Consórcio Nordeste
Comissão integrada por Wellington vai fiscalizar compras do Consórcio Nordeste
Política

Parlamentares querem saber o motivo do pagamento antecipado por respiradores que nunca foram entregues. Apenas o governo de Flávio Dino desembolsou R$ 4,94 milhões pelos aparelhos

Deputados estaduais dos nove estados do Nordeste criaram, na semana passada, uma comissão parlamentar interestadual para acompanhar as ações do Consórcio Nordeste, bloco formado pelos governadores da região com o objetivo de realizar compras centralizadas e ou compartilhadas de medicamentos, equipamentos e material de saúde.

Pelo Maranhão, integra a comissão o deputado Wellington do Curso (PSDB). O tucano é um dos principais oposicionistas ao governador Flávio Dino (PCdoB).

Como primeira atividade, os parlamentares querem saber o motivo pelo qual o Consórcio Nordeste pagou, de maneira antecipada, R$ 48,9 milhões na compra de 300 respiradores para tratamento de pacientes internados em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) exclusivos para Covid-19.

Um dos compradores, o governo Dino pagou adiantado mais de R$ 4,94 milhões por 30 respiradores que seriam distribuídos para hospitais da rede pública estadual de saúde.

Os aparelhos nunca foram entregues, o dinheiro não foi devolvido, e duas empresas envolvidas na contratação, HempCare Pharma Representações e Biogeoenergy, foram alvo da Operação Ragnarok, deflagrada pela Polícia Civil da Bahia no início de junho.

O caso foi encaminhado recentemente ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), onde tramitam inquéritos contra governadores.

Governadores do Nordeste planejam compras coletivas de insumos de saúde
Economia

Consórcio criado em março pretende publicar edital nesta semana. Também serão adquiridos equipamentos para hospitais da região

Os nove governadores dos estados no Nordeste planejam lançar, nesta semana, o primeiro edital para compras coletivas com o objetivo de, alegam, economizar dinheiro público.

Segundo acerto entre eles, documentado na Carta de Teresina e no Contrato de Programa, a primeira compra será de insumos e equipamentos de saúde. Um grupo de trabalho foi constituído para acelerar os arranjos necessários para a efetivação do procedimento.

Criado em março, em São Luís, o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste) é presidido pelo governador baiano Rui Costa (PT).

Os outros governadores participantes são: Flávio Dino (MA), João Azevedo (PB), Paulo Câmara (PE), Wellington Dias (PI), Fátima Bezerra (RN) e Belivaldo Chagas (SE), Renan Filho (AL) e Camilo Santana (CE).

Governadores do Nordeste assinam criação de consórcio no Maranhão
Política

Encontro aconteceu no Palácio dos Leões. Intenção é reduzir gastos e combater o crime

Oito governadores e um vice-governador do Nordeste assinaram, nesta quinta-feira 14, durante encontro no Palácio dos Leões, em São Luís, protocolo para a criação do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste, também chamado simplesmente Consórcio Nordeste.

Segundo divulgado pelo Governo do Maranhão, a medida foi formalizada durante o Fórum de Governadores do Nordeste, esfera onde os chefes do Executivo estaduais tomam decisões políticas e estratégicas, de modo a levá-las para o debate nacional.

Com o consórcio, os Estados nordestinos terão, por exemplo, poder de negociar preços por meio de compras conjuntas, com um volume maior. Também poderão ser feitas cooperações policiais mais intensas e conjuntas que as realizadas atualmente, principalmente as de combate às organizações criminosas interestaduais.

Além disso, poderão ser feitas parcerias na infraestrutura, em obras, na formação de parques tecnológicos e nas vendas de produtos para o exterior.

Haverá ainda estratégias conjuntas para atrair mais investidores, e intercâmbios estudantil e profissional.