Coronavírus
Após aglomerar com Braide e Neto, candidata a vice-prefeita de São Luís é diagnosticada com Covid-19
Política

Candidato do Podemos suspendeu toda a agenda de campanha. Debate da TV Guará, marcado para hoje, foi cancelado

A candidata a vice-prefeita pela coligação “Pra Frente, São Luís”, Esmênia Miranda (PSD), foi diagnosticada com Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A informação foi divulgada pelo cabeça de chapa, Eduardo Braide (Podemos), na tarde desta terça-feira 24.

Nos últimos dias, Esmênia e Braide aglomeraram por diversas vezes em diversos pontos da capital, quase sempre acompanhados do candidato derrotado ao Palácio de La Ravardière, Neto Evangelista (DEM).

Nas redes sociais, Braide anunciou que, por conta do contato constante com a candidata a vice, toda a sua agenda de campanha está suspensa até o resultado de exame para detecção para Covid-19 a que se submeteu. Por esta razão, o debate da TV Guará, que estava marcado para as 22h de hoje, foi cancelado pela emissora.

Sobre as dezenas de militantes que acompanharam Braide e Esmênia durante as caminhadas e carreatas realizadas nos últimos dias, porém, até o momento, não foi dada qualquer informação de eventual afastamento das ruas, isolamento social ou realização de exame para Covid-19 por estas pessoas.

Também não há informações a respeito de quais medidas sanitárias e de segurança serão tomadas, ou que já possam ter sido, por Neto Evangelista.

Cinco dias após informar infecção, Duarte Júnior recebe exame negativo para Covid-19
Política

Candidato do Republicanos se prepara para retornar às ruas em campanha pela prefeitura de São Luís. MPF foi provocado a investigar o caso

No que pode ser a mais rápida recuperação de Covid-19 do planeta ou a que pode colocar na cadeia diversos atores do Poder Executivo estadual por grave crime contra a saúde pública, o deputado estadual e candidato a prefeito de São Luís Duarte Júnior (Republicanos) apresentou, na noite dessa quinta-feira 19, no Twitter, um resultado de exame para a doença, cujo resultado deu negativo.

Ocorre que, segundo o documento, a coleta do material examinado e a liberação do resultado ocorreu desde o último dia 16, apenas cinco dias após Duarte Júnior informar oficialmente que havia sido infectado pelo novo coronavírus, dia 11.

O novo exame, de não reagente para Covid-19, foi realizado pelo Cedro, e assinado pelo presidente do laboratório, Elie Georges Hachem.

Apesar da credibilidade do Cedro e de Elie Hachem no mercado, para ser confirmada, a cura relâmpago merece ser caso de estudo.

Alvo de investigação, já está sendo.

Conforme mostrou o ATUAL7, por iniciativa do advogado Alex Borralho, no início desta semana, o MPF (Ministério Público Federal) foi provocado a atuar no caso, após suposto exame do Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) do Maranhão, atribuído a Duarte Júnior, apontar que o candidato estaria infectado pelo novo coronavírus desde o dia 5 deste mês.

Por envolver o pleito eleitoral, a investigação deve ficar aos cuidados do MP Eleitoral, chefiado no Maranhão pelo procurador da República Juraci Guimarães Júnior, marido da secretária estadual da Transparência e Controle, Lilian Guimarães. A Polícia Federal também deve entrar na apuração, e a Comissão de Ética da Assembleia Legislativa abrir sindicância ou uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito).

Se verdadeiro o suposto exame do Lacen-MA, Duarte Júnior pode ter colocado sob risco de infecção, conscientemente, um número incontável de pessoas na capital, incluindo idosos. Mais: servidores e a direção do laboratório público teriam envolvimento no suposto crime contra a saúde pública, já que por lei todos os diagnosticados com Covid-19 devem ser orientados sobre o isolamento social e acompanhados pelo Estado. O vice-governador Carlos Brandão, que é do partido de Duarte Júnior, e o governador Flávio Dino (PCdoB), que é aliado, apoiador e que declarou voto no candidato do Republicanos no segundo turno, também poderiam ter envolvimento.

Eventual confirmação de que o suposto exame é falso também complica a cúpula do Lacen-MA e do Palácio dos Leões. Isso poderia ocorrer pelo fato de que, sem a existência do exame, também não existiria o paciente e, por isso, não haveria necessidade de sigilo de informação. Logo, a suposta fraude já deveria ter sido esclarecida e os envolvidos na farsa eleitoral denunciados.

Em São Luís, segundo dados da SES (Secretaria de Estado da Saúde), desde o início da pandemia, 24.878 foram diagnosticadas com Covid-19 e 1.271 morreram em decorrência da doença. A letalidade é de 5.11%.

