Eleições 2020
Coronavírus: Madeira propõe adiamento das eleições e prorrogação de mandatos
Política

Pré-candidato a prefeito de São Luís pelo Solidariedade sugeriu que pleito de outubro seja realizado em 2021

O ex-juiz federal Carlos Madeira, pré-candidato a prefeito de São Luís pelo Solidariedade, defendeu em sua conta no Instagram, a suspensão das eleições de 2020 por conta pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Para o prefeiturável, o pleito marcado para outubro próximo deveria realizado apenas em 2021, e os mandatos dos atuais prefeitos e vereadores prorrogados.

“Acho prudente a completa reformulação do calendário eleitoral, com a suspensão das eleições deste ano. Esse assunto somente poderá ser tratado por norma constitucional, mas uma Emenda à Constituição pode ser encaminhada ao Congresso para modificar a Constituição Federal e prorrogar os mandatos dos atuais prefeitos e vereadores por 6 meses”, publicou.

Seguindo o entendimento de parlamentes do Congresso Nacional, Madeira defendeu também que os recursos do Fundo Eleitoral de 2020 sejam realocados para uso no combate a Covid-19.

“Sou favorável, também, à realocação dos recursos de fundo partidário para os órgãos de saúde do País. Neste momento dramático vivido pelo País, todos os esforços e recursos financeiros devem ser voltados para proteger a saúde das pessoas, sobretudo das pessoas mais pobres”, completou.

Por precaução ao coronavírus, Jeisael suspende agenda de pré-campanha em comunidades
Política

Medida foi divulgada nas redes sociais pelo pré-candidato a prefeito de São Luís

O pré-candidato a prefeito de São Luís Jeisael Marx (Rede) decidiu suspender todas as atividades de pré-campanha em comunidades da capital. A medida foi divulgada pelo prefeiturável nas redes sociais, na noite dessa segunda-feira 16, como precaução ao coronavírus (Covid-19).

“Em razão das ações de prevenção contra o coronavírus no Maranhão, estamos suspendendo por 15 dias nossas atividades de reuniões e palestras nas comunidades de São Luís. Pedimos desculpas aos moradores dos diversos bairros que já tinham datas agendadas para nos receber”, publicou.

É o primeiro postulante ao Palácio de La Ravardière a adotar a medida preventiva.

Apesar do Maranhão, até o momento, segundo a SES (Secretaria de Estado da Saúde), não haver registrado caso de teste positivo para coronavírus, de acordo com órgãos nacionais e internacionais de saúde, a orientação é evitar aglomerações.

Com Cricielle Muniz, São Luís pode ter duas mulheres disputando a prefeitura
Política

Bacharela em Direito integra o Diretório Nacional do PT. Detinha, do PL, já confirmou pré-candidatura

Embora ainda majoritariamente composta por homens, a disputa pela prefeitura de São Luís em 2020 pode ter duas mulheres como opção de voto.

Há cerca de uma semana, a bacharela em Direito Cricielle Muniz, membro do Diretório Nacional do PT, colocou o nome à disposição do partido, que decidiu ter candidatura própria na capital.

Feminista, ela concorre internamente pela unção da legenda contra quatro homens: o deputado federal Zé Carlos, o deputado estadual Zé Inácio, o presidente da MOB (Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos) Lawrence Melo e o vereador de São Luís Honorato Fernandes.

Antes na petista, confirmou pré-candidatura a deputada estadual Detinha (PL). Ela foi prefeita de Centro do Guilherme, entre 2009 a 2016.

Os demais pré-candidatos a prefeito de São Luís, todos homens, são: Yglésio Moyses (Pros), Neto Evangelista (DEM), Wellington do Curso (PSDB), Adriano Sarney (PV), Duarte Júnior (Republicanos), Bira do Pindaré (PSB), Eduardo Braide (Podemos), Franklin Douglas (PSOL), Carlos Madeira (SD), Jeisael Marx (Rede) e Rubens Júnior (PCdoB).

Em ano eleitoral, Eudes Sampaio quer empréstimo de R$ 20 milhões
Política

Prefeito de São José de Ribamar tentará a reeleição em outubro

O prefeito de São José de Ribamar, Eudes Sampaio (PTB), quer o aval da Câmara de Vereadores do município para contrair R$ 20 milhões em empréstimo em pleno ano eleitoral.

