Márcio Jerry
Jerry contradiz entorno de Weverton e diz que PCdoB ainda não definiu apoio para 2022
Política

Declaração desmonta boatos de aliados do pedetista. Uma semana antes, Gleisi Hoffmann também negou que PT havia fechado com o senador para o Palácio dos Leões

O secretário de Cidades e Desenvolvimento Urbano do Maranhão, Márcio Jerry, negou que o PCdoB esteja articulando apoio ao senador Weverton Rocha (PDT) na disputa pelo Palácio dos Leões em 2022, conforme vem intensivamente ventilando o entorno do pedetista.

Segundo afirmou Jerry, até o momento, o partido ainda não se definiu sobre quem apoiar na sucessão do governador Flávio Dino –que está fechado com Carlos Brandão (PSDB)– nas eleições do ano que vem. Também rechaçou que a presença de Weverton em um evento do PCdoB em Barreirinhas tenha relação com eventual formação de aliança.

“Respeitamos o senador Weverton Rocha do mesmo modo que respeitamos o vice-governador Carlos Brandão. São dois legítimos postulantes a candidatura a governador ano que vêm. Debatemos com os dois igualmente. O nosso partido ainda não apontou ainda qual a sua opção para o ano que vem”, disse em entrevista ao jornal O Imparcial.

“Nos sentimos muito honrados com a presença do senador Weverton na 1ª conferência municipal organizada pelo partido em Barreirinhas, onde também estavam representantes do PT, do PL, o vice-prefeito, e representantes de outros partidos de Barreirinhas. De modo que em outros eventos de conferências municipais teremos a presença do vice-governador Carlos Brandão, como teremos a presença da senadora Eliziane Gama (Cidadania) e de tantas outras lideranças do Maranhão, a depender de qual cidade ou região se faz a conferência”, acrescentou.

Márcio Jerry também contradisse o boato de que ocupará a vaga de vice em eventual chapa majoritária, como vem aventando aliados do senador do PDT.

“Disputarei a reeleição para deputado federal”, cravou.

É a segunda vez, em uma semana, que supostos apoios a Weverton Rocha na corrida pelo Palácio dos Leões são desmentidos. Antes, ao ATUAL7, já havia negado fechamento de apoio a deputada Gleisi Hoffmann (PR), presidente do Partido do Trabalhadores.

Governador e vice na chapa de 2022, Brandão e Jerry se reúnem para tratar sobre convênios
Política

Encontro ocorre após Flávio Dino confirmar decisão ao núcleo central do Palácio dos Leões

Fechados como candidatos a governador e vice-governador na chapa em que Flávio Dino (PCdoB) concorrerá ao Senado em 2022, Carlos Brandão (PSDB) e Márcio Jerry (PCdoB) deram mostra pública que deixaram a histórica disputa paroquial de lado, e se reuniram nesta terça-feira 16.

Segundo publicação de ambos nas redes sociais, a conversa girou em torno da celebração de convênios do Governo do Maranhão com prefeituras, agenda municipalista.

O encontro, primeiro tornado público por Brandão e Jerry, ocorre após o ATUAL7 revelar que Dino confirmou ao núcleo central do Palácio dos Leões a formação da chapa majoritária de 2022. O trio articula agora para que a coalização dinista se mantenha unida no pleito do ano que vem.

Brandão retorna ao PSDB com poder de comando e reforça frente ampla contra Bolsonaro
Política

Anúncio ocorre após vice-governador ser confirmado por Flávio Dino como seu candidato ao Palácio dos Leões em 2022

O vice-governador Carlos Brandão voltou ao PSDB, partido onde estava quando se uniu a Flávio Dino (PCdoB), em uma “solução acreana”, para arrancar o Palácio dos Leões do domínio da família Sarney.

Confirmado como candidato de Dino ao governo em 2022 e já na condição de presidente estadual da legenda, Brandão retorna ao partido para tirá-lo das hostes bolsonaristas e reforçar a formação de uma frente ampla contra Jair Bolsonaro no Maranhão, com forte reflexo na política nacional.

O anúncio foi feito pela direção nacional da legenda, nessa quinta-feira 11, e saudado pelo secretário estadual de Cidades e presidente estadual do PCdoB no Maranhão, Márcio Jerry, ambos nas redes sociais.