Carlos Brandão e Duarte Júnior são diagnosticados com Covid-19
Política

Vice-governador do Maranhão e candidato a prefeito de São Luís participaram de atos de campanha sem máscara dias antes de receberem resultado de exame

O vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, e o deputado estadual e candidato a prefeito de São Luís, Duarte Júnior, ambos do Republicanos, foram diagnosticados com Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

A informação foi divulgada no Twitter, pelo próprio Brandão, e por meio da assessoria do parlamentar, na noite desta quarta-feira 11. No início da tarde, Duarte já havia suspendido atividades de campanha, após sentir indisposição durante uma caminhada.

Dias antes do diagnóstico, ambos participaram de uma carreata na capital, sem máscara e aglomerando com diversas outras pessoas em um veículo, entre elas a ex-presidente do Procon (Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor) do Maranhão, Karen Barros, além do deputado federal Josimar Maranhãozinho e sua sobrinha e indicada para a vice na chapa, Fabiana Villar, ambos do PL.

Aglomerações e descumprimento ao uso de máscara como medida sanitária de proteção e enfrentamento ao novo coronavírus são proibidos por decreto estadual. Em tese, a violação poderia gerar aplicação de multa e até prisão.

Além dessa desobediência ao decreto e normas sanitárias mostrada na imagem em destaque, nos último dias, Carlos Brandão e Duarte Júnior aglomeraram diversas outras vezes nos últimos dias, parte delas novamente sem máscara, sempre cumprimentando diversas pessoas.

Segundo balanço da SES (Secretaria de Estado da Saúde), divulgado mais cedo, 188.677 pessoas já foram diagnosticadas com o novo coronavírus no Maranhão e 4.146 morreram em decorrência da doença. Apenas em São Luís, 24.180 receberam o diagnóstico positivo e houve 1.262 por Covid-10.

Josimar da Serraria tem 5 dias para informar como usou recursos para Covid-19, diz Justiça
Política

Decisão foi proferida nessa sexta-feira 30, mesma data em que foi determinado seu retorno ao comando da Prefeitura de Governador Nunes Freire

O prefeito de Governador Nunes Freire, Josimar da Serraria (PSB), tem o prazo de 5 dias úteis para fornecer informações relativas à administração dos recursos federais destinados ao combate do novo coronavírus, bem como quais atos a gestão municipal teria praticado para o enfrentamento à pandemia.

A decisão, em caráter liminar, é do juiz Flávio Fernandes Pinheiro, proferida nessa sexta-feira 30, em mandado de segurança impetrado pelo vereador Luís Fernando Pereira (SD), presidente da Câmara Municipal. Na mesma data, o magistrado determinou a imediata recondução de Josimar da Serraria ao comando do município. Ele havia sido afastado do cargo pelo Poder Legislativo no último dia 26, em conturbada sessão, sob acusação de atraso no pagamento do funcionalismo e irregularidades na gestão do dinheiro público.

De acordo com a Justiça, as informações sobre o uso dos recursos federais destinado para combate à Covid-19 devem ser detalhadas da seguinte forma por Josimar da Serraria:

a) Lista completa de funcionários que trabalharam/trabalham diretamente no tratamento e combate à Covid-19 com data de admissão, cargo, lotação e salário;

b) Relação de insumos e medicamentos adquiridos com os recursos do Covid-19 e cópia de suas notas fiscais e seus respectivos processos licitatórios;

c) Plano de Ação (contingência), Ata das reuniões do Comitê da Covid-19;

d) Extratos detalhados das contas da pasta da Saúde informando todos os valores já depositados com a finalidade de combate/tratamento
do Covid-19;

e) Lista da estrutura hospitalar municipal disponível para atendimento dos pacientes de leve, média e alta complexidade, disponibilidade ou não de UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) e quantidade de ambulâncias disponíveis em nosso município;

f) Informar se há algum profissional da saúde com salário em atraso no município de Governador Nunes Freire e apresentar o comprovante de pagamento salarial;

g) Informar a totalidade de indivíduos que foram contaminados ou que faleceram em decorrência da infecção por Covid-19 (boletim epidemiológico completo).

Em caso de descumprimento, foi fixado multa no valor de R$ 20 mil e mais R$ 1 mil por dias que se sucederem de atraso, limitados ao valor de R$ 50 mil. O valor deverá recair sob o patrimônio pessoal do próprio prefeito.

Vice-prefeito de São Luís é contaminado com Covid-19 após aglomerar em ‘plenária da saúde’
Política

Lotado por centenas de pessoas, ato eleitoral contou com a participação de Rubens Júnior e Carlos Lula, também diagnosticados com a doença

O vice-prefeito de São Luís e candidato a vereador, Júlio Pinheiro (PCdoB), está hospitalizado no HCI (Hospital de Cuidados Intensivos), após ser infectado pelo novo coronavírus. O anúncio foi feito por ele próprio, nas redes sociais, na semana passada.

A contaminação com Covid-19 ocorreu poucos dias após o comunista se aglomerar com centenas de pessoas, no último dia 29, durante ‘plenária da saúde’.

