Pegadores: Flávio Dino insinua corrupção na Polícia Federal
Política

Pegadores: Flávio Dino insinua corrupção na Polícia Federal

Governador do Maranhão ignorou fatos e compartilhou publicações que apontam que PF deflagrou operação a mando de José Sarney

O governador Flávio Dino (PCdoB) adotou uma medida extrema e perigosa para escapar da decepção e indignação da população com a descoberta de que uma quadrilha montada em seu governo tomou de assalto mais de R$ 18 milhões de recursos federais que deveriam ter sido aplicados na saúde do maranhense.

Por meio das redes sociais, Dino repercutiu diversas publicações que insinuam a prática de corrupção da Polícia Federal ao deflagrar a Operação Pegadores, que tornou público a existência de mais de 400 funcionários fantasmas apenas na Secretaria de Estado da Saúde (SES), além de contratos com empresas de fachada e uso de dinheiro público para bancar “namoradas, esposas e amantes” de agentes públicos.

No entendimento das publicações compartilhadas por Dino, a PF alcançou o seu governo com fim político, a mando do ex-senador José Sarney (PMDB-AP).

Ou seja, não importa se a Polícia Federal, o Ministério Federal (MPF), a Controladoria-Geral da União (CGU) e a Receita Federal já estavam investigando o governo comunista desde 2015.

Também não importa o supersalário da enfermeira amiga de Márcio Jerry ou a existência de interceptações telefônicas que flagram o secretário de Saúde Carlos Lula tomando conhecimento do esquema há mais de dois anos - e ter prevaricado ao não denunciar o caso às autoridades competentes; bem como não merece qualquer atenção o fato do Phil Camarão, pai do secretário de Educação, Felipe Camarão, também haver sido flagrado conversando sobre fantasmas e até dando destaque machista e sórdido sobre o “perfil glúteo” de uma dessas servidoras que recebiam dinheiro sem precisar ir trabalhar; e muito menos deve ser levado em conta as planilhas de apontam uma das cunhadas do secretário de Comunicação e Assuntos Políticos como uma das cabeças da quadrilha; e bem menos ainda o fato da juíza federal, diante da robustez das provas colacionadas aos autos, haver determinado a prisão temporária, bloqueio de contas bancárias e apreensão de bens da organização criminosa.

Segundo insinua Flávio Dino por meio das publicações, sem a ligação de Sarney com o novo diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, todos esses fatos deveriam ser considerados irrelevantes ou são fantasiosos.

Pelo que insinua o governador, não importa se o delegado Wedson Cajé Lopes, responsável pela Operação Pegadores, é o mesmo que conduziu a primeira fase da Sermão aos Peixes, contra o ex-secretário Ricardo Murad.

Não tem também importância alguma e por isso não merece credibilidade o comando e as declarações das à imprensa local pela nova superintendente regional da PF no Maranhão, a delegada Cassandra Ferreira Alves Parazi, que atuou no Grupo de Trabalho da Operação da Lava Jato da PF de Curitiba.

Para Flávio Dino, apesar de todos esses fatos comprovarem que mais de R$ 18 milhões foram desviados no seu governo, por pessoas que ele próprio nomeou, a culpa é e sempre será de José Sarney. E agora até a Polícia Federal, que até outro dia era parabenizada por ele, da noite pro dia, passou a ser corrupta.



Comentários 4

  1. VEXAME!

    Vai se [...]! Quer abrir uma briga atabalhoada contra a Polícia Federal, uma das instituições mais respeitadas no Brasil atual. Com um governo marcado por investigações em curso e denúncias de corrupção!!!

  2. Pingback: Atual7

  3. Pingback: Atual7

  4. Pingback: Atual7

Comente esta reportagem