Jerry tende a ser o vice na chapa encabeçada por Brandão no pleito do próximo ano, que terá Dino como candidato ao Senado, em nova coalização partidária e social.

A “solução acreana”, termo alcunhado por Flávio Dino nas eleições de 2014, se refere à aliança entre PT e PSDB nas eleições de 1998 no Acre. Na ocasião, as duas siglas rivais, de esquerda e direita, conseguiram eleger Jorge Viana (PT) e derrotar o grupo ligado ao ex-deputado Hildebrando Pascoal, preso por chefiar o crime organizado no Acre.

Com a ligação da família Bolsonaro com milicianos, o termo pode ser resgatado, agora nacionalmente, em 2022.

Dino confirma que disputará Senado e assume que Brandão é seu candidato ao governo
Política

Em reunião com núcleo central do Palácio dos Leões, governador deixou transparecer que Márcio Jerry pode ocupar a vaga de candidato a vice-governador na chapa

O governador Flávio Dino (PCdoB) assumiu abertamente, pela primeira vez, que o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) é seu candidato à sucessão ao Palácio dos Leões em 2022. O anúncio foi feito a integrantes do núcleo central do Palácio dos Leões, todos postulantes à Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa do Maranhão, durante reunião na semana passada sobre o pleito do próximo ano.

Estiveram presentes Carlos Lula (Saúde), Rodrigo Lago (Agricultura Familiar), Felipe Camarão (Educação), Rubens Pereira Júnior (Articulação Política), Rogério Cafeteira (Esporte e Lazer), Clayton Noleto (Infraestrutura), Jefferson Portela (Segurança Pública), Márcio Jerry (Cidades e Desenvolvimento Urbano), Simplício Araújo (Indústria e Comércio), Chico Gonçalves (Direitos Humanos e Participação Popular), Júlio César Mendonça (Agerp) e Ednaldo Neves (adjunto da Articulação Política).

Marcelo Tavares (Casa Civil) também participou da reunião, mas não disputará o pleito de 2022 por já ter caminho certo para o TCE (Tribunal de Contas do Estado) na vaga do conselheiro Nonato Lago, que deixa a corte em setembro deste ano, por aposentadoria compulsória.

Segundo relatos feitos ao ATUAL7, Dino externou sobre a importância de, até o próximo semestre, a chapa majoritária e distribuição de partidos e candidatos a deputado federal e estadual já estarem montadas. E disse que voltou a conversar com Weverton Rocha (PDT) sobre a “escolha e unidade” em torno de Carlos Brandão (Republicanos) como candidato único do grupo à sucessão estadual.

Embora também faça parte do grupo de Dino e tenha colocado o nome para a disputa pelo governo em 2022, não foi tratado sobre o fator Josimar Maranhãozinho (PL).

Flávio Dino também confirmou que vai mesmo disputar o Senado Federal, e não mais tentar a Presidência da República, como havia cogitado.

Ainda segundo fontes que participaram do encontro, apesar de forma não incisiva, o governador do Maranhão deixou transparecer que Jerry pode ocupar a vaga de candidato a vice-governador na chapa, e que ele próprio pode voltar a disputar o Palácio dos Leões em 2026. Ainda esse ano, o trio já deve estar caminhado para entrada em novos partidos.

Reclamações de deputados estaduais e federais em relação a ações de secretários pré-candidatos –principalmente Rodrigo Lago, Felipe Camarão e Carlos Lula– também entrou na pauta. Dino, porém, deu aval a todos para que continuem com o “pé no acelerador”, mas com “bom senso”.

Derrotado nas urnas, Marcelo Poeta ganha cargo em pasta de Márcio Jerry
Política

Filiado ao PCdoB, ele vai ocupar a secretaria-adjunta da Secid. Partido é comandado no Maranhão pelo titular da pasta

Em novembro do ano passado, o ex-vereador Marcelo Assad dos Santos, mais conhecido como Marcelo Poeta, foi derrotado nas urnas após não conseguir votos suficientes para se reeleger para a Câmara Municipal de São Luís pelo PCdoB, ficando na primeira suplência, mesmo com a expressiva votação recebida.

