Santa Helena
Convenção do PPS homologa a candidatura de Dr. Lobato à reeleição em Santa Helena
Política

Quase 4 mil pessoas participaram da festa da convenção. Coligação conta com PDT, PSB, PSDB, PT, PCdoB e PPS

O Partido Popular Socialista (PPS) oficializou, na última quarta feira 3, a candidatura de reeleição de João Jorge Lobato, o Dr. Lobato (PPS), a prefeito de Santa Helena. O vice será novamente José Fernando Ferreira da Silva, o Fernando Crente (PCdoB), repetindo a chapa vitoriosa de 2012 que varreu a oligarquia Pavão do município.

Em seu discurso, Dr. Lobato agradeceu o apoio de sua equipe, parceiros, aliados e as novas adesões ao seu grupo político, conhecido na região como Nação 23. O pré-candidato a prefeito de Santa Helena também destacou os avanços de sua gestão, como o de ter tirado o município da inadimplência e transformado escolas de taipa, deixadas pela gestão anterior, em escolas de alvenaria, e reassumiu o compromisso de lutar cada vez mais pelo desenvolvimento e avanço do município.

“Dia e noite eles [integrantes do clã encabeçado pelo presidente do TCE-MA, Jorge Pavão] me atacam nas rádios e televisão. Mostram escolas de taipa, mas esquecem dizer que se em Santa Helena ainda existem escolas de taipa foram eles que deixaram, e eu estou reconstruindo todas de alvenaria com piso e cerâmica. Na minha gestão estou deixando escolas climatizadas e moralizando o transporte escolar. Foram muitas conquistas e realizações, mas sei que falta muito a fazer e juntos mais uma vez a Nação 23 chegará a vitoria”, declarou.

Estiveram presentes diversas lideranças políticas da cidade e região, além dos deputado estadual Zé Inácio (PT), Waldir Maranhão (PP) e Cabo Campos (DEM). Durante na convenção foram apresentados ainda os novos pré-candidatos do grupo ao legislativo municipal e os que concorrem à reeleição. Forte, a base de reeleição Dr. Lobato é composto pelo PDT, PSB, PSDB, PT, PCdoB e PPS. A chapa de reeleição conta ainda com o apoio de movimentos sociais e igrejas evangélicas e católicas.

Segundo a Polícia Militar, quase 4 mil pessoas participaram do evento, sendo cerca de mil acompanhando do lado de fora da escola Maria Tereza  Carvalho Weba, onde foi realizado a convenção.

Baixo público e infidelidade partidária marcam convenção de testa de ferro
Política

Presidente do TCE-MA tenta voltar ao comando da cidade por meio de Zezildo Almeida. Ele conta com a ajuda do vice-presidente da AL-MA

O baixo comparecimento da população e de representatividade política marcou a convenção que oficializou a candidatura de Zezildo Almeida (PTB) a prefeito de Santa Helena como testa de ferro do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão, João Jorge Jinkings Pavão.

No comando das cofres do município de Santa Helena por oito anos consecutivos por meio de sua mulher, a ex-prefeita Maria Helena Pavão, o presidente do TCE-MA tenta retornar o controle e fazer da cidade uma especie de feudo eleitoral já nas eleições de outubro próximo. Inicialmente, o plano era lançar a própria esposa, mas a onda de denúncias contra sua gestão no órgão fiscalizador, como a de ter empregado o filho do vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão, acabou obrigando Pavão a retirá-lo do foco e recorrer ao nome do testa de ferro.

Realizada na tarde do último sábado 30 em uma casa de eventos em frente à Praça da Bandeira, no Centro do município, a convenção reuniu cerca de 300 pessoas, entre adultos e crianças, tendo mais balões que populares  no local.

Apesar do nome do clã Pavão para as eleições de Santa Helena neste ano ser o de Zezildo, as palavras de agradecimento e engradecimento dos poucos políticos presentes foram todas direcionadas à Helena.

Infidelidade partidária

Além do envolvimento político do presidente do TCE-MA na eleição, chamou também a atenção a presença do vice-presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB). Ocorre que, embora a candidatura de Zezildo seja uma forma da oligarquia Sarney tentar renascer em Santa Helena, Othelino mostrou-se bem a vontade no evento, inclusive chegando a declarar que estava no local representando o governador Flávio Dino (PCdoB).

O comunista não se viu nenhum pouco constrangido, por exemplo, ao posar para fotos abraçado ao lado da mulher de Jorge Pavão e do deputado federal Victor Mendes (PSD), de quem no município de Pinheiro é, juntamente com o seu pai Filuca Mendes (PMDB), inimigo histórico.

Para populares ouvidos pelo ATUAL7, a presença do vice-presidente da AL-MA é uma incoerência grave do partido, já que a principal liderança do PCdoB em Santa Helena, o pastor Fernando Crente, é o atual vice-prefeito da cidade e que pretende a chapa ao lado do prefeito João Jorge Lobato, o Dr. Lobato (PPS). Alguns interpretaram a ação de Othelino como um ato de traição e infidelidade partidária, já que o Dr. Lobato foi o único prefeito da Baixada Maranhense a apoiar Flávio Dino nas eleições de 2014, e conta com o PCdoB em sua coligação.

A descoberta de funcionários fantasmas e contratos suspeitos na Assembleia Legislativa do Maranhão foi levantado por algumas pessoas como o principal motivo para a presença de Othelino Neto da convenção. Elas acreditam que seria uma forma de facilitar a aprovação de contas da Casa pelo TCE-MA. Tudo já estaria articulado entre Jorge Pavão e envolveria ainda o ex-presidente do tribunal, conselheiro Edmar Serra Cutrim.