Violando normas sanitárias de distanciamento seguro e recomendações da Vigilância Sanitária e do Ministério Público Eleitoral, o ato foi realizado em ambiente fechado, e contou com a participação do candidato do PCdoB à prefeitura da capital, Rubens Pereira Júnior, e do secretário estadual da Saúde, Carlos Lula. Ambos também diagnosticados com Covid-19.

Segundo balanço da SES (Secretaria de Estado da Saúde), até essa segunda-feira 12, São Luís registrou 22.272 pessoas infectadas pelo novo coronavírus e 1.253 mortes em decorrência da doença. Alta, a letalidade é de 5.63%.

Apesar da pandemia não ter terminado nem exista vacina para Covid-19, em meio à casos de reinfecção na capital, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) pretende reativar a Feirinha São Luís, conhecida com concentrar grande aglomeração no Centro Histórico.

Em meio a casos de reinfecção de Covid-19, Edivaldo anuncia retorno da Feirinha
Cotidiano

Por conta da pandemia, aglomeração de pessoas nesse tipo de programa é vedada por decreto estadual

Menos de 12 horas depois do governador Flávio Dino (PCdoB) informar, nessa sexta-feira 9, que a SES (Secretaria de Estado da Saúde) identificou três casos de reinfecção pelo novo coronavírus na capital, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) anunciou, no mesmo dia, o retorno da Feirinha São Luís.

“Hoje pela manhã, durante o lançamento do Festival Canta São Luís, estive reunido com artistas e confirmei o retorno da Feirinha São Luís. Será em um formato reduzido por conta da pandemia. Estamos adotando os protocolos sanitários e em breve anunciarei a data”, publicou o pedetista no Twitter.

Suspenso justamente por conta da pandemia, o programa —maior política de pão e circo nos mais de 30 anos do PDT no Palácio de La Ravardière, no caso, muito mais circo do que pão— aglomera milhares de pessoas, semanalmente, na Praça Benedito Leite, no Centro Histórico, com serviços como venda de artesanato, gastronomia e atividades culturais.

Segundo decreto estadual baixado por Dino no final do mês passado, esse tipo de aglomeração de pessoas, mesmo se tomados protocolos sanitários de distanciamento seguro e uso obrigatório de máscara de proteção, é vedada em todo o estado. O descumprimento pode gerar multa e até prisão.

Após voltar a violar uso obrigatório de máscara, Carlos Lula é diagnosticado com Covid-19
Cotidiano

Secretário de Saúde já havia se aglomerado, sem máscara, durante convenção do PT em Coroatá

Três dias após voltar a violar o uso obrigatório de máscara de proteção, o secretário estadual da Saúde, Carlos Lula, que é também presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), confirmou nas redes sociais ter recebido o diagnóstico de infecção pelo novo coronavírus.

“Meus amigos, durante testagem de rotina, recebi o diagnóstico positivo para Covid-19. Estou assintomático, mas manterei as medidas preventivas e o isolamento durante o período recomendado”, publicou Lula, nesta sexta-feira 9, no Twitter.

No último dia 6, o secretário de Saúde do Maranhão esteve na TV Guará, onde concedeu entrevista ao programa Os Analistas, em ambiente fechado, sem máscara e em com distância não segura dos jornalistas Felipe Klamt, Clodoaldo Corrêa e Geraldo Iansen.

Procurada, a TV Guará informou ao ATUAL7, em nota, que todos os profissionais que tiveram contato com Carlos Lula serão afastados e testados para Covid-19.

“Na terça feira, dia 6 de outubro, o secretário Carlos Lula concedeu entrevista no programa Os Analistas, da TV Guará. O secretário chegou de máscara e foi direto para o estúdio, onde foi recebido pela equipe entrevistadores e equipe técnica também de máscara. Porém a entrevista é realizada sem máscara. No estúdio ficam os três entrevistadores e dois técnicos”, diz a nota.

“Dos entrevistadores, apenas o apresentador, Geraldo Iensen é colaborador fulll time da TV Guará, os demais apenas vem para gravação do programa. O programa Os Analistas será interrompido até que todos que tiveram contato com o secretário sejam testados”, completou a TV Guará.

O jornalista Clodoaldo Corrêa informou já haver sido contaminado pelo novo coronavírus. “Fui assintomático e só descobri depois do teste que já tinha anticorpos”, disse.

No mês passado, mostrou o ATUAL7, embora a pandemia não tenha terminado nem exista vacina para a Covid-19, durante a convenção do PT em Coroatá, o secretário de Saúde se aglomerou com milhares de pessoas, coçou o nariz por mais de uma vez, berrou até a voz falhar e dançou sem máscara em um palco abarrotado de políticos que ele fez questão de cumprimentar com apertos de mão e abraços.

À época, questionado, ele relativizou a gravidade do ato e ainda mentiu, afirmando que havia tirado a máscara apenas para discursar. Sobre a aglomeração, nada respondeu. Também debochou e atacou a imprensa pela cobertura do caso.

Ainda debilitado pela Covid-19, Madeira renuncia candidatura
Política

Mesmo já recuperado, juiz federal aposentado vinha cancelando agenda de campanha por sentir desconforto respiratório. Ele ainda não informou se vai apoiar algum candidato

A juiz federal aposentado Carlos Madeira (SD) renunciou a candidatura a prefeito de São Luís, em carta pública divulgada nesta quinta-feira 7. No anúncio, ele aponta problemas de saúde ainda provocados pela Covid-19 como motivo da decisão.

“Hoje retiro a minha candidatura a prefeito de São Luís, por não ter condições físicas de dar continuidade à intensa agenda de compromissos que eu, antes de qualquer outro candidato, fiz questão de não apenas assumir, mas de registrar publicamente em cartório”, destacou.

Madeira contraiu o novo coronavírus no mês passado, pouco antes da convenção que oficializou seu nome na disputa. Na ocasião, participou de forma remota do ato partidário, pois ainda encontrava-se em isolamento domiciliar.

Desde o último dia 27, quando a campanha e propaganda eleitoral foram oficialmente liberadas, porém, embora já recuperado da doença, suspendeu a agenda de campanha por duas vezes, após sentir desconforto respiratório.

Apesar da retirada de candidatura, Madeira ainda não informou se pretende apoiar algum candidato na corrida pela prefeitura da capital.

Abaixo, a íntegra do comunicado de renúncia:

CARTA AO POVO DE SÃO LUÍS

A convite de amigos, e por sugestão de pessoas simples, representantes da periferia e da zona rural, decidi aceitar o desafio de concorrer à Prefeitura de São Luís nas eleições de 2020. Trouxe comigo as minhas origens, a história de vida, a minha biografia e o desejo de trabalhar ainda mais pela nossa cidade.

Os caminhos que percorri nesses meses de pré-campanha e os primeiros dias de candidatura oficializada não foram fáceis, porque, ao lado de um time de pessoas sérias, éticas, combativas e independentes, compreendi que a luta só valeria a pena se todos abraçassem um projeto de mudança efetiva para São Luís, com uma arrojada pauta de justiça social para todas as áreas da administração municipal.

A pré-campanha foi interrompida ainda no início, por quase três meses, com as restrições decorrentes da pandemia. E no meio do caminho, antes mesmo da nossa convenção partidária, fui alcançado pela Covid-19.

Fiquei por duas semanas em isolamento, cumprindo a quarentena até receber a confirmação de que a carga viral estava zerada. Perdi cerca de oito quilos em 12 dias de hospital. Mesmo frágil fisicamente, tomei a decisão de retomar os compromissos de campanha em respeito ao povo, ao partido Solidariedade e à nossa militância.

Não sabia que o pior ainda estava por vir. Dia após dia a fadiga foi me consumindo e comprometendo a minha fala e o meu raciocínio. Só depois fui informado pelo médico que acompanha o meu caso, Dr. Serafim Gomes de Sá, de que a minha dificuldade respiratória era apenas mais uma das muitas consequências possíveis do coronavírus, aquilo que a ciência está chamando agora de Síndrome pós-Covid.

Quem conhece a minha história sabe que jamais me esquivei de responsabilidades. Mas, aconselhado pela minha esposa, pelos meus filhos e por médicos que acompanham o meu caso clínico, e em nome da minha saúde, tive que tomar uma das decisões mais difíceis da minha vida: abrir mão de um projeto que hoje reputo coletivo, porque não é mais do Madeira, mas de tantas e tantas pessoas espalhadas pelos bairros e pela zona rural dessa cidade que tanto amo.

Informo, portanto, que hoje retiro a minha candidatura a prefeito de São Luís, por não ter condições físicas de dar continuidade à intensa agenda de compromissos que eu, antes de qualquer outro candidato, fiz questão de não apenas assumir, mas de registrar publicamente em cartório.

Chego até aqui sem qualquer decepção ou mágoa, mas com muita gratidão aos meus familiares e tantos amigos. Agradeço o apoio de todos que trabalharam comigo até agora – equipe de coordenação, militância e candidatos a vereador. Agradeço a compreensão dos nossos eleitores, sobretudo. Agradeço ao Capitão Jeremias, meu companheiro de chapa, pela caminhada leal e destemida.

Agradeço ao meu partido, o Solidariedade, pela acolhida e pelas trincheiras de luta que conseguimos erguer, juntos, em tão pouco tempo. Continuarei na política, como presidente do diretório municipal de São Luís, e no momento oportuno reiniciarei minha jornada partidária na busca permanente por dias melhores para o nosso povo. Porque, como Martin Luther King, continuo acreditando que “pior que o grito dos maus é o silêncio dos bons”.