Apesar da derrota, ele não ficou desamparado nem virou desocupado, e a questão partidária que o tirou do Palácio Pedro Neiva de Santana –devido ao fim das coligações na eleição proporcional (quando o partido quem recebe as vagas, não o candidato)– pode ter contribuído para seu encastelamento em outro palácio, agora o dos Leões.

Segundo publicação nas redes sociais, feita nesta quinta-feira 11, pelo secretário estadual da Cidades e Desenvolvimento Urbano, Márcio Jerry, Poeta assumirá a secretaria-adjunta da pasta. “Marcelo contribuirá muito com sua experiência política e de gestão”, escreveu o titular da Secid.

Além de chefe do camarada, Márcio Jerry é ainda presidente do PCdoB no Maranhão, partido do governador Flávio Dino.

Como o último DOE (Diário Oficial do Estado) publicado é do dia 9, embora anunciada, a nomeação ainda não foi oficializada.

Poeta, segundo afirmou em contato com o ATUAL7 cerca de 20 minutos após esta publicação, é graduado em gestão pública pela Anhanguera, desde 2015.

Sobre o novo emprego público, disse que contou a experiência adquirida em outras funções que exerceu –embora a grande maioria como assessor.

“Acredito que passa pela experiência de já ter exercido diversas funções administrativas desde 2007, quando fui chefe de gabinete da Semosp, superintendente de relação com a comunicação na Secom, chefe de gabinete na Semed, chefe de Gabinete na CCL, além de ter trabalho por quatro anos e oito meses no Japão, onde a disciplina e responsabilidade fizeram muita diferença”, disse.

Marcelo Poeta disse ainda que tem uma outra visão sobre o resultado das urnas. “Não considero derrota nas urnas alguém que teve 5.195 votos e foi o 14º candidato mais votado da cidade”.

Apesar de articulação contrária, Jerry terá de fazer campanha para Brandão em 2022
Política

Assim como Flávio Dino, secretário de Cidades depende do vice-governador para se manter na vida pública

Em xeque com Flávio Dino (PCdoB), Márcio Jerry (PCdoB) terá de participar e fazer campanha para Carlos Brandão em 2022.

Adversário paroquial de Brandão em Colinas, apesar de tentar evitar o vexame promovendo articulações pró-Weverton Rocha (PDT), assim como Dino, Jerry também precisa de Brandão para se manter na vida pública.

A partir de abril de 2022, é Brandão quem estará no comando do Palácio dos Leões.

Para disputar o Senado, Flávio Dino terá de formar chapa com o hoje vice-governador do Maranhão. E Jerry, apesar das desavenças familiares históricas, para tentar se reeleger deputado federal, obrigatoriamente, terá que seguir o mesmo caminho.

Derrotado em disputa paroquial em Colinas, Jerry dá troco em Brandão na eleição da Famem
Política

Presidente do PCdoB no Maranhão, secretário de Cidades tem dito a aliados em comum com o vice-governador que não tem controle sobre prefeitos do partido

O deputado federal licenciado e agora secretário estadual de Cidades e Desenvolvimento Urbano, Márcio Jerry (PCdoB), tem trabalhado no bastidor contra eventual vitória do vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) na disputa pela presidência da Famem –com vistas às eleições de 2022, quando estará em jogo o comando do Palácio dos Leões.

Em vez de pedidos de votos à chapa representada pelo prefeito Fábio Gentil (Caxias), afilhado de Brandão e preferido de Flávio Dino (PCdoB) no pleito, Jerry tem atuado no bastidor a favor do prefeito Erlânio Xavier (Igarapé Grande), sombra do senador Weverton Rocha (PDT-MA).

Segundo pessoas próximas ao secretário ouvidas pelo ATUAL7, devido ao antagonismo paroquial entre Márcio Jerry e Carlos Brandão em Colinas, as articulações do comunista contra o vice-governador seriam uma espécie de troco.

Em Colinas, Jerry queria forçar um apoio do grupo de Brandão à eleição de sua irmã, Régia Barroso (PCdoB), para a presidência da Câmara do município. Como por lá ele não exerce qualquer autoridade, para evitar que a derrota de bastidor se tornasse pública, ela sequer lançou candidatura, e teve de votar em Dr. Lima (Republicanos), reeleito para o comando da Casa.

