandatos de deputada estadual e foi a mais votada para a Câmara Federal em 2014, Gama usa de seu carisma e tirocínio político para conquistar apoios e aliados, mas apostando sempre em sua ficha limpa como principal pendor para a unção de Dino.

Se escolhida pelo governador e pela população maranhense, ela será a segunda mulher a ocupar uma vaga no Senado Federal pelo Maranhão, posto já conquistado apenas por Roseana Sarney (PMDB).

Eliziane Gama sequer é lembrada em pesquisa para o Senado
Política

Levantamento foi feito pelo Instituto Escutec em 80 municípios maranhenses

Para seguir no projeto de ser senadora pelo Maranhão, a deputada federal Eliziane Gama (PPS) precisa, como diz no ditado popular, comer muito feijão.

Humilhada nas urnas nas eleições de 2016 após ser apontada como eleita e terminar no amargo quarto lugar, Gama sequer foi lembrada pelo eleitor maranhense no levantamento feito pelo Instituto Escutec, em junho último, em 80 municípios.

De acordo com a consulta, pela espontânea, os nomes lembrados pelo eleitor foram Sarney Filho (PV), Lobão Filho (PMDB), Zé Reinaldo (PSB), Weverton Rocha (PDT), Gastão Vieira (PROS), Waldir Maranhão (PP), João Alberto (PMDB), Clóvis Fecury (DEM) e até mesmo o vereador de São Luís, Dr. Gutemberg (PSDB).

Na pesquisa estimulada, ela também foi totalmente ignorada.

Os nomes apontados pela Escutec foram apenas de Sarney Filho, Zé Reinaldo, Gastão Vieira, Lobão Filho, Waldir Maranhão, Weverton Rocha e Clóvis Fecury.

Segundo o Escutec, 2034 pessoas foram ouvidas.

Eliziane defende renúncia de Temer e novas eleições
Política

Parlamentar foi autora do pedido de convocação de Eduardo Cunha na CPI da Petrobras

A deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA) avaliou como insustentável a permanência no cargo do presidente da República, Michel Temer (PMDB-RJ), após as revelações de que ele deu aval para que o dono da JBS mantivesse pagamento de recursos financeiros para comprar o silêncio de Eduardo Cunha.

Gama foi autora de pedido, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, de convocação para ouvir Cunha quando ele ainda era presidente da Câmara dos Deputados.

“Este episódio é o mais grave envolvendo o presidente da República, o que exige o seu imediato afastamento das funções para que os brasileiros possam ir às urnas e escolher diretamente um novo mandatário”, disse a deputada da base aliada.

Para a parlamentar, houve flagrante quebra de decoro e o presidente agiu de forma incompatível com o cargo que ocupa.

“O Brasil de hoje não tolera atitudes como as reveladas nesta quarta-feira, onde um presidente da República concorda com um ato reprovável do ponto de vista moral e jurídico. Voltemos às diretas já”, finalizou.

Pelo MA, apenas Eliziane votou contra a regulamentação da vaquejada
Política

16 parlamentares maranhenses votaram a favor e um estava ausente. Segundo turno deve ser votado em duas semanas

A Câmara dos Deputados aprovou, nessa quarta-feira 10, projeto que legaliza vaquejadas, rodeios e outros esportes que utilizam animais.

Foram 366 votos a favor, 50 contra e 6 abstenções.

Pela bancada do Maranhão, apenas a deputada Eliziane Gama (PPS) votou contra a proposta.

Votaram a favor Alberto Filho (PMDB), André Fufuca (PP), Cléber Verde (PRB), Deoclides Macedo (PDT), Hildo Rocha (PMDB), João Marcelo Souza (PMDB), José Reinaldo Tavares (PSB), Júnior Marreca (PEN), Juscelino Filho (DEM), Luana Costa (PSB), Pedro Fernandes (PTB), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Victor Mendes (PSD), Waldir Maranhão (PP), Weverton Rocha (PDT) e Zé Carlos (PT).

O deputado Aluísio Mendes (PTN) estava ausente na sessão e por isso não votou.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), são necessários 308 votos em dois turnos de votação para aprovação da matéria. A segunda rodada deve ser realizada daqui duas semanas.

Eliziane pede à PF que investigue responsáveis pelo “Baleia azul”
Política

Jogo é um desafio on-line de 50 etapas que pode levar o participante a cometer suicídio

A deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA) solicitou ao diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, nessa quarta-feira 19, que a corporação abra inquérito e investigue os responsáveis pelo jogo “Baleia azul”, e reprima sua prática no Brasil. Ela promete reforçar o pedido ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio.

“É preciso que as autoridades investiguem e adotem medidas legais contra os responsáveis por este jogo no Brasil”,  diz trecho do documento encaminhado à PF pela parlamentar.

O “Baleia azul” é um desafio on-line de 50 etapas que pode levar o participante à automutilação e até, na última etapa, ao suicídio.

Há registros de casos no Rio de Janeiro, Paraná, Bahia, Mato Grosso, Paraíba, Santa Catarina, Goiás e Maranhão.