Como aprendizado, levo para a vida a lição de que, para recuar de uma batalha, é preciso antes de tudo ter humildade e sabedoria para reconhecer os riscos. Faço opção por cuidar da minha saúde. E, se puder oferecer apenas um conselho, direi a todos: cuidem-se! O vírus ainda está no nosso meio e as sequelas da Covid-19 são imprevisíveis. Que Deus nos proteja!

São Luís, 7 de outubro de 2020.

José Carlos do Vale Madeira.

MA ultrapassa 3,8 mil óbitos por Covid-19, com mais mortes entre negros
Cotidiano

Mais de 70% dos que morreram com a doença são pardos ou pretos. Saúde estadual e municipal não divulgam bairros onde vítimas moravam

O Maranhão ultrapassou, nessa segunda-feira 5, a marca de 3,8 mil mortes pela Covid-19. Segundo balanço divulgado pela SES (Secretaria de Estado da Saúde), são 3.807 vítimas da doença e 175.753 casos confirmados no estado, desde o início da pandemia.

O primeiro óbito causado pelo novo coronavírus no Maranhão foi registrado em 29 de março. Um mês e meio depois, em 15 de junho maio, 1.499 tinham perdido a vida, número que mais que dobrou em até o final de julho. Em outubro, 41 óbitos já foram registrados por Covid-19.

Os dados revelam ainda outra triste marca: a doença tem causado mais mortes no estado entre a população negra (pardos e pretos), que corresponde a 74% óbitos. Esse número pode ser bem maior, já que o balanço da SES está defasado em mais de um mês em relação aos dos municípios maranhenses, que utilizam metodologias diferentes sobre o avanço da pandemia. Além disso, 800 óbitos contabilizados pela SES não possuem informação sobre raça e cor.

Segundo o boletim epidemiológico da pasta, a maioria dos óbitos ocorreram em São Luís, capital do Maranhão. Dos 21.601 casos confirmados, 1.245 foram à óbito. Sem transparência, a Saúde estadual e municipal não informam em que bairros ou região da capital as mortes pela Covid-19 ocorreram, impedimento o cidadão de saber, por exemplo, se a periferia ou a área nobre é mais afetada.

Rubens Júnior tem diagnóstico de Covid-19 após diversas aglomerações
Política

Candidato do PCdoB à prefeitura de São Luís permanecerá em isolamento domiciliar, até recuperação. Agenda de campanha será conduzida pelo vice na chapa, Honorato Fernandes

O candidato do PCdoB à prefeitura de São Luís, Rubens Pereira Júnior, cancelou a participação pessoal em toda a agenda de campanha, por tempo indeterminado. Nesta segunda-feira 5, após indisposição no último fim de semana, ele foi diagnosticado com Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

A infecção ocorre após Rubens Júnior aglomerar-se por diversas vezes, antes, durante e depois das convenções partidárias, inclusive sem máscara de proteção.

“Estou sob medicação por orientação médica, em casa e em repouso. Já me sinto bem melhor. Logo, espero estar recuperado para voltar a estar ao lado de vocês, construindo uma São Luís de todos nós”, publicou no Twitter.

Até a recuperação do candidato, a agenda de campanha será tocada pelo vice na chapa, Honorato Fernandes (PT), como já vinha ocorrendo desde a indisposição de Rubens Júnior.

Segundo a assessoria, o petista já foi infectado pelo novo coronavírus, no início da pandemia na capital, mas submeteu-se a nova exame após a confirmação do diagnóstico do companheiro de chapa.

A senadora Eliziane Gama (Cidadania), que também coordena a campanha de Rubens Júnior, disse ao ATUAL7 que fará exame, nesta terça-feira 6, para saber se foi contaminada pelo novo coronavírus. O coordenador-geral, deputado federal Márcio Jerry, que é presidente do PCdoB no Maranhão, informou que, desde março, fez sete testes para Covid-19, todos negativos. Segundo ele, por não apresentar qualquer sintoma e não haver estado com Rubens Júnior desde a última quinta 1º, diz, “não há razão para [novo] teste até o momento”.

Rubens Júnior suspende agenda de campanha após sentir indisposição
Política

Candidato do PCdoB à prefeitura de São Luís fez novo exame para Covid-19, e aguarda resultado

O candidato a prefeito de São Luís pelo PCdoB, Rubens Pereira Júnior, realizou, nesta segunda-feira 5, um novo exame para detectar se contraiu a Covid-19. A informação foi revelada por ele próprio, nesta segunda 5, pelo Twitter.

Segundo Rubens, ele sentiu indisposição no último final de semana. Embora outros exames tenham apresentado resultado negativo para o novo coronavírus, o candidato vai permanecer em casa com a família até o resultado do novo teste. Por esta razão, toda a agenda de campanha está suspensa.