Principal e maior da cidade, o grupo de Brandão tem também ignorado as investidas de Jerry para que o seu irmão, João Haroldo (PCdoB), atualmente vice-prefeito, controle metade da gestão municipal de Valmira Miranda (Republicanos) e seja eleito para o comando do município nas eleições de 2024.

Como Flávio Dino saiu de férias e deixou Carlos Brandão no exercício do comando do Palácio dos Leões em meio à eleição da Famem, para não ser acusado de estar fazendo jogo duplo, quando questionado por aliados em comum, tem dito que não tem controle sobre os prefeitos do PCdoB, e que mais da metade dos gestores comunistas seguem a orientação do presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), este abertamente em campanha a favor da eleição de Erlânio.

Dino anuncia Jerry na Secid e outras três mudanças no governo, visando 2022
Política

Movimentação faz parte da revisão de alianças prometida pelo governador, após ser traído e derrotado nas eleições municipais em São Luís

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou, nesta quarta feira 30, o retorno do deputado federal e presidente do PCdoB no Maranhão, Márcio Jerry, ao Executivo estadual. Conforme antecipou o ATUAL7 há quase duas semanas, ele vai assumir a Secid (Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano), a partir de janeiro próximo.

Também foram anunciadas outras três mudanças: o deputado federal Rubens Pereira Júnior vai para a Secap (Secretaria de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos –e não já para a Articulação Política, como antecipadamente divulgado pelo comunista); Rodrigo Lago assume a SAF (Secretaria de Estado da Agricultura Familiar); e Júlio Mendonça a presidência da Agerp (Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão).

Todos também são do PCdoB.

Outras mudanças estão previstas para acontecer ainda em janeiro do ano vem, a serem conduzidas pelo vice-governador Carlos Brandão (Republicanos), que assumirá o controle do Palácio dos Leões, sob supervisão remota do governador, durante férias de Dino. Há previsão, inclusive, de que já ocorra uma minirreforma administrativa, com desmembramento da Comunicação da Secap, por isso a sinalização de Dino em já divulgar a pasta como Articulação Política.

Com o retorno de Márcio Jerry e Rubens Júnior ao Governo do Maranhão, na Câmara dos Deputados assumirão as vagas os suplentes Gastão Vieira (PROS) e Dr. Elizabeth Gonçalo (Republicanos) –o que, com o gesto, protege um ajuste eleitoral articulado por Brandão com o líder político e prefeito reeleito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PMN).

A movimentação faz parte da revisão de alianças prometida por Flávio Dino no mês passado, após ser traído por quem se dizia aliado e derrotado em São Luís, visando as eleições de 2022. Ele ainda não decidiu, contudo, se vai mesmo retirar do governo o controle de pastas dos infiéis, pois precisa manter a coalização política para daqui a dois anos disputar novo cargo eletivo.

O governador deve tentar o Senado Federal, por falta de peso político e eleitoral para se aventurar na disputa pela sonhada Presidência da República. Jerry e Rubens buscarão a reeleição para a Câmara. Já Rodrigo Lago e Júlio Mendonça, vaga na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Flávio Dino analisa colocar Márcio Jerry na Secid ou Sedes
Política

Segundo apurou o ATUAL7, oferta tem como objetivo viabilizar a reeleição do comunista à Câmara dos Deputados em 2022

O governador Flávio Dino (PCdoB) ainda não bateu o martelo, mas já analisa pelo menos duas opções para a volta do deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) ao Governo do Maranhão, a partir de janeiro de 2021.

Segundo fontes próximas a Dino, a mais cotada é a Secid (Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano), atualmente já sob o PCdoB, e a segunda a Sedes (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social), ainda comandada pelo PDT.

Ao ATUAL7, Jerry negou indicação para qualquer pasta, e disse que não houve qualquer conversa entre ele e o governador sobre retorno ao Executivo estadual. “Assunto até aqui no desejo das especulações”.

Ele garantiu, contudo, que está pronto para caso Flávio Dino o chame novamente para o governo. “Tudo é possível e nada ainda é certo. Estou, como sempre, à disposição para qualquer missão que me for confiada pelo governador e nosso partido”.

O retorno de Jerry ao Governo do Maranhão, ainda segundo apurou o ATUAL7, tem como objetivo viabilizar a reeleição do presidente do PCdoB no estado à Câmara dos Deputados em 2022, por meio de extensa agenda de trabalho.