Vice dos ex-prefeitos Gil Cutrim em 2012 e de Luis Fernando Silva em 2016, Eudes Sampaio virou prefeito em março do ano passado —com a renúncia de Luis Fernando para encastelar-se no Palácio dos Leões sob Flávio Dino (PCdoB)—, e tentará a reeleição em outubro próximo.

De acordo com a mensagem encaminhada pelo gestor ao Legislativo ribamarense, o objetivo é empregar o dinheiro na qualificação viária da cidade, por meio de obras de pavimentação, drenagem superficial, sinalização, construção ou regularização de calçadas e paisagismo.

Se aprovada a autorização para a linha de crédito, o empréstimo seria tomado junto à CEF (Caixa Econômica Federal), com a prefeitura pagando R$ 1,2 milhão anualmente, apenas em juros, durante duas décadas.

Ataque de Duarte a Rubens Júnior ameaça apoio do PCdoB a Brandão em 2022
Política

Pré-candidato do Republicanos passou a mirar em comunista para fazer parecer que é anti-sistema. Traição conta com silêncio do vice-governador

A série de ataques do deputado estadual e pré-candidato a prefeito Duarte Júnior (Republicanos) ao seu próprio grupo político, com o objetivo de se fazer parecer anti-sistema e surfar na onda do oposicionista e líder absoluto nas pesquisas Eduardo Braide (Podemos), passou a ameaçar as articulações eleitorais entre o PCdoB e o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos), sucessor natural de Flávio Dino em 2022.

Na última segunda-feira 9, pressionado em entrevista à TV Difusora pelo vazamento de mensagens de grupos de Telegram atribuídas a ele —com conteúdos que apontam para liderança sobre supostas milícia virtual e rede de fakes, homofobia, gordofobia, assédio moral e censura à imprensa—, Duarte Júnior perdeu o controle e alfinetou o deputado federal licenciado e secretário estadual Rubens Pereira Júnior (Cidades e Desenvolvimento Urbano), pré-candidato do PCdoB ao comando da capital. Dias antes, também em possível referência a Rubens Júnior, e embora filho político adotivo do governador Flávio Dino (PCdoB), já havia criticado o filhotismo político.

“Eu sou ficha limpa. Eu não sou candidato porque meu pai é ficha suja e eu sou plano B”, disse o pré-candidato do Republicanos.

Embora não seja ficha suja, de fato, Rubens Júnior entrou na política em 2006 após o seu pai, o ex-deputado estadual Rubens Pereira, o Rubão, tornar-se inelegível por condenação no TCU (Tribunal de Contas da União).

Ao atacar o comunista, porém, além trair seu antigo partido, Duarte Júnior começa a criar obstáculos para Brandão nas negociações eleitorais com o PCdoB, o que favorece o senador Weverton Rocha (PDT), também aliado de Dino e principal adversário do vice-governador na sucessão do Palácio dos Leões.

A avaliação é de integrantes do próprio PCdoB, ouvidos pelo ATUAL7 sob condição de anonimato.

Segundo eles, como não freia o destempero e ataques de Duarte Júnior, principalmente os agora concentrados em Rubens Júnior, há um clima de incerteza no partido em relação a Carlos Brandão.

A ameaça a Brandão como resposta ao estilo desagregador de seu correligionário chegou também à Assembleia Legislativa. Na última quarta-feira 11, a maioria esmagadora da Casa mostrou-se avessa a Duarte Júnior, em apartes em massa a um discurso do deputado Wellington do Curso (PSDB), que faz oposição ao governo de Dino.

Indignados com a traição de Duarte Júnior a Rubens Júnior, todos os parlamentares governistas presentes na sessão legislativa —Hélio Soares (PL), Rigo Teles (PV), Yglésio Moyses (Pros), Cleide Coutinho (PDT), Roberto Costa (MDB), Antônio Pereira (DEM), Helena Duailibe (SD) e Rildo Amaral (SD)— criticaram o pré-candidato a prefeito pelo Republicanos.

“Rubens enfrentou Temer, defendeu o povo do Maranhão. Lamento que Duarte Júnior, que sempre pode contar com os aconselhamentos de Rubens Pereira, tenha atacado de maneira vil e por conta de uma eleição, uma pessoa a quem ele sempre pediu apoio. Para mim, trata-se de comportamento de gente sem caráter e covarde mesmo”, declarou Yglésio, também pré-candidato a prefeito de São Luís.

Fiel a Flávio Dino, apesar da avalanche criada por seu afilhado, até o momento, Carlos Brandão parece pouco se importar com os ataques de Duarte Júnior ao seu próprio grupo político. Silêncio que, se perdurar, pode passar a ser entendido como aval.

Edivaldo anuncia três mudanças no secretariado devido às eleições
Política

Ivaldo Rodrigues, Canindé Barros e Rommeo Amim deixam os cargos para disputar vaga de vereador

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), anunciou nas redes sociais, nessa sexta-feira 6, a mudança no comando de três secretarias municipais.

A saída deles, conforme ressaltou o pedetista, se dá em cumprimento à legislação eleitoral, que exige a desincompatibilização de ocupante de cargo público, até 4 de abril, para disputar as eleições de 2020.

Deixam os cargos Ivaldo Rodrigues (Agricultura, Pesca e Abastecimento), Canindé Barros (Trânsito e Transportes) e Rommeo Amim (Esportes e Lazer).

Os nomes dos substitutos ainda não foram informados por Edivaldo.

PTC, de Holandão, fecha apoio a Duarte Júnior em São Luís
Política

Anúncio oficial será feito no próximo dia 10

O PTC, que tem entre seus filiados o deputado estadual Edivaldo Holanda, o Holandão, pai do prefeito do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), fechou apoio à pré-candidatura de Duarte Júnior (Republicanos) a prefeito de São Luís em 2020.

O anúncio oficial será feito no próximo dia 10, segundo material divulgado pela assessoria de Duarte, em evento no Pátio Jardins.

A princípio, apurou o ATUAL7, apenas o partido, com cerca de 40 pré-candidatos a vereador, está firmando aliança com o pré-candidato a prefeito do Republicanos.

Atualmente, o PTC é presidido no Maranhão pelo ex-deputado estadual Júnior Verde, irmão do deputado federal e presidente estadual do Republicanos, Cléber Verde. Foi pelo partido que Edivaldo Júnior se elegeu pela primeira vez, como vereador, em 2004, e pelo qual se consagrou prefeito da capital na eleição de 2012.

Começa nesta quinta janela partidária para quem vai disputar eleições em 2020
Política

Vereadores que serão candidatos poderão mudar de partido sem punições

Vereadores que pretendem disputar a reeleição ou a prefeitura nas eleições deste ano podem mudar de partido sem sofrerem nenhuma punição da legenda a partir desta quinta-feira 5, quando será aberto a chamada janela partidária, mostra publicação da Agência Brasil desta segunda-feira 2.

Elaborada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), órgão responsável pela organização das eleições, o prazo termina no dia 3 de abril, seis meses antes do pleito. O primeiro turno será realizado em 4 de outubro e o segundo turno no dia 25 do mesmo mês.

Os candidatos e partidos que vão disputar o pleito precisam seguir outras datas previstas no calendário eleitoral. No dia 4 de abril, todos os partidos que pretendem disputar as eleições devem estar com registro aprovado pelo TSE.

No mesmo mês, o TSE lança uma campanha nas emissoras de rádio e televisão para incentivar a participação das mulheres nas eleições e esclarecer o eleitor sobre o funcionamento do sistema eleitoral.

A Corte deve divulgar em 16 de junho o valor corrigido do FEFC (Fundo Especial de Financiamento de Campanha), criado pelo Congresso. Conforme o orçamento da União, R$ 2 bilhões estão previstos para o fundo.

Em julho, os partidos estão autorizados a promover as convenções internas para escolha de seus candidatos, que deverão ter os registros das candidaturas apresentados à Justiça Eleitoral até 15 de agosto.

No dia seguinte, a propaganda eleitoral está autorizada nas ruas e na internet até 3 de outubro, dia anterior ao primeiro turno.

A partir do dia 19, em setembro, nenhum candidato poderá ser preso, salvo em flagrante. No caso dos eleitores, a legislação eleitoral também proíbe a prisão nos dias próximos ao pleito. No dia 29, eleitores só podem ser presos em flagrante.