“Estou sob acompanhamento médico, em casa, com minha esposa e filhos. Espero logo estar novamente ao lado de vocês debatendo nossas propostas para o futuro de São Luís”, escreveu.

Conforme mostrou o ATUAL7, embora a pandemia não tenha terminado nem exista vacina para a Covid-19, o comunista e outros candidatos a prefeito da capital aglomeraram durante a realização das convenções eleitorais de seus respetivos partidos. Mesmo após a expedição de recomendação pelo Ministério Público Eleitoral, as aglomerações continuam ocorrendo livremente.

Madeira suspende agenda de campanha por dois dias após desconforto respiratório
Política

Mesmo já recuperado da Covid-19, candidato a prefeito de São Luís ainda tem enfrentado problemas de saúde em decorrência da doença

O candidato a prefeito de São Luís pelo Solidariedade, Carlos Madeira suspendeu todos compromissos de campanha, por dois dias, após sentir desconforto respiratório.

A informação foi divulgada em nota, neste domingo 4, pelo presidente do partido no Maranhão, Simplício Araújo.

De acordo com a nota, apesar de atestados médicos confirmaram que Madeira zerou a carga viral da Covid-19, ele ainda tem sentido problemas de saúde em decorrência da doença.

Neto Evangelista inicia campanha descumprido medidas de prevenção à Covid-19
Política

Segundo recomendações conjuntas do Ministério Público e MP Eleitoral, candidato deve ser alvo de inquérito policial, além de ações penais e cíveis, por colocar em risco a saúde pública

Embora a pandemia não tenha terminado nem exista vacina para a Covid-19, o candidato a prefeito de São Luís pela coligação composta pelos partidos DEM / PDT / MDB / PTB / PSL, Neto Evangelista, iniciou a campanha eleitoral, oficialmente liberada desde esse domingo 27, ignorando normas sanitárias de prevenção e combate ao novo coronavírus.

Segundo fotos e vídeos divulgados nas redes sociais pelo próprio democrata e políticos aliados, ele deu o pontapé inicial com uma caminhada no bairro São Francisco. No local, distribuiu abraços e apertos de mãos, beijou crianças, descumpriu o distanciamento seguro de 1,5 metro e retirou a máscara para, aos berros, discursar.

Embora crítico das irresponsabilidades do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a pandemia por estimular aglomerações, e até tenha publicado nas redes sociais que esteve de luto pelas mortes no país provocadas pela Covid-19, o senador Weverton Rocha (PDT), padrinho da candidatura de Neto ao Palácio de La Ravardière, participou da aglomeração no São Francisco.

Desde o início da pandemia, apesar do lockdown (isolamento social mais rígido) decretado em maio pelo governador Flávio Dino (PCdoB) por determinação da Justiça, 20.794 pessoas foram diagnosticadas com Covid-19 em São Luís e 1.236 morreram em decorrência da doença.

Segundo recomendações conjuntas expedidas pelo Ministério Público e Ministério Público Eleitoral no Maranhão, candidatos da capital e demais municípios maranhenses devem se abster de realizar caminhadas, assim como comícios e confraternizações, por ocasionarem aglomeração de pessoas.

Os documentos foram assinados pelo procurador-geral de Justiça, Eduardo Nicolau, e pelo procurador-regional Eleitoral, Juraci Guimarães Júnior, na última sexta-feira 22, com o objetivo de garantir cumprimento às medidas de controle da disseminação do novo coronavírus durante o período de campanha eleitoral, conforme recomendações estabelecidas em parecer técnico da Vigilância Sanitária do Maranhão, emitido no último dia 18.

Candidatos que colocarem em risco a saúde pública, como fez Neto Evangelista, serão alvos de inquéritos policiais, ações penais e cíveis, incluindo por danos morais coletivos. A atuação e repressão ao desrespeito com a saúde da população em meio à pandemia, segundo as recomendações, devem ser feitas pelos promotores das áreas eleitoral e de saúde.

Após descumprir normas, Carlos Lula deixa de orientar sobre uso de máscara e proibição de aglomeração
Cotidiano

Apesar da pandemia não ter terminado nem exista vacina para Covid-19, secretário de Saúde do Maranhão está há 12 dias em desrespeito com o cargo custeado pelos cofres públicos

Flagrado se aglomerando e sem máscara em uma convenção eleitoral do PT em Coroatá, o secretário da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, deixou de orientar a população sobre o uso de máscara e a proibição de aglomeração como normas sanitárias para diminuir a transmissão do novo coronavírus.

Embora a pandemia não tenha terminado nem exista vacina para a Covid-19, ele está há quase duas semanas em inobservância com o cargo que exerce custeado pelos cofres públicos. Desde o sábado 12, dia em que voltou a usar o Twitter para alertar e reclamar da população ao divulgar o boletim epidemiológico diário, mas horas depois violou medidas de enfrentamento ao novo coronavírus, Lula tem apenas repetido uma mensagem padrão seguida do endereço para o arquivo do balanço da Covid-19 no estado.

“Boletim epidemiológico atualizado. Para detalhamento acesse o link”, tem publicado o secretário, que é também presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

Apesar de diversos vídeos nas redes sociais mostrarem que Carlos Lula se aglomerou com milhares de pessoas, coçou o nariz por mais de uma vez, berrou até a voz falhar e dançou sem máscara em um palco abarrotado de políticos que ele fez questão de cumprimentar com apertos de mão e abraços, a veículos de imprensa selecionados, o titular da SES (Secretaria de Estado da Saúde) relativizou a gravidade do ato e ainda mentiu. Segundo disse, tirou a máscara apenas para discursar. Sobre a aglomeração, nada respondeu.

Em meios ao texto padrão na divulgação do boletim, ele também debochou e atacou a imprensa pela cobertura do caso.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a principal forma de transmissão do novo vírus é por meio de gotículas de saliva. Durante o discurso, sem máscara de proteção, segundo vídeos da convenção publicados nas redes sociais, mais de uma dezena de pessoas estavam próximas do secretário da Saúde. Como ele gritou por diversas vezes, o nível de proteção diminuiu, e os aerossóis podem ter alcançado mais outras dezenas de pessoas.

No dia 12, quando Carlos Lula deu péssimo exemplo e violou as principais regras sanitárias contra o avanço da pandemia, o Maranhão registrava 162.476 casos confirmados de Covid-19 e 3.569 mortes em decorrência da doença. Em meio ao silêncio dele sobre o cumprimento das normas, segundo o balanço de ontem, já são agora 169.690 pessoas diagnosticadas e 3.683 óbitos pela Covid-19.

Projeto da Unicamp recolhe relatos de maranhenses durante a pandemia
Cotidiano

Memórias Covid-19 conta comissão curatorial composta de membros de nove universidades brasileiras e dois representantes da França e Portugal

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) criou a plataforma Memórias Covid-19, coordenada pela pesquisadora e historiadora Ana Carolina Moura Delfim Maciel. O projeto consiste em um espaço memorial virtual para que pessoas de todos os estados do Brasil, bem como do exterior possam expressar suas memórias durante a pandemia do novo coronavírus. Em tempos atípicos de distanciamento social e de vulnerabilidade para a população, ainda é possível estar isolados fisicamente, mas emocionalmente conectados.

O projeto conta ainda com uma comissão curatorial, composta de membros de nove universidades brasileiras (de diferentes áreas do conhecimento, representando Norte, Nordeste, Sul e Sudeste do país), como também de dois representantes da França e Portugal. A comissão é responsável por receber e selecionar os relatos que são encaminhados para compor a plataforma. O projeto tem um caráter plural e democrático, almejando costurar uma teia de narrativas compartilhadas por pessoas de diferentes localidades do país e do mundo, classe social e escolaridade. As vivências cotidianas e histórias de qualquer pessoa, durante esta pandemia, são bem-vindas e devem ser contadas.

O Memórias Covid-19 não pretende ficar centrado no eixo São Paulo/Rio de Janeiro tampouco ficar circunscrito ao espaço da universidade. Assim, maranhenses também podem participar do projeto enviando os registros da vida cotidiana durante o isolamento social. Não se trata de um projeto destinado apenas a familiares das vítimas de Covid-19 ou pessoas que testaram positivo para a doença, não havendo, portanto, necessidade de o participante ter sido acometido pela doença ou ter presenciado casos de pessoas que tenham contraído o novo coronavírus.

Para participar, basta acessar o formulário e enviar relatos escritos, sonoros ou visuais, podendo ser cartas, textos, poemas, desenhos, áudios, vídeos e fotos sobre as experiências pessoais em tempos de isolamento social. Os arquivos devem ser de autoria do participante ou estar de acordo com a legislação de Direitos Autorais, Lei 9.610/98.

Os materiais recebidos serão enviados para a análise da Comissão Curatorial e os participantes que tiverem seus materiais selecionados para publicação vão ser informados. O Memórias Covid-19 também conta com a parceria do Centro de Lógica, Epistemologia e História da Ciência (CLE) da Unicamp, responsável por armazenar os materiais recebidos pela plataforma.

Não há prazo limite para o envio dos relatos.

É possível também acompanhar a plataforma nas redes sociais, seguindo o perfil do projeto Instagram e curtindo a página no Facebook do Memórias Covid-19.

Edilázio tem diagnóstico de Covid-19 após aglomeração em convenção de Braide
Política

Diversos candidatos a prefeito da capital e do interior do Maranhão têm ignorado a pandemia e colocado a saúde da população em risco

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) foi diagnosticado com Covid-19, segundo divulgado por ele próprio no Twitter, nessa segunda-feira 21. Sem sintomas severos, ele se recupera em isolamento domiciliar.