Na Câmara dos Deputados, pelo menos seis parlamentares apresentaram requisições para que o assunto seja mais aprofundado por meio de audiências públicas ou de parcerias com órgãos internacionais. Eliziane pedirá ao deputado Rodrigo Maia (DM-RJ), que transforme o plenário da Casa, em data a ser definida, em comissão geral para debater o tema que é relevante para o conjunto da sociedade.

Comissão aprova projeto de Eliziane que contribuirá com transporte escolar
Política

Proposta prevê que ônibus objetos de confisco por parte do Estado sejam destinados ao transporte de estudantes

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados aprovou, nessa quarta-feira 5, projeto de lei de autoria da deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA) que prevê que ônibus objeto de confisco por parte do Estado sejam destinados ao transporte escolar.

Durante discurso no plenário, a parlamentar agradeceu aos membros da Comissão por aprovar a proposta.

“Várias cidades brasileiras estão sem ter como transportar seus alunos e muitas crianças correm risco em veículos não adaptados, ou até mesmo não vão para escola por falta de transporte. Por isso, a aprovação deste projeto representa uma vitória. Parabéns a comissão por aprovar este projeto”, destacou.

Segundo o texto do projeto, os veículos deverão ir para as prefeituras para servir de transporte de estudantes da rede municipal de ensino e a destinação a cada cidade deverá obedecer à lista de prioridades elaborada pelo Ministério da Educação (MEC).

Antes de ir ao Senado, a matéria será analisada na Comissão de Finanças e na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

Eliziane Gama defende fim do foro privilegiado para autoridades
Política

Segundo deputada maranhense, atualmente há 22 mil autoridades que detém foro especial

A deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA) defendeu, nesta terça-feira 8, o fim do foro privilegiado, prerrogativa concedida a algumas autoridades que só podem ser julgadas em tribunais superiores, a exemplo dos parlamentares federais. A afirmação foi feita durante reunião da comissão especial da reforma política na Câmara. De acordo com a popular-socialista, há processos contra autoridades que chegam a durar até uma década. Segundo ela, atualmente há 22 mil delas que detém foro especial.

“É necessária a realização da reforma política no Brasil e esta comissão pode fomentar este debate que é o do fim do foro privilegiado. Porque o que se vê no país é uma tentativa de se esconder atrás do foro. Há vinte e duas mil pessoas com esta prerrogativa. Isto não pode acontecer. Processo que poderiam ser concluídos mais rápidos não ocorrem”, justificou Gama.

A deputada maranhense disse que entre as decisões da Comissão é necessário que os parlamentares cheguem à conclusão de dar prioridade para aprovar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que acabe com o foro privilegiado, e citou a iniciativa nesse sentido, do líder do seu partido, deputado Rubens Bueno (PPS-PR). O deputado é autor de PEC 142/2012 que tramita atualmente na Comissão de Constituição e Justiça.

Pelo texto, perderiam a prerrogativa do foro privilegiado, em caso de crime comum, autoridades como o presidente da República e os ministros de estado, além de juízes e membros do Ministério Público, por exemplo.

Para a parlamentar, acabar com o privilégio destas pessoas, que estão previstos na Constituição Federal, é um dos caminhos para se acabar com a impunidade no Brasil.

“O fim do foro privilegiado é extremamente importante e salutar para a sociedade e faremos a defesa veemente deste tema aqui na Casa”, acrescentou.

Eliziane Gama também disse ser fundamental a participação de pessoas da sociedade civil e de instituições que a represente nos debates da comissão de reforma política.

Apenas quatro maranhenses votaram contra a “PEC dos gastos públicos”
Política

Dezessete parlamentares do Maranhão participaram da votação na Câmara. Proposta foi aprovada em primeiro turno por 366 votos a favor e 111 contra

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, às 21h35min dessa segunda-feira 10, o corpo principal da polêmica Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, de autoria do Executivo, com mudanças feitas pelo relator, o deputado federal Darcísio Perondi (PMDB-RS), aliado do Planalto.

A chamada “PEC dos gastos públicos”, prioridade legislativa do governo Michel Temer para 2016, recebeu 366 votos favoráveis e 111 contrários, além de duas abstenções. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que conduziu a sessão, optou por não votar. Por se tratar de uma emenda, eram necessários no mínimo 308 votos, o que representa três quintos da Casa.

Em linhas gerais, a PEC não permite que os gastos públicos sejam extrapolados para além da correção inflacionária acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), pelos próximos 20 anos.

Maranhão

Entre os 18 deputados federais da bancada do Maranhão, apenas quatro votaram contra a PEC 241: Eliziane Gama (PPS), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Weverton Rocha (PDT) e Zé Carlos (PT).

Votaram a favor da PEC os seguintes parlamentares, a maioria esmagadora pertencente à base do governador Flávio Dino (PCdoB): Aluísio Mendes (PTN); Alberto Filho (PMDB); Cléber Verde (PRB); Davi Alves Silva Júnior (PR); Hildo Rocha (PMDB); Ildon Marques (PSB); João Castelo (PSDB); João Marcelo Souza (PMDB); José Reinaldo (PSB); Júnior Marreca (PSB); Juscelino Filho (DEM); Pedro Fernandes (PTB); Victor Mendes (PSD).