Caso a oferta para ocupar a Secid seja aceita pelo comunista, ao deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos), que, segundo rumores, poderia assumir a pasta no próximo ano, sobrará a indicação para a Sedes. Nas eleições de 2022, ele também deve disputar uma vaga na Câmara Baixa, em Brasília.

À mudança do secretariado do primeiro escalão do Palácio dos Leões, Flávio Dino somará uma revisão de alianças visando o próximo pleito, já anunciada no Twitter pelo governador, provocada pela traição de aliados –principalmente dos presidentes estaduais do PDT (Weverton Rocha), DEM (Juscelino Filho) e PTB (Pedro Lucas)– no segundo turno da disputa pela prefeitura de São Luís.

A 11 dias da eleição, secretários do governo Dino entram abertamente na campanha de Rubens Júnior
Política

Entrada foi anunciada em tom institucional pelo coordenador da campanha do PCdoB à prefeitura de São Luís, Márcio Jerry. Ato pode caracterizar abuso de poder político

Pela Lei das Eleições, agentes públicos, servidores ou não, não pode ser cedidos e nem usar de seus serviços para comitês de campanha eleitoral de candidato, durante o horário de expediente normal, salvo se o servidor ou empregado estiver licenciado. O que passar disso, pode ser enquadrado como abuso de poder político do candidato, com objetivo de afetar a igualdade de oportunidades entre os concorrentes ao pleito.

Nesta quarta-feira 4, faltando 11 dias para as eleições municipais de 2020, dezenas de secretários estaduais e dirigentes de órgãos do governo de Flávio Dino (PCdoB) sujeitaram-se à crítica e ao escrutinamento público e participaram abertamente de ato eleitoral em prol da candidatura de Rubens Pereira Júnior à prefeitura de São Luís.

No Twitter, o deputado federal Márcio Jerry, coordenador da campanha comunista ao Palácio de La Ravardière, em tom institucional, identificou os participantes como detentores de cargos no Poder Executivo estadual, não como cidadãos comuns.

“Time forte reuniu hoje para reforçar a campanha Rubens prefeito de São Luís. Secretários e dirigentes de órgãos do governo Flávio Dino na campanha rumo ao segundo turno. À vitória!”, publicou, em ato que pode caracterizar abuso de poder.

Embora não tenha o apoio declarado do governador do Maranhão, Rubens Júnior é do PCdoB, partido de Dino e de Jerry.

Procurado, Márcio Jerry disse ao ATUAL7 que o ato eleitoral foi realizado fora do horário de expediente.

“Reunião das 12:30 às 13:30 h. Todos cidadãos e cidadãs no gozo pleno dos direitos políticos. Todos fora do ambiente de trabalho”, garantiu, completando: “São cidadãos e cidadãs que integram um governo. Sem forçar a barra pra achar erro fica fácil entender a normalidade e legalidade da reunião”.

Confrontado sobre haver declarado os participantes do ato como “secretários e dirigentes de órgãos estaduais”, e não como “cidadãos”, Jerry ironizou: “Tá serto”. Novamente confrontado, justificou que estava apenas brincando.

Após a insistência do ATUAL7, alegou que “a referência [aos cargos no governo estadual], obviamente, é à ação deles como cidadãos e cidadãs que são e não agindo como secretários e dirigentes”.

Perguntado sobre a atuação dos “secretários e dirigentes de órgãos estaduais” na campanha eleitoral, Márcio Jerry respondeu que será fora do horário do expediente, e disse que “alguns vão tirar férias a que fazem jus”. Questionado sobre quais, porém, não soube afirmar.

“Aí não sei. Alguns vão tirar, mas não sei quem nem quando. E todos só atuarão na campanha nos limites do que é legalmente permitido”, garantiu.

Também procurado para se posicionar a respeito do assunto, o Governo do Maranhão ainda não enviou resposta.

Oito deputados do MA tentaram barrar votação de projeto que dobra pena de corrupção na pandemia
Política

Proposta aprovada pela Casa se estende a todos os crimes contra a administração pública. Lula Fylho e outros casos retroativos não seriam atingidos

A Câmara dos Deputados aprovou, nessa terça-feira 1º, em votação simbólica, projeto de lei que dobra a pena para corrupção e outros crimes contra a administração pública ligados ao desvio de verbas destinadas ao enfrentamento ao estado de calamidade pública —caso da atual pandemia do novo coronavírus. O texto será enviado agora ao Senado Federal.

O projeto é assinado por diversos deputados, mas nenhum do Maranhão.

Durante a sessão, os deputados Cléber Verde (Republicanos-MA), Edilázio Júnior (PSD-MA), Hildo Rocha (MDB-MA), João Marcelo Souza (MDB-MA), Josimar Maranhãozinho (PL-MA), Márcio Jerry (PCdoB-MA), Pedro Lucas Fernandes (PTB-MA) e Zé Carlos (PT-MA) chegaram a votar a favor do requerimento da Bancada do PL, pela retirada do projeto da pauta de votação.

Já durante a votação de uma subemenda substitutiva, aprovada no Plenário, que dobrou a pena para os crimes de estelionato e falsidade ideológica, dos 18 parlamentares da Bancada do Maranhão, apenas de Márcio Jerry e Zé Carlos votaram contra.

Se a proposta foi aprovada no Senado e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a lei, por ser de caráter penal, não poderia ser aplicada a casos retroativos de eventual condenação, como o do ex-secretário municipal de Saúde de São Luís, Lula Fylho, alvo da Cobiça Fatal, deflagrada pela Polícia Federal em junho, nem dos secretários municipais de Santa Rita, Bacabeira e Miranda do Norte, alvos da Operação Falsa Esperança, também da PF, todos por suspeita de irregularidades com o dinheiro destinado ao enfrentamento à Covid-19.

Jerry ataca Wellington por cobrar leitos abertos por Dino apenas nas redes sociais
Política

Deputado estadual passou a ser atacado por governistas após exigir transparência do governo no enfrentamento à pandemia

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) usou o Twitter para atacar o deputado estadual Wellington do Curso (PSDB), nesta quarta-feira 29, após irritar-se com a repercussão negativa causada ao Palácio dos Leões devido às cobranças do tucano ao governador Flávio Dino (PCdoB) por divulgar abertura de leitos de UTI e clínicos para Covid-19 que, até o momento, só existem nas redes sociais.

Sem citar o motivo de sua ira e nem em que ocasião o parlamentar estadual teria faltado com a verdade, Jerry disse que Wellington está sendo oportunista e desumano, e que estaria mentindo. Em descontrole, chamou Wellington do Curso de “verme”.

“O @GovernoMA num esforço gigantesco contra os efeitos do coronavírus. Gov @FlavioDino e sec @carloselula lutando incansavelmente para salvar vidas. Enquanto isso uma espécie de verme desprovido de valores humanitários faz ataques e mente. Este é o caso do dep Welington (sic!) do Curso. Gov Flávio Dino todos os dias tem conclamado a sociedade a cumprir as recomendações dos médicos e a todas as autoridades a se unirem no mesmo objetivo : salvar vidas de pessoas afetadas pela COVID 19. Mas indiferente a isso, infelizmente há adeptos da necropolítica em ação”, publicou.

“É abjeto o político que de forma oportunista quer tirar proveito de uma tragédia. Quem age assim revela-se cruel e desumano; um verme político Chega !Nesta hora grave é preciso denunciar os que se associam ao coronavírus contra toda a sociedade;que se juntam à morte contra a vida”, completou.

Há cerca de duas semanas, Wellington tem feito fiscalizações in loco em UPAs na capital, constando e mostrando à população que, apesar de Flávio Dino divulgar que novos leitos estão sendo disponibilizados para pessoas infectadas pelo novo coronavírus, pacientes estão tendo atendimento negado nas unidades devido à falta de vagas.

Pelo descontrole demonstrado no Twitter, Jerry não tem gostado da atuação do deputado estadual.

A mesma irritação já havia sido observada no secretário Carlos Lula (Saúde), que não suportou as cobranças por transparência e, sem citar o deputado, também partiu para cima de Wellington.

Gastão e Jerry saem em defesa de ex-prefeito preso por desvio de verbas, peculato e fraude
Política

Para deputados, Francisco Pestana ‘nunca teve atitudes que desabonassem a sua conduta’. Prisão de ex-gestor de Cururupu ocorreu após três sentenças condenatórias transitadas em julgado

Os deputados federais Gastão Vieira (PROS) e Márcio Jerry (PCdoB) usaram o Twitter, no último sábado 7, antevéspera da data em que é comemorado o Dia Internacional Contra a Corrupção, dia 9 de dezembro, para defender o ex-prefeito de Cururupu, José Francisco Pestana.

Com três sentenças condenatórias transitadas em julgado, o ex-gestor foi preso pela Polícia Civil do Maranhão no mês passado, para cumprimento de penas que chegam a quase 19 anos de prisão, por apropriação ou desvio de verbas públicas, peculato, fraude em licitação e outros crimes. Está na PRSLZ (Penitenciária Regional de São Luís), antigo Presídio São Luís III, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Para Gastão Vieira, porém, Francisco Pestana não possui qualquer atitude que desabone sua vida pública, e deve apenas ter cometido descuidos na administração pública municipal por pura inocência.

“Conheço Francisco Pestana, ex-prefeito de Cururupu, há muito tempo. Nunca teve atitudes que desabonassem a sua conduta. Por boa-fé ou ingenuidade, não teve os cuidados devidos com o encerramento de sua gestão e com os processos.Manifesto apoio, estando ao lado dele e de sua família”, publicou.

Em comentário à postagem do colega de bancada e de grupo político, Márcio Jerry reforçou a defesa.

“Também o conheço de longas datas e faço minhas também suas palavras solidárias e de confiança”, respondeu o comunista.

De acordo com as três sentenças que condenaram Francisco Pestana à prisão, investigações do Ministério Público do Maranhão, autor das denúncias, apontaram que os crimes foram cometidos por ele durante os exercícios financeiros de 2007 e 2008.

O dinheiro público, ainda segundo o Ministério Público, teria sido roubado pelo ex-prefeito de Cururupu principalmente da verba destinada à merenda escolar, pavimentação de ruas e aquisição de medicamentos e materiais hospitalares, dentre outras ações.

Além das sentenças nas ações penais, ele também possui diversas condenações por improbidade administrativa.

Tyrone indefere pedido para depoimento de Jerry em investigação contra Duarte Júnior
Política

Deputado estadual é alvo de ação do Ministério Público Eleitoral no TRE sob acusação de abuso de poder político e de autoridade

O vice-presidente e corregedor do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Maranhão, desembargador Tyrone Silva, em decisão monocrática nesta segunda-feira 2, indeferiu pedido do MPE (Ministério Público Eleitoral) para que o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA) testemunhasse em uma ação de investigação judicial eleitoral contra o deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB).

Tyrone é o relator do processo, que pede cassação do registro de candidatura e do diploma de eleito de Duarte Júnior, além da decretação de inelegibilidade dele e da ex-presidente do Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor (Procon) do Maranhão, Karen Barros, sua namorada, pelo período de oito anos, conforme previsto na Lei da Ficha Limpa.

O casal é acusado de abuso de poder político e de autoridade, com o objetivo de colocar o comunista na Assembleia Legislativa.

Conforme mostrou o ATUAL7, a solicitação para oitiva de Márcio Jerry foi feita pelo MP Eleitoral ainda em agosto. O objetivo era esclarecer a participação da Secap (Secretaria de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos), à época sob seu comando, na análise das matérias divulgadas pelo Procon do Maranhão que, segundo a ação, continham a “exposição massiva da imagem” de Duarte Júnior.

Para o relator, porém, a oitiva de Jerry, “parece ser uma medida inócua e sem aptidão de render novos frutos a elucidação dos fatos”.

O MPE também pretendia ouvir outras pessoas, entre ex-assessores da autarquia e do gabinete de Duarte Júnior na Assembleia Legislativa, mas esses pedidos também foram indeferidos por Tyrone Silva.

TRE anula decisão de inelegibilidade de Flávio Dino e Márcio Jerry
Política

Votação foi unanime, acompanhando parecer da Procuradoria Regional Eleitoral do Maranhão

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Maranhão decidiu anular a decisão da juíza Anelise Nogueira Reginato, da 8ª Zona Eleitoral, de Coroatá, que havia tornado o governador Flávio Dino e o hoje deputado federal Márcio Jerry, ambos do PCdoB, por abuso de poder na eleição de 2016.

A decisão foi tomada pela corte em sessão nesta quinta-feira 28, em votação unânime, acompanhando parecer da PRE (Procuradoria Regional Eleitoral), pela reforma da sentença de base.

Também foram beneficiados pela decisão do TRE-MA o prefeito e o vice de Coroatá, Luis Amovelar Filho (PT) e Domingos Alberto (PSB), respectivamente.

Segundo a ação protocolada pela coligação da ex-prefeita Teresa Murad, Dino e Jerry teriam utilizado o programa Mais Asfalto de forma malandra para obtenção de apoio político e votos na eleição daquele ano, em prol dos aliados no município.

Em seu voto, porém, o juiz eleitoral Júlio César Praseres, relator do processo, acatou a principal alegação da defesa, de que, ao sentenciar o caso, Reginato incluiu no processo um vídeo do YouTube que não estava nos autos. Para o magistrado, o vídeo não poderia constar dos autos sem que as partes tomassem conhecimento para que, se assim o quisessem, pudessem contestá-lo.

No mérito, Praseres também declarou não ter visto abuso de Flávio Dino e Márcio Jerry em declarações anexadas ao processo.

Lula ignora Márcio Jerry e convite para morar no Maranhão
Política

Vice-líder do PCdoB na Câmara fez sugestão após ex-presidente cogitar sair de São Paulo e morar na região Nordeste

Mais de 72 horas depois do convite público do vice-líder do PCdoB na Câmara, deputado Márcio Jerry, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue ignorando a sugestão do comunista para que passe a morar no Maranhão, após ser posto em liberdade.

O convite foi feito por Jerry na última sexta-feira 8, pelo Twitter, ao repercutir notícias da entrevista do petista ao jornal Brasil de Fato, em outubro, afirmando que planeja sair de São Bernardo (SP) para morar no Nordeste —onde pretende se casar e firmar residência com a socióloga Rosângela da Silva, sua namorada.

“Venha para o Maranhão! O Maranhão te receberá de coração, mentes e braços abertos e calorosos. Venha pra cá, Presidente!”, postou Jerry.

No mesmo dia da publicação, Lula foi solto após obter um alvará de soltura com base na decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), de que um condenado só pode ser preso após o trânsito em julgado (o fim dos recursos).

De lá pra cá, porém, o ex-presidente tem usado a mesma rede social para agradecer a militância e apoiadores, mas sem fazer qualquer menção ao convite do deputado federal pelo PCdoB.

Jerry sobre Lula querer morar no Nordeste: ‘Venha para o Maranhão’
Política

Ex-presidente declarou em entrevista que cogita morar na região Nordeste após ser libertado

O vice-líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, Márcio Jerry, fez convite para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) passe a morar no Maranhão, após ser posto em liberdade.

“Venha para o Maranhão! O Maranhão te receberá de coração, mentes e braços abertos e calorosos. Venha pra cá, Presidente!”, postou no Twitter, ao repercutir notícias da entrevista do petista ao jornal Brasil de Fato, na Superintendência da Polícia Federal no Paraná, em Curitiba, onde cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão relativa ao processo do tríplex do Guarujá.

“Fico sonhando em sair daqui, decidir onde vou morar. Quando deixei a Presidência, tinha vontade de morar no Nordeste, vontade de voltar para meu Pernambuco, vontade de morar não perto da praia, mas num lugar em que pudesse ir à praia. Pensava em ir para Bahia, Rio Grande do Norte, mas a Marisa não quis ir porque ela nasceu em São Bernardo, e o mundo dela era São Bernardo. Eu não tenho mais o que fazer em São Bernardo. Não sei para onde ir, mas quero me mudar para outro lugar”, disse o ex-presidente durante a entrevista.

Atualmente, Lula tem residência em São Bernardo do Campo, região do ABC paulista onde começou sua carreira como sindicalista e político.

Ontem 7, o plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu, com placar apertado de 6 votos a 5, que um condenado só pode ser preso após o trânsito em julgado (o fim dos recursos), alterando a jurisprudência, que desde 2016, tem permitido a prisão logo após a condenação em segunda instância. Nesta sexta-feira 8, o advogado Cristiano Zanin anunciou que já deu entrada na Justiça Federal com um pedido de soltura imediata do petista.