A confirmação de infecção ocorre uma semana após Edilázio haver se aglomerado na convenção que oficializou a candidatura do deputado federal Eduardo Braide (PODE) a prefeito de São Luís.

É primeiro caso de Covid-19 de participantes da convenção partidária, desde a aglomeração. Braide, que discursou no evento sem máscara, ainda não se manifestou publicamente sobre o assunto.

Em São Luís, mais de 20 mil pessoas foram infectados pelo novo coronavírus e mais de 1,2 mil morreram em decorrência da doença. A letalidade na capital é 6.08%, considerada alta.

Na segunda 14, o ATUAL7 mostrou que, embora a pandemia do novo coronavírus não tenha terminado nem exista vacina para a Covid-19, diversos candidatos a prefeito da capital e do interior do Maranhão tem ignorado os riscos de contaminação e disseminação do novo coronavírus.

O próprio secretário estadual da Saúde, Carlos Lula, que é ainda presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde), também violou normas da OMS (Organização Mundial da Saúde) e da própria pasta e se aglomerou, cumprimentou e dançou com dezenas de políticos, sem máscara, durante a convenção do candidato do PT à reeleição em Coroatá, Luís Amovelar Filho.

Apesar dos comentários virulentos nas redes sociais contra adversários que descumprem as medidas sanitárias e de segurança contra a Covid-19, principalmente contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o governador Flávio Dino (PCdoB) participou do evento petista, por videochamada, e não reclamou da aglomeração. Ao contrário, acenou para a multidão, disse que a convenção estava “linda” e, apesar do risco de nova aglomeração em meio à pandemia, prometeu ir ao município fazer “uma bela caminhada” com o aliado.

No Twitter, Carlos Lula debocha e diz que fiscalização para regras que ele descumpriu é do Judiciário e MP
Política

Presidente do Conass, secretário de Saúde do Maranhão se aglomerou, abraçou e dançou com candidatos, sem máscara, durante a convenção do PT em Coroatá

Na oportunidade que teve de se retratar publicamente diante dos maranhenses e do país pela violação às regras sanitárias e de segurança contra o novo coronavírus e pelo desrespeito e falta de empatia com os familiares dos mortos pela Covid-19, o secretário estadual da Saúde e presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde), Carlos Lula, preferiu fugir da própria responsabilidade sobre o enfrentamento à pandemia e debochar da imprensa.

Em publicação no Twitter nessa quarta-feira 16, Lula disse que a competência para fiscalizar os atos de campanha eleitoral que promovam o descumprimento de normas de proteção contra a Covid-19 —como as feitas por ele próprio— é do Poder Judiciário e do Ministério Público, e não do Executivo.

“Ou seja, a #VigilânciaSanitária pode fiscalizar atos de campanha? Sim, nos casos em que for requisitada pelo #MinistérioPúblicoEleitoral e pela #JustiçaEleitoral”, escreveu, enunciando que estava respondendo questionamentos sobre a atuação da SES (Secretaria de Estado da Saúde) na campanha eleitoral de 2020.

“Atuaremos na #campanha? Sim. Inclusive atendendo recomendação do #TRE e da Procuradoria Regional Eleitoral, publicaremos normativo sobre atos de campanha”, continuou.

No sábado 12, mostrou o ATUAL7, Carlos Lula participou da convenção partidária do PT em Coroatá, que oficializou a candidatura de reeleição do prefeito Luis Amover Filho. No evento, que aglomerou milhares de pessoas, o titular da SES se aglomerou, abraçou diversos participantes e ainda dançou e discursou sem máscara. Na mesma data, poucas horas antes, ele havia usado o Twitter para reclamar da população por ignorar o uso de máscara como proteção contra o novo coronavírus.

A aglomeração e o descumprimento ao uso obrigatório de máscara por Lula violaram a Portaria nº 55, da Casa Civil, editada em agosto, que permite a realização apenas de eventos no estado por causa da pandemia, com no máximo 100 pessoas e seguindo regras de distanciamento seguro. Também houve violação aos decretos estaduais nº 35.831, de maio, e nº 36.045, de agosto, editados pelo governador Flávio Dino (PCdoB), que tratam de medidas sanitárias destinadas à contenção do novo coronavírus.

Irritado com a divulgação da desobediência às normas, Carlos Lula debochou da cobertura que vem sendo feita pela imprensa sobre o caso. Sem citar nomes, insinuou perseguição de veículos de comunicação por causa das eleições, e disse, sem informar se fazia referência à participar de eventuais novas aglomerações ou à deixar os cargos na SES e no Conass, que não pretende se desligar.

“Quanto à espuma recente de certa #emissora e seus #aliados, infelizmente, apenas a prova que a campanha realmente começou. Se #enganam achando que vão me afastar”, publicou.