Alegação do SET aponta para possível aumento da tarifa de ônibus em São Luís
Maranhão

Alegação do SET aponta para possível aumento da tarifa de ônibus em São Luís

Se confirmado, este será o terceiro aumento na gestão do prefeito Edivaldo Júnior. Reajuste de 2013 chegou a ocorrer, mas foi cancelado após intervenção do MP-MA

A tarifa de ônibus na capital caminha para um possível novo aumento em breve, o que pode prejudicar os usuários do sistema de transporte público. É o que aponta ofício enviado ao Sindicado dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Maranhão (STTREMA), na terça-feira 2, pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET), e que gerou a ameaça de greve geral dos ônibus em São Luís durante o período carnavalesco.

SET informa aos rodoviários que férias de janeiro e aumento do salário mínimo "impactou fortemente na folha de pagamento", e que por isso não terá como pagar os trabalhadores em dia
Atual7 Aumento da tarifa se desenhando SET informa aos rodoviários que férias de janeiro e aumento do salário mínimo "impactou fortemente na folha de pagamento", e que por isso não terá como pagar os trabalhadores em dia

Segundo o documento, a situação financeira das empresas teria se agravado devido ao período das férias escolares de janeiro deste ano e também devido ao aumento do salário mínimo nacional. Com base nesses dois argumentos, o SET informa aos Rodoviários que o pagamento do salário dos trabalhadores – que deveria cair no quinto dia útil do mês – só poderá acontecer a partir do dia 10, ou seja, após o Carnaval.

Como já é de conhecimento da população, a alegação da falta de recursos para pagar os salários de motoristas, cobradores e fiscais, e a deflagração da paralisação dos ônibus como resposta a essa falta de pagamento, tem sido a brecha utilizada pelo SET e pela SMTT (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte) para garantir uma nova proposta de reajuste da tarifa para os coletivos de São Luís.

Timeline do aumento

Desde que assumiu o mandato em 2013, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) tem se esquivado de manter o compromisso assumido na campanha eleitoral de 2012, quando afirmou que o valor então cobrado pelas empresas que operam o transporte coletivo na capital não iria aumentar. Eleito, a primeira polêmica da nova administração começou antes mesmo da posse do prefeito, vice e do seu secretariado.

2013

Em janeiro de 2013, sob ameaça de greve dos rodoviários, o então vice-prefeito de São Luís e atualmente Senador da República, Roberto Rocha (PSB), afirmou em uma entrevista que, diante do que chamou de ‘crise no sistema de transporte público’, havia a urgente necessidade de reajustar a tarifa de ônibus.

Um mês depois, no dia 11 de fevereiro, acionada por estudantes, a promotora de Defesa do Consumidor do Maranhão, Lítia Cavalcanti, teve de intervir ao classificar como ilegal o aumento de 23,5% no valor das passagens de ônibus, determinado pela Prefeitura de São Luís, por meio da SMTT. Não fosse a ação rápida do MP/MA, a população ludovicense estaria pagando mais caro pela passagem de ônibus deste então, já que a tarifa mais cara ficaria em R$ 2,75.

Aquele seria o primeiro aumento da passagem feito pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

2014

Após 16 dias de greve dos rodoviários, a Prefeitura de São Luís aumentou a passagem em R$ 0,30, sobre a justificativa de que o reajuste era necessário para não onerar os bolsos dos empresários, que firmaram colocar nas ruas 250 ônibus novos até o final daquele ano e mais outros 250 até janeiro do ano passado. Com aumento em 14,2%, a tarifa mais cara, do Sistema Integrado de Transporte (SIT), ficou em R$ 2,40.

Passados mais de dois anos do acerto entre empresários e a SMTT, porém, apenas pouco mais de 300 novos ônibus estão circulando pela capital.

Naquele ano, além do aumento da passagem, Edivaldo também acabou com a chamada “domingueira”, desconto de 50% na passagem de ônibus aos domingos, concedidos aos usuários do transporte público de São Luís pelo ex-prefeito João Castelo (PSDB).

2015

Nove meses depois, em março de 2015, a SMTT e o SET anunciaram um novo reajuste nas tarifas de ônibus. Como pode ocorrer agora em 2016, a decisão ocorreu um dia depois de o sistema de transporte da capital entrar em acordo para evitar a deflagração de greve dos rodoviários.

Também como neste ano - em 2013 e 2014 - a justificativa para o aumento, além do reajuste dos preços dos combustíveis, foi o reajuste dos salários dos rodoviários, isto é, o pagamento de acordo com o novo salário mínimo.

A passagem dos ônibus do sistema de integração, a mais cara, pulou dos R$ 2,40 para os ainda atuais R$ 2,60.



Comentários 1

  1. Pingback: Atual7

Comente esta reportagem