Assessor de Márcio Jerry e dono de cheques encontrados com Pacovan são sócios em construtora fantasma
Política

Assessor de Márcio Jerry e dono de cheques encontrados com Pacovan são sócios em construtora fantasma

Walter França Júnior é sócio de Uthan Avelino Carvalho na Construtora Ramos França Ltda, investigada pelo MP-MA por suspeita de participação em esquema fraudulento

É delicada e cada vez mais próxima a relação do secretário de Articulação Política e Assuntos Federativos, Márcio Jerry Barroso, com donos de cheques encontrados por homens da Polícia Civil e da Gaeco no cofre do agiota Josival Cavalcanti da Silva, o Pacovan, no bojo das Operações “Maharaja” e “Morta-Viva”.

Além de José Wellington da Silva Leite, filho da ex-prefeita de Vargem Grande, Maria Aparecida da Silva Ribeiro, e superintendente da pasta comandada por Jerry, a nomeação de um outro assessor na Articulação Política também deve ser investigada pela comissão de delegados e de promotores que apura o envolvimento de políticos e empreiteiros na máfia da agiotagem - e que pode de forma independente investigar, inclusive, se o próprio governador Flávio Dino (PCdoB) não é, ou foi, um dos beneficiados no esquema criminoso.

Walter França Júnior, ao lado do senador Roberto Rocha, do governador Flávio Dino, e do sua esposa, a vice-prefeita de Godofredo Viana, Karinne Silva Andrade (de óculos)
Todos Pelo Maranhão Mais do que uma foto de campanha Walter França Júnior, ao lado do senador Roberto Rocha, do governador Flávio Dino, e do sua esposa, a vice-prefeita de Godofredo Viana, Karinne Silva Andrade (de óculos)

Trata-se de Walter França Silva Júnior, marido da vice-prefeita do município de Godofredo Viana, Karinne Silva Andrade (PDT), nomeado por Dino desde o dia 16 de janeiro de 2015, mas com efeitos retroativos ao 1º dia do mesmo mês, no cargo de Assessor Especial, simbologia DGA, uma das mais bem pagas pelo poder público estadual.

Conforme denunciado pelo Atual7, com exclusividade, desde o início do ano, Walter França Júnior é um dos donos da construtora fantasma Ramos França Ltda, registrada no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) com endereço onde, na verdade, existem apenas residências. O outro sócio da Ramos França é Uthan Avelino de Jesus Carvalho, que teve três folhas de cheques em seu nome encontrados pela Polícia Civil e pela Gaeco no cofre do agiota Pacovan durante operação contra agiotagem no início de maio.

Por coincidência - ou não! -, é ex-secretário de Saúde do município de Santa Rita, administrado por Antonio Cândido Santos Ribeiro, o Tim (PRB), que poucos meses antes da nomeação do assessor especial de Márcio Jerry, fechou um contrato entre a prefeitura e a Construtora Ramos França para locação de máquinas pesadas - um dos escorredouros de verba desviada pela agiotagem -, no valor de R$ 1.228.680,00 (um milhão, duzentos e vinte e oito mil, seiscentos e oitenta reais).

Questionado pelo Atual7 sobre os critérios adotados para a nomeação de Walter França Júnior para o cargo, o secretário de Articulação Política negou informações que, pela Lei de Acesso à Informação, deveriam ser públicas, mas acabou deixando vazar que o cargo dado ao sócio do Uthan Avelino Carvalho teria sido por indicação de alguém, que não quis declinar o nome.

- Foi uma indicação que eu acolhi. Isso é um assunto particular. O critério adotado foi o que é adotado pra todo mundo que é cargo de comissão. Ele foi sugerido, foi apreciado o curriculum, e ele foi incorporado a uma equipe técnica da Secretaria. Eu não devo essa satisfação a você. Quem me indicou... Imagina só?! Eu não reforço ilações patrulheiras - respondeu Jerry.

Pela rede que envolve Uthan Avelino Carvalho, Walter França Júnior, a construtora fantasma e três folhas cheques encontrados em posse de Pacovan, há suspeitas agora de que a indicação para Jerry tenha partido do próprio agiota, o que deve ser investigado pela Polícia Civil e pela Gaeco.

Construtora fantasma

Suspeitas de irregularidades levaram o MP-MA a investigar  o contrato firmado entre a empresa de Walter França Júnior e a Prefeitura de Santa Rita
Diário Oficial do MA No flagra! Suspeitas de irregularidades levaram o MP-MA a investigar o contrato firmado entre a empresa de Walter França Júnior e a Prefeitura de Santa Rita

Apesar de declarar à Receita Federal, Junta Comercial do Estado do Maranhão (Jucema), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) do Maranhão e até à Prefeitura de Santa Rita que suas atividades funcionam na Rua Castelo Branco, S/N, Centro de Santa Rita, a empresa pertencente ao assessor especial de Márcio Jerry e ao dono de três folhas cheques encontrados no cofre do agiota Pacovan não existe no local informado em sua documentação.

Ao tentar encontrar a empreiteira, a reportagem constatou que no endereço existem apenas residências, e nenhum dos moradores na área soube informar sobre a existência da Construtora Ramos França, que é ainda acusada pelo Ministério Público - com mais outras três empresas - de participar de um esquema fraudulento que envolve a construção de estradas vicinais, construção de uma ponte, prestação de serviços de locação de máquinas pesadas e serviços de limpeza pública no município de Santa Rita.

Agiotagem e avião não declarado

A ligação de Walter França Júnior com o governo Flávio Dino não se iniciou apenas quando de sua nomeação.

Durante a campanha eleitoral de 2014, a presença do sócio de Uthan Avelino Carvalho - que teve dois cheques encontrados com Pacovan, pisa-se - e de sua mulher, Karinne Silva Andrade, com o então candidato comunista foi sempre bastante constante.

O perfil de Karinne Andrade em uma rede social, por exemplo, onde se identifica como advogada da Secretaria de Estado de Infraestrutura, contém dezenas de registros dela e de seu marido ao lado do governador do Maranhão, inclusive um de um avião utilizado na campanha rumo ao comando da caneta dos Leões, porém não declarado na prestação de contas à Justiça Eleitoral.

Curiosamente, o senador Roberto Rocha, do PSB, também aparece nessa foto. Ele é pai do vereador por São Luís Roberto Rocha Júnior, também do PSB, outro que teve cheque encontrado pela Polícia Civil e pela Gaeco dentro do cofre do agiota Pacovan.



Comentários 7

  1. PAULO

    ESSE GOVERNADOR É UM ENGODO,ENGANOU TODO MUNDO BASTA VER QUEM SÃO AS PESSOAS QUE ESTÃO LHE ASSESSORANDO,SÓ GENTE BOA.ESSA É A MUDANÇA QUE O POVO QUERIA,PORQUE TAVA NA CARA QUE IRIA SER ASSIM,É PRESTAR ATENÇÃO QUEM O ACOMPANHAVA EM SUAS CAMINHADAS EM CAMPANHA.DEIXO ESSE COMENTÁRIO PARA SE FAZER UMA REFLEXÃO,E NÃO VAI PARAR POR AI PODEM ESPERAR POR MAIS!

  2. Raphael Vilhena

    Replico neste espaço comentário postado no blog do Marco D'Eça, de ontem, e acrescento novos detalhes quanto a estratégia de bastidores tramada pelo vice Carlos Brandão e pelo deputado federal José Reinaldo, se é que ela, de fato, existe e/ou já está em andamento. Tudo no campo da pesagem de informações já divulgadas nos blogs para se sentir o fiel da balança. Note-se que nos comentários acima já há alguém comparando o Márcio Jerry ao Zé Dirceu, ou seja, o operador de esquemas...

    "Essa é, de fato, uma situação mais do que embaraçosa para a eminência parda do governo Flávio Dino, o senhor Márcio Jerry.

    Como diz o blog, numa cidade de pequeno porte como São Luís, onde tudo se sabe, especialmente se o assunto trafegar nos trilhos subterrâneos das malfeitorias político-público-administrativo-financeiras, torna-se praticamente missão impossível para alguém tão politicamente bem antenado como o senhor Jerry desconhecer informações indispensáveis para contratação de um auxiliar ficha-limpa.

    E se continuar dando uma de Lula, que adora desqualificar denúncia e denunciante, toda e qualquer explicação, do tipo “não sabia de nada”, só compromete mais aquele a quem cabe o papel de explicar o inexplicável.

    Mas se o desejo de reduzir o poder e influência do Márcio Jerry no governo Flávio Dino - e até defenestrá-lo - envolver o deputado José Reinaldo. como já dizem alguns blogs (mestre de invejável capacidade de articulação de bastidores, o melhor discipulo que o Sarneu já teve, porque assimilou toda essa habilidade do analisar o xadrex político para, na hora certa, puxar o tapete do adversário, quando este pensa que está por cima da carne seca, e numa posição inatacável) e o vice Carlos Brandão, por sua vez, discípulo do Zé Reinaldo, a quem deve sua eleição para deputado federal, e aluno obediente, mas também inteligente à beça e articulaldor sutil e matreiro, de uma coisa todos podem ter certeza: o prazo de validade do Márcio Jerry estará prestes a vencer.

    Afinal, essa briga intestina pelo ganho e manutenção do poder vem desde os tempos dos faraós... mas hoje, quando vivemos tempos de tecnologia tão evolutiva quanto a de Ciências da Computação. que abriga a Tecnologia da Informática, os faraós, em matéria de engenharia política, são uns simples pintinhos comparadados a galos de rinha.

    Então, o melhor conselho a seguir é de um sábio desconhecido: “Sofra com a verdade, mas não se iluda com a mentira.” Ou seja, na minha opinião, o governador sabiamente soube remover, com rapidez cirúrgica, o problema via exoneração do infelicitado assessor...

    Mas há ainda o que explicar para dirimir dúvidas da opinião pública e, assim, supultar o assunto?
    Com diz a biografia do ex-deputado estadual Lister Caldas, já falecido há décadas: "quem viver verá", ou saberá, digo eu.

    Raphael Vilhena

  3. Pingback: Mais um, Márcio Jerry?!? – Marco Aurélio D'Eça

  4. Pingback: Mais um, Márcio Jerry?!? - Imperatriz - MA

  5. Pingback: Mais um, Márcio Jerry?!? | Ame Sua Cidade!

  6. AFONSO SERENO

    Quando João Ubaldo Ribeiro escreveu seu admirado artigo "Matéria Prima para Construir um País", não divisou por certo o fundo do quadro magnifico que desenhou: a generalidade da banalização da administração pública. Ele já dizia à época, há mais de 10 anos, que neste país a "esperteza" é a moeda mais valorizada. Que aqui participar da administração pública e ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família, baseada em valores e respeito aos demais. O Ministro Marco Aurélio, do STF, arrematou esta semana em entrevista a IstoÉ: "Vivemos tempos estranhos, com perda de parâmetros, abandono a princípios, o certo passa pelo errado, o dito pelo não dito. A corrupção se tornou linear e banal nos últimos tempos, como se fosse corriqueiro, como se fosse normal". Agora é bom lembrarmos que o Maranhão, como unidade federativa desta Nação faz parte desta "esperteza" congênita, dessa desonestidade, dessa falta de qualidade humana. Resta-nos seguirmos igualmnte condenados, igualmente estancados... igualmente sacaneados...

  7. Pingback: Atual7

Comente esta reportagem