Equatorial Energia
Equatorial arremata a Cepisa e projeta investimento de R$ 1 bi nos próximos 5 anos
Economia

Oferta garantirá redução de 8,5% na conta de luz e uma arrecadação de mais de R$ 95 milhões ao governo

A Equatorial Energia, holding que controla a Cemar (Companhia Energética do Maranhão) e a Celpa (Centrais Elétricas do Pará), e tem importante participação no capital da Termoelétrica Geranorte (Geradora de Energia do Norte), comprou, nesta quinta-feira 26, a Cepisa (Companhia de Energia do Piauí), no 1º leilão de privatização de distribuidoras controladas pela Eletrobras, realizado na sede da B3 (antiga BM&F Bovespa), em São Paulo.

Com sede em São Luís, a Equatorial tem ainda dentre os seus acionistas, de capital pulverizado, a Blackrock, Opportunity e Squadra Investimentos, além de 69,7% de participação de administradoras e minoritários.

Única a dