Rocha Rocha
Rocha Rocha contesta inclusão de seu nome no ‘Detector de Corrupção’
Política

Pré-candidato ao Palácio dos Leões, senador garante que não responde a processos ou inquéritos ligados à corrupção

O senador e pré-candidato ao Palácio dos Leões Roberto Rocha (PSDB-MA) vai impetrar representação judicial contra o aplicativo gratuito ‘Detector de Corrupção’, desenvolvido pelo instituto Reclame Aqui!, por entender que é indevida a inclusão de seu nome na ferramenta, em razão dele não responder, segundo ele, a qualquer processo ou inquérito na Justiça relacionados a atos de corrupção.

Segundo Rocha, o problema reside no fato do aplicativo não fazer distinção entre diferentes situações, como uma simples investigação, de ordem administrativa, de uma condenação em última instância. “Dou um crédito de boa-fé aos autores do aplicativo, mas informo que tomarei medidas judiciais caso mantenham meu nome, associado a suspeitas de corrupção”, afirmou o tucano.

De fato, conforme revelado pelo ATUAL7, o senador tucano é alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), onde ele tem foro, a respeito unicamente de matéria de Direito Eleitoral, relativa a prestação de contas eleitorais de 2014.

Por meio de sua assessoria, ele afirma que essa prestação de contas já foi julgada e aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, inclusive com parecer favorável do Ministério Público. “Trata-se de um caso de jus esperneandi, como dizem no meio jurídico, de um adversário político inconformado com a derrota. Como pode isso, que nada tem a ver com corrupção, estar sendo usado para denegrir o meu nome?”, questionou.

O pedido de abertura das investigações foi feito Ministério Público Federal (MPF) do Maranhão, no ano passado. O caso aguarda parecer da Procuradoria-Geral da República (PRG), seguindo seu curso normal no sistema judiciário.

Para o senador, “faz parte de um processo mais amplo de criminalização da política tentar jogar num mesmo cesto todos os políticos, como se uma simples investigação fosse igual a uma sentença. Dessa forma, esse aplicativo, que poderia ser uma boa ideia, acaba sendo um desserviço à pedagogia democrática da população”, concluiu.

O ATUAL7 entrou em contato com o Vigie Aqui!, site mantido na internet pelo instituto Reclame Aqui! para divulgação e download do App, e aguarda retorno sobre o assunto.

Rocha vira alvo da situação e oposição por contrapor dicotomia Sarney x antisarney
Política

Apesar dos ataques, tucano segue com sua plataforma eleitoral que insere na agenda política do Maranhão a questão das potencialidades econômicas do estado

A pouco menos de oito meses meses para o pleito de outubro próximo, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) virou o principal alvo de ataques disparados tanto por membros da base de sustentação ao governo Flávio Dino quanto por de grupos políticos de oposição a gestão comunista.

O motivo: o tucano é o único dos postulantes ao Palácio dos Leões a contrapor a eterna dicotomia Sarney x antisarney, e por isso único capaz de materializar a terceira via nas eleições de 2018.

Desde que foi traído pelo governador do Maranhão, quando teve tomada a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais, Rocha tem se tornado não somente uma ameaça, mas uma dupla ameaça à hegemonia política de décadas, que sequestrou mentalidade da classe política e da própria população, de que no Maranhão todo agente público ou faz parte da oligarquia ou faz parte da oposição apenas ao clã maranhense.

Como, apesar dos ataques, o tucano não entrou no jogo de discutir a política pela política, e segue com sua plataforma eleitoral que insere na agenda política do Maranhão a questão das potencialidades econômicas do estado, com obras estruturantes, proteção e revitalização dos rios, e geração de emprego e renda, a expectativa, portanto, é que a medida que a eleição se aproxime, novos petardos sejam disparados contra ele.

Em vez de derrubá-lo, porém, os disparos podem se estilhaçar antes de alcançá-lo ou fazer ricochete.

Segundo revelou o mais recente estudo divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a famigerada dicotomia não resolveu o problema da extrema pobreza no Maranhão, que chegou a aumentar nos anos de 2015 e 2017. Já segundo o levantamento mais recente da Confederal Nacional de Transporte (CNT), mais da metade das estradas do Maranhão continuam classificadas como ruins ou péssimas.

Pré-candidato aos Leões por um partido que tem um dos maiores tempos na propaganda eleitoral e que pode ganhar a Presidência da República em 2018, Roberto Rocha pode usar de seu tirocínio político e de sua especialidade em dados, números e estatísticas para, por meio de estudos como o do IBGE e do CNT, e da ligação umbilical como o futuro chefe do País, se tornar o eixo da resistência crescente a Flávio Dino e ao mesmo tempo atrair as forças do eleitorado maranhenses que não deseja mais a volta de Roseana Sarney.