Mulher do presidente do TCE-MA contrata e lidera pesquisa de instituto fantasma
Política

Contratada pela empresa de Helena e Jorge Pavão é a mesma que apontava a vitória de Mary Guerreiro em 2012. Divulgadores do levantamento com incorreção devem ser multados pela Justiça Eleitoral

Em Santa Helena, município localizado a 115 quilômetros de São Luís, a candidata a prefeita Helena Pavão, mulher do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão, conselheiro Jorge Pavão, lidera pesquisa eleitoral contratada por sua própria empresa e do marido, a Rádio Jorgeana, de CNPJ 01.629.270/0001-29, e divulgada no sábado 23 por um instituto fantasma.

Razão Social e Nome Fantasia da empresa que deu Helena Pavão na liderança de pesquisa é diferente da comemorada pela candidata, que é também a contratante por meio de sua empresa
PesqEle Público/TSE Líder e contratante Razão Social e Nome Fantasia da empresa que deu Helena Pavão na liderança de pesquisa é diferente da comemorada pela candidata, que é também a contratante por meio de sua empresa

Registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o protocolo MA 07813/2016, a pesquisa – que afirma ter entrevistado 505 eleitores entre os dias 18 e 19 de janeiro, ter margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos e intervalo de confiança de 95% – tem como contratada a agência de publicidade e de locação de palcos e imóveis Mape Produções e Publicidade, que tem como Razão Social o nome de sua proprietária, Sônia Maria Silva Lima, com sede em Bacabal. Porém, ao divulgar o resultado da pesquisa que aponta o favoritismo de Helena Pavão para o pleito municipal majoritário, a agência se apresentou com outro nome, o Instituto IMAP – Pesquisa de Opinião Pública, que na Receita Federal não existe, já que o CNPJ 02.348.509/0001-55 pertence a empresa Sônia Maria Silva Lima / Mape Produções e Publicidade.

Devido a incorreção, de não divulgar o nome da contratada para a realização da pesquisa, isto é, o nome Mape Produções e Publicidade e não IMAP - Pesquisa de Opinião Pública, de acordo com o Artigo 10, inciso V, da Resolução n.º 23.453, que dispõe sobre pesquisas eleitorais para o pleito de 2016, tanto a empresa de Sônia Maria Lima como os sites, blogs, rádios e jornais que divulgaram o resultado do levantamento devem ser multados pela Justiça Eleitoral, em valor que vai de R$ 53 mil a R$ 106 mil.

Proprietária da Mape Produções e Publicidade alega que nome da empresa é IMAP – Pesquisa de Opinião Pública,mas não é o que o sistema do TSE e a Receita Federal dizem
Receita Federal Fantasma Proprietária da Mape Produções e Publicidade alega que nome da empresa é IMAP – Pesquisa de Opinião Pública,mas não é o que o sistema do TSE e a Receita Federal dizem

Além da pesquisa registrada sob o protocolo MA 07813/2016, como mostra a imagem na lateral, outras duas pesquisas da Mape Produções e Publicidade para Santa Helena estão no forno, e, assim que divulgadas, devem tirar ou permanecer com a suspeita de que o contratante sempre aparece na liderança, uma com a Rádio Jorgeana novamente como contratante e pagante, e a outra por alguém identificado apenas por Ademar de Souza Paiva.

Visita suspeita

Além da divulgação do resultado da pesquisa com o nome de um instituto que não existe nos registros do TSE, chama a atenção o fato do Sonia Maria Lima e seu esposo, Fernando Braga, terem realizado uma visita ao presidente-conselheiro do TCE-MA em data próxima a da realização da pesquisa.

Questionada pelo Atual7 sobre a visita, Sônia afirmou que ela e o marido estiveram no gabinete de Jorge Pavão apenas para bater fotos, devido à "história" do presidente-conselheiro do TCE-MA. "A gente pediu pra fazer uma foto com o conselheiro, porque o conselheiro é um homem admirável, né? Quem não quer fazer uma foto com o conselheiro?", disse ainda.

A proprietária da Mape Produções e Publicidade mostrou-se ainda surpresa por o nome de sua empresa ser justamente Mape Produções e Publicidade e não Instituto IMAP – Pesquisa de Opinião Pública. Ela alegou que havia solicitado a uma contadora que lhe presta serviços, "há cerca de um ano", a mudança do nome de sua empresa, e que, ainda esta semana, enviará a comprovação de que houve esta solicitação de mudança, e de que o instituto não é fantasma.

Sônia disse ainda que quem procurou sua empresa e pagou pela pesquisa foi o filho do conselheiro, o advogado João Jorge Jinkings Pavão Filho, que seria, segundo ela, diretor da Rádio Jorgeana.

Liderança em pesquisa

Não é a primeira vez que a Mape Produções e Publicidade apresenta resultado de pesquisa com a mulher de um presidente de órgão estadual na liderança.

Em 2012, já divulgando levantamentos eleitorais como o nome fantasma IMAP - Pesquisa de Opinião Pública, a empresa colocou, em todos os resultados tabulados, a então esposa do então presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, Guerreiro Júnior, como vitoriosa para a prefeitura nas urnas de Guimarães.

Terminada as eleições, porém, na contagem dos votos, a votação de Mary Guerreiro mostrou que os resultados apontados pelas pesquisas da Mape eram tão fantasmas quanto o nome que a empresa usa para divulgá-los.