O deputado Waldir Maranhão (PP), vice-presidente da Câmara, faltou à sessão.

Perguntas e Respostas

O que é o teto dos gastos públicos?

Eduardo Braide e Fábio Câmara estão a um ponto de empatar com Eliziane, aponta Ibope
Política

Leitura foi feita com base na margem de erro da pesquisa. Popular socialista segue em queda livre

A candidata a prefeita pela coligação “São Luís de Verdade”, Eliziane Gama (PPS), que já esteve surfando na liderança absoluta em todas as pesquisas de intenção de votos, mas despencou após revelação de sua aliança com o ex-prefeito João Castelo (PSDB) e de ter evitado trabalhar na CPI da Petrobras contra o vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), após um almoço num restaurante de luxo da capital, pode terminar a eleição municipal de 2016 em quinta colocada.

É o que aponta leitura mais profunda nos números divulgados pelo Instituto Ibope Inteligência/TV Mirante, na quarta-feira 14. A pesquisa foi realizada entre os dias 10 e 13 de setembro. Foram feitas 805 entrevistas na capital. A margem de erro máxima é de três pontos porcentuais para mais ou para menos, em um nível de confiança estimado de 95%. Ou seja, se fossem feitas 100 pesquisas idênticas a esta, 95 deveriam apresentar resultados dentro da margem de erro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) da Maranhão sob o protocolo MA-00239/2016.

De acordo com o levantamento, Gama apareceu com apenas 10% de intenção de votos, figurando na terceira colocação na pesquisa, seguida dos candidatos Eduardo Braide (PMN) e Fábio Câmara (PMDB), ambos com exatos 3% da preferência do eleitorado. Ocorre que, considerando a margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos, e como a candidata segue em queda livre a cada resultado divulgado de qualquer instituto de pesquisa, Eliziane pode estar, na verdade, com apenas 7% de intenção de votos, e tanto Braide como Câmara podem estar com 6%.

Com isso, a diferença que separa a candidata do PPS e os candidatos do PMN e do PMDB pode ser, na verdade, de apenas 1%. Como a tendência aponta para uma nova queda de Gama, diante do sumiço da candidata durante toda a gestão do atual mandatário de São Luís, só aparecendo agora em época eleitoral; da falta de confiança da população e da classe política nela; e do ataque de Eliziane Gama aos policiais militares, colocando-os com pés de cavalo no primeiro programa eleitoral, a incoerente candidata pode perder mais posição e aparecer nas urnas no dia 2 de outubro atrás de Braide e de Câmara.

Ataques

Já se antecipando a iminente queda de Eliziane Gama, o candidato Fábio Câmara resolveu partiu para o ataque.

Contudo, como Gama vem caindo sem precisar ser atacada pelos adversários, mas por erros e incoerências próprias, Câmara iniciou ataques contra o segundo colocado e vencedor no segundo turno da pesquisa Ibope, o candidato pela coligação “Por Amor a São Luís”, Wellington 11 (PP).

Desde essa quinta-feira 15, o programa eleitoral do peemedebista vem veiculando um vídeo em chama o progressista de “empresário espertalhão” e “cara de pau”. Para isso, usou acusações infundadas patrocinadas pelos palácios dos Leões e de la Ravardiére, já derrubadas por Wellington em entrevista exclusiva ao jornalista e blogueiro Gilberto Léda, e admitida como factoide pelo jornalista Raimundo Garrone, de onde partiu a falsa denúncia da venda de um terreno.

Já Eliziane Gama, em vez de focar-se em apresentação de propostas para tirar a capital do Maranhão da lama em busca de impossível recuperação eleitoral, também resolveu partir pro ataque a Wellington, como estratégia de recuperação.

Na manhã desta sexta-feira 16, por exemplo, a coluna do jornalista Murilo Ramos, da revista Época, publicou uma notinha delirante sobre um suposto pedido feito por Wellington a Waldir Maranhão, para que este não participasse de seus comícios e nem aparecesse em seus programas de TV. A intenção da nota, assinada por Nonato Viegas, é passar para os eleitores da capital que, em vez de Eliziane Gama, Waldir Maranhão estaria sendo escondido por Wellington. Uma de forçação de barra, já que os eleitores de São Luís acompanharam, com atenção, as várias tentativas de Maranhão de tomar o partido para retirar a candidatura de Wellington, em atendimento aos Leões, mas todas derrubadas pela Justiça.

O curioso desse estratagema é que a falsa informação foi repassada à Época pelo jornalista Marco Aurélio D'Eça, um dos coordenadores de Comunicação da campanha de Gama e editor de política do jornal O Estado Maranhão, pertencente à oligarquia Sarney. Marco D'Eça, inclusive, embora não faça parte diretamente da Comunicação de campanha de Fábio Câmara, também dá pitacos na campanha do peemedebista, que curiosamente resolveu promover um novo ataque a Wellington hoje, tentando ligá-lo ao clã.