Neto confirma PDT na vice; partido está há 31 anos na Prefeitura de São Luís
Política

Neto confirma PDT na vice; partido está há 31 anos na Prefeitura de São Luís

Domínio do PDT sobre o Palácio de La Ravardière teve início em 1989, com Jackson Lago. Pedetistas encabeçaram ou integraram todas as gestões desde então

O deputado estadual e pré-candidato do DEM a prefeito de São Luís, Neto Evangelista, confirmou o PDT como dono da vice em sua chapa. O anúncio foi feito nesta quinta-feira 10. A indicada pelo senador Weverton Rocha (MA) é a militante pedetista Luzimar Lopes Correa. “Vamos andar em cada canto dessa cidade. O melhor para essa cidade é ter alguém que sabe na pele as necessidades da comunidade” destacou ela, durante o evento.

Apontada como histórica do partido, Nêga do Coroadinho, como é conhecida Luzimar, fala com propriedade sobre a ausência do poder público em São Luís e, pela filiação partidária, pode até ser reconhecida no pleito de 2020 como legítima representante da tentativa de ininterrupção da carência de uma gestão eficiente, eficaz e efetiva na vida do ludovicense.

Levantamento do ATUAL7 em dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aponta que o PDT está há exatos 31 anos na Prefeitura de São Luís, como cabeça ou integrante, inclusive na vice, de todas as gestões no La Ravardière desde a redemocratização do Brasil.

O domínio pedetista teve início com Jackson Lago, já falecido, na gestão de 1989 a 1992, depois continuou com Conceição Andrade (1993 a 1996), Jackson Lago novamente (1997–2000; 2001-2002) e Tadeu Palácio (2002 a 2008). Essa hegemonia foi quase interrompida com a gestão do PSDB de João Castelo, de 2009 a 2012. Entretanto, o tucano, também já falecido, contou com o apoio de Jackson Lago no segundo turno das eleições daquele ano, o que garantiu ao PDT a permanência de dezenas de milhares de comissionados na administração municipal. O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (2013–2016; 2017- 2020), embora não apoie publicamente Neto Evangelista por uma questão pessoal, atualmente é do PDT e permite o uso da estrutura da prefeitura em prol da eleição do democrata.

É o enraizamento do PDT na estrutura administrativa da prefeitura, custeada com recursos públicos, que explica o poder de fogo da militância do partido na capital, que agora deve sair oficialmente às ruas para permanecer no poder, com Neto Evangelista.

Ao contrário de todas as outras disputas, porém, o PDT estará oficialmente ladeado, pela primeira vez, do MDB de Sarney e Roseana, a quem dizia combater e, sob esse discurso, vem conseguindo incutir na cabeça e coração do eleitorado, durante as três últimas décadas, o insidioso apelido de Ilha Rebelde para São Luís. A capital merece mais quatro anos de tal rebeldia?



Comentários 4

  1. Pingback: Atual7

  2. Pingback: Atual7

  3. Pingback: Madeira aparece empatado na 3ª colocação em pesquisa para prefeitura de São Luís

  4. Pingback: PSB confirma Bira candidato a prefeito de São Luís - Blog do Antônio Martins

Comente esta reportagem