Em vídeo, Gentil confessa apoio eleitoral a Dino em troca de benefícios da máquina
Política

Em vídeo, Gentil confessa apoio eleitoral a Dino em troca de benefícios da máquina

Em reunião política fora da agenda institucional, governador do Maranhão e prefeito de Caxias fecharam acordo no Palácio dos Leões pela reeleição do comunista

O prefeito Fábio Gentil (PRB) confessou, num vídeo divulgado para promover a reunião entre ele e o governador Flávio Dino (PCdoB), que o encontro serviu para acertar apoio eleitoral ao comunista em troca de benefícios da máquina pública estadual para o município. A reunião foi realizada na última segunda-feira 25, nas dependências do Palácio dos Leões, o que já apontava para o uso dos cofres públicos — que custeia o prédio-sede do Poder Executivo estadual —, em prol da reaproximação entre o prefeito de Caxias e do comunista.

“Viemos aqui em São Luís, juntamente com a Câmara de Vereadores, para que pudéssemos selar o nosso compromisso junto ao Governo do Estado do Maranhão e ao governador Flávio Dino. Saímos daqui convictos de que o governador irá trabalhar muito mais do que tem trabalhado no município e, consequentemente, terá o nosso apoio político, no que for possível, em relação às eleições de 2018”, declarou Gentil.

A gravação, inclusive, foi feita de dentro do próprio Palácio dos Leões.

Longe de ser um ato de maturidade política e em prol da população da cidade de Caxias, o acerto entre o governador e o prefeito poder levar ambos a responder pela conduta ilícita e reprovável, que fere princípios constitucionais da administração pública, notadamente da legalidade, moralidade administrativa e impessoalidade. Eles podem, devido ao confesso abuso de poder e ato de improbidade administrativa, serem afastados dos seus respectivos cargos.

Procurada pelo ATUAL7, a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) no Maranhão, a quem cabe fiscalizar a lisura e a legitimidade das Eleições Gerais de 2018, declarou que está analisando o caso. “A questão está sendo avaliada, já que a PRE só tomou conhecimento desse fato agora”, garantiu o órgão, por meio de sua assessoria.

Já a Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), responsável por investigar eventuais práticas de atos ilegais ou contrários aos princípios básicos da administração pública pelo chefe do Executivo maranhense, também procurada pela reportagem, ainda não se posicionou sobre o assunto. O Governo do Maranhão também não retornou o contato.



Comentários 1

  1. Maria Helena

    Isso só empobrece o que já miserável, o governador tem que entender que ele não está no cargo para fazer o que quer, mas sim o que o povo e a sociedade precisam, como pode querer governar por seletividade? Se o prefeito de Caxias não declarasse apoio a ele certamente sua cidade seria penalizada, para quem dizia que seria governador de todos e não só de alguns, está fazendo até pior do que fazia Roseana quando estava no poder e quem não a apoiasse sempre de uma forma ou outra era punido. Coisas da política tupiniquim.

Comente esta reportagem