A diplomação dos prefeitos e vices, além dos vereadores eleitos, ocorre até 19 de dezembro.

Progressistas e DC fecham apoio a Rubens Júnior em São Luís
Política

Pré-candidato do PCdoB é principal aposta do consórcio do Palácio dos Leões para a capital

O Progressistas (antigo PP) e o DC (antigo PSDC) fecharam apoio à pré-candidatura de Rubens Pereira Júnior (PCdoB) à prefeitura de São Luís. O anúncio deve ser feito nesta sexta-feira 28.

Deputado federal licenciado e secretário de Cidades e Desenvolvimento Urbano do governo Flávio Dino, Rubens Júnior é a principal aposta do consórcio do Palácio dos Leões para a capital.

Com os apoios, o pré-candidato do PCdoB dá os primeiros passos para a montagem da aliança que pode receber ainda o PT e o Cidadania.

Aliado, Yglésio discute com Dino elaboração de plano de governo
Política

Pré-candidato a prefeito de São Luís pelo PROS apresentou ao comunista esboço de propostas e temáticas para o desenvolvimento da capital

O deputado estadual Yglésio Moysés, pré-candidato a prefeito de São Luís pelo PROS, discutiu com o governador Flávio Dino (PCdoB), em reunião no Palácio dos Leões nesta quinta-feria 27, a construção de seu plano de governo.

“Hoje, apresentei ao governador Flávio Dino o nosso plano de governo 2021-2024 em sua versão inicial. O governador será um parceiro nos dois primeiros anos da nossa gestão na Prefeitura de São Luís. Portanto, o diálogo é essencial para construção de um plano sólido e capaz de transformar a realidade dos ludovicenses”, postou Yglésio, nas redes sociais.

“Seguiremos em diálogo com a população, com agentes públicos e políticos, para aperfeiçoar as ideias e construir um modelo de gestão que certamente será vencedor no pleito que se aproxima. Vamos em frente!”, finalizou.

O pré-candidato do PROS é o primeiro, do consórcio de sete pré-candidatos aliados de Dino até o momento anunciados no pleito, a sentar com o governador para pensar em conjunto com o comunista propostas coerentes, integradas e viabilizadas para o desenvolvimento da cidade por meio de políticas públicas factíveis e participativas, e estratégias que propiciem à população da cidade uma qualidade de vida mais adequada e de longo prazo.

Na reunião, entre diversas outras temáticas, a discussão girou principalmente em torno de questões relacionadas à saúde, educação, geração de emprego e renda, meio ambiente e turismo, setor social e mobilidade.

Sem citar nomes, Duarte faz críticas que atingem Rubens Júnior e Neto Evangelista
Política

Alegando estar sendo alvo de ataques, pré-candidato a prefeito de São Luís tem usado redes sociais para publicações contra o filhotismo na política

O deputado estadual e pré-candidato a prefeito de São Luís, Duarte Júnior (Republicanos), desde a semana passada, tem usado as redes sociais para, sem citar nomes, fazer críticas ao chamado filhotismo, política patrimonialista culturalmente instalada no Maranhão, onde filhos e demais parentes herdam mandatos como coisas de família.

Segundo publicou no último dia 21, sob a alegação de que estaria sendo alvo de ataques, “os filhotes do poder estão desesperados”, pois eventual vitória dele nas urnas em outubro “representa o fim desse sistema corrupto e ineficiente”. Quatro dias depois, na terça-feira 25, questionou seus seguidores: “Vocês já observaram como na história da nossa cidade a ampla maioria dos políticos possuem uma linhagem política? Geralmente são filhos, netos, sobrinhos…”, diz a publicação.

Procurado pelo ATUAL7, por e-mail enviado ao seu contato pessoal e de sua assessoria, Duarte Júnior não retornou informando quem seriam os tais “filhotes do poder” e nem quem são os políticos que “possuem uma linhagem política”.

Embora as críticas alcancem o deputado federal Eduardo Braide (Pode), um dos pré-candidatos da oposição e líder de todas pesquisas de intenções de votos, as declarações de Duarte Júnior atingem também, em cheio, pelo menos dois nomes da base de Flávio Dino (PCdoB) na disputa: o deputado federal licenciado e secretário de Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Pereira Júnior (PCdoB), e o deputado estadual Neto Evangelista (DEM).

Os três postulantes ao Palácio de La Ravardière chegaram ao poder por força e articulação de seus respectivos genitores.

Braide, no caso, é filho do ex-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Carlos Braide, que também já o presenteou com a presidência da Caema (Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão) e com o comando da Semop (Secretaria Municipal Extraordinária de Orçamento Participativo) na gestão de João Castelo na capital. Já Rubens Júnior é filho do ex-deputado estadual Rubens Pereira, o Rubão; e Neto Evangelista é filho do também ex-presidente da Alema, João Evangelista, já falecido.

Também procurados, para se posicionarem sobre as críticas ao filhotismo, e se acreditavam que Duarte Júnior se referia de forma velada a eles, Rubens Júnior e Eduardo Braide não retornam o contato. Apenas Neto Evangelista respondeu: “Sugiro perguntar a ele”, disse.

Apesar das fortes críticas feitas nas redes sociais, e de não ter entrado na política por influência do pai biológico, Hildélis Duarte, o pré-candidato a prefeito de São Luís pelo Republicanos possui o pedigree do apadrinhamento, tão tradicional quanto o filhotismo. Atualmente, é afilhado político de quem manda e desmanda no Palácio dos Leões e entorno daquele Poder: o governador Flávio Dino e o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos).

Juraci Guimarães quer apuração sobre possível abuso de poder de Duarte Júnior
Política

Também deve ser investigado se houve propaganda eleitoral antecipada. Parlamentar é pré-candidato a prefeito de São Luís

O procurador regional Eleitoral no Maranhão, Juraci Guimarães Júnior, apresentou pedido aos promotores Eleitorais de São Luís para que apurem possível propaganda eleitoral antecipada e abuso de poder político e/ou econômico em benefício do deputado estadual Duarte Júnior pré-candidato a prefeito da capital pelo Republicanos.

“Foram constatadas várias situações de propaganda eleitoral antecipada a merecer uma forte atuação do Ministério Público Eleitoral. A possibilidade do parlamentar divulgar os atos praticados na sua atividade não fazem com que possa utilizar publicidade cara e ostensiva como outdoor, busdoor, inserções de propaganda em televisão, sob pena de divulgação antecipada vedada, gastos eleitorais indevidos e desequilíbrio em face de outros pré-candidatos que não são parlamentares”, afirma o chefe da PRE-MA.

Pela Lei 9.504/97, a chamada Lei das Eleições, a propaganda apenas poderá ocorrer após 15 de agosto, sendo mesmo depois desse período proibida por meio de outdoor e em ônibus de transporte público.

Para além da apuração da propaganda eleitoral proibida, que pode levar ao pagamento de multa pelo deputado, foi apresentado pedido de investigação de possível abuso de poder econômico e político pela quantidade de propaganda, que pode levar a cassação do registro e perda do mandato.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) considera que o abuso de poder econômico ocorre quando determinada candidatura é impulsionada pelos meios econômicos de forma a comprometer a igualdade da disputa eleitoral e a legitimidade do processo.

O Ministério Público Eleitoral já havia expedido, no dia último dia 10 de fevereiro, uma instrução destinada às Promotorias Eleitorais do Maranhão referente ao período eleitoral do ano de 2020, sobre a proibição de meios de publicidade na pré-campanha eleitoral já vedados na campanha eleitoral regular.

Com Detinha, São Luís passa a ter uma mulher disputando a prefeitura
Política

Deputada confirmou pré-candidatura pelo PL. Ela foi prefeita de Centro do Guilherme, entre 2009 a 2016

Os eleitores de São Luís, capital do Maranhão, passaram a ter uma mulher como opção de voto para a prefeitura nas eleições de outubro. Trata-se de Maria Deusdete Lima Cunha Rodrigues, a Detinha (PL), deputada estadual mais votada nas eleições de 2018, e ex-prefeita do município de Centro do Guilherme, entre os anos de 2009 e 2016.

A pré-candidatura, que já vinha sendo discutida nos bastidores, foi confirmada por ela nesta quarta-feira 19, em entrevista à Rádio Mirante AM.

“A gente sabe o tamanho das demandas que existem. Sou ciente da minha responsabilidade e tenho experiência de gestão. O município é maior, os problemas são maiores, mas os recursos são maiores também. Eu fui gestora de um município pequeno, mas conheço de gestão. Eu aprendi numa gestão que a gente nunca faz administração sozinha”, disse, ressaltando que o presidente do PL no estado, deputado federal Josimar de Maranhãozinho, com quem é casada, já vinha conversando com outros postulantes ao Palácio de La Ravardière e com o governador Flávio Dino (PCdoB).

Os demais pré-candidatos já confirmados são todos homens: Yglésio Moyses (Pros), Neto Evangelista (DEM), Adriano Sarney (PV), Duarte Júnior (Republicanos), Bira do Pindaré (PSB), Eduardo Braide (Podemos), Carlos Madeira (SD), Jeisael Marx (Rede) e Rubens Júnior (PCdoB).

Yglésio contrapõe discurso populista sobre reajuste da passagem de ônibus
Política

Até o momento, pré-candidato do Pros tem sido o único postulante à prefeitura de São Luís a apresentar propostas e a não usar de demagogia ao discutir o tema

Pré-candidato a prefeito de São Luís, o deputado estadual Yglésio Moyses (Pros) elevou o debate sobre o reajuste da passagem de ônibus na capital e, sob enfoque propositivo, contrapôs o discurso populista que vem sendo adotado por todos os demais postulantes ao Palácio de La Ravardière.

Em discurso na Assembleia Legislativa, na sessão dessa segunda-feira 17, Yglésio rebateu adversários no pleito por agirem com demagogia tarifária nas redes sociais, ao sugerirem e até prometem o congelamento ou a redução do preço da passagem de ônibus.

“Ao contrário do que foi propaganda por pessoas extremamente irresponsáveis, inclusive cobrando a redução de ICMS que já existe desde 2015, queremos fazer uma discussão séria sobre essa questão”, declarou.

Após análise criteriosa a respeito os problemas da mobilidade urbana da cidade, Yglésio Moyses propôs a criação de um fundo municipal de transporte, a ser financiado pelo ISS (Imposto sobre Serviços) que seria recolhido das empresas de aplicativos como Uber e 99, que operam na cidade sem pagar tributos. Esses recursos, segundo ele, seriam revestidos em melhoria do sistema de transporte público da capital.

O pré-candidato a prefeito pelo Pros lembrou também que, embora não deva haver leniência na cobrança do concessionário pela qualidade do serviço, os demais postulantes ao cargo devem ser transparentes e parar de esconder do eleitor que, se o reajuste da tarifa não corresponder às cláusulas de equilíbrio econômico-financeiro do contrato de concessão pública, haverá impacto no subsídio dos cofres públicos e, consequentemente, essa conta será repassada para a população em geral, inclusive para quem não utiliza o transporte coletivo de passageiros. Também cobrou que parem de apenas apontar culpados.

“Não serve a ninguém deixar as empresas de transporte quebradas, porque vai desempregar pai e mãe de família, vai reduzir geração de renda, vai dificultar para todos. Precisamos ter esse entendimento. Vão ficar com essa palhaçada na rede social ou apontar como fazer resolver esse problema? Precisamos discutir as coisas na seriedade. A população não aguenta mais mentiras”, ressaltou.

Braide sobre aliança com Edilázio: “Uma São Luís melhor pra se viver”
Política

Pré-candidato a prefeito de São Luís não respondeu questionamentos do ATUAL7 sobre vaga de vice e eventual loteamento de secretarias municipais

O deputado federal e pré-candidato a prefeito de São Luís pelo Podemos, Eduardo Braide, respondeu de forma populista a questionamentos feitos pelo ATUAL7 sobre a aliança fechada, nesta segunda-feira 17, com o colega de bancada e presidente do PSD no Maranhão, Edilázio Júnior.

Perguntado se, para ter o apoio de Edilázio e do PSD, foi oferecido algo em troca, como a vaga de vice na chapa majoritária ou alguma secretaria municipal, Braide saiu-se com a seguinte: “Sim. O compromisso que cada cidadão ludovicense espera: uma São Luís melhor pra se viver”, disse, por meio de sua assessoria.

Novamente perguntado se houve conversas sobre a vice e eventual loteamento de pastas na administração municipal; e qual seu posicionamento em relação às declarações preconceituosas e elitistas de Edilázio Júnior sobre a classe C circular na Península da Ponta d’Areia, o pré-candidato não retornou mais o contato.

Também questionado pelo ATUAL7, o presidente do PSD no Maranhão negou que tenha havido qualquer conversa sobre a vaga de vice-prefeito ou de secretarias na prefeitura, em troca da aliança. “Não”, disse Edilázio Júnior, completando, mas sem detalhar, que entre eles há “afinidade”.

Sobre as manifestações preconceituosas e elitistas, à época das declarações, Edilázio emitiu nota em que diz ter sido mal interpretado, e pediu desculpas a quem se sentiu ofendido.

Eduardo Braide fecha aliança com PSD de Edilázio Júnior em São Luís
Política

Novo aliado posicionou-se de forma extremamente elitista e preconceituosa no ano passado, durante encontro com moradores da Península da Ponta d’Areia

O deputado federal Eduardo Braide (Pode) divulgou, nesta segunda 17, nas redes sociais, que fechou aliança com o PSD para apoio à sua pré-candidatura a prefeito de São Luís.

“A nossa pré-candidatura está cada vez mais forte! Agora já somos três partidos: PODEMOS, PMN e PSD. Agradeço a confiança do deputado Edilázio Júnior e o apoio do vereador Cézar Bombeiro, que fortalecem o nosso projeto para São Luís. Bem-vindo, PSD! Vamos em frente!”, publicou, sem detalhar se foi acordado algo em troca do apoio, como a vaga de vice na chapa majoritária ou alguma secretaria municipal.

Apesar do super bônus do tempo de propaganda eleitoral e dos recursos públicos custeados pelos fundos partidário e eleitoral, a aliança com o PSD traz também um pesado ônus.

Em abril ano passado, durante encontro com moradores da Península da Ponta d’Areia, considerada a área mais nobre e cara da capital maranhense, o presidente da legenda no Maranhão, Edilázio Júnior, posicionou-se de forma extremamente elitista e preconceituosa. No local, o Governo do Maranhão pretende construir o Cais Flutuante São Luís-Alcântara, nas proximidades do Iate Clube.

Contrário a instalação do projeto no local, o novo aliado e apoiador da pré-candidatura de Eduardo Braide declarou em tom alarmante aos presentes que, se a obra for construída onde pretende o governo, passarão a circular na Península não apenas pessoas da elite econômica local, mas também da classe C.

“Na imagem [o projeto] é muito bacana, é muito bonito. Se fosse aquilo ali, ia ser muito bacana, que cada um podia ter a sua lancha, podia ter o seu barco, seria algo a mais para agregar à Península da Ponta d’Areia, mas que de fato, o que vai trazer e o público que vai vir pra cá é um público que não tem nada a ver com vocês, que não tem nada a ver com a gente e, sem desmerecer, que não entendam mal, mas o que vai vir pra cá é o público C”, declarou.

Em outros trechos do discurso, Edilázio também se posicionou contra a circulação de moto-táxis, carrinhos lotação e vans na região.

Como esse posicionamento preconceituoso e elitista de seu novo apoiador fornecem seu projeto para São Luís, e se foi oferecido algo em troca dessa aliança, são questões que Eduardo Braide precisa responder.

Yglésio é confirmado pré-candidato a prefeito de São Luís pelo Pros
Política

Anúncio foi feito nas redes sociais, em vídeo gravado em frente ao Palácio de La Ravardière

O deputado estadual Yglésio Moysés foi confirmado como pré-candidato a prefeito da capital pelo Pros. O anúncio foi feito nas redes sociais, em vídeo gravado por ele e o presidente do partido no Maranhão, deputado federal Gastão Vieira, na Praça Dom Pedro II, Centro, em frente ao Palácio de La Ravardière, sede da Prefeitura de São Luís.

“Seguiremos discutindo São Luís de maneira séria, técnica, sem embromação, sem mentir pro povo, sem falar besteira pra ganhar votos e com soluções verdadeiras para a cidade que a gente tanto ama.”, disse Yglésio.

“Como presidente estadual do Pros, quero comunicar os filiados, a todos do partido e população que temos candidato a prefeito de São Luís, que é o deputado Dr. Yglésio”, disse Gastão Vieira.

Com o partido garantido, o pré-candidato abre espaço agora para formação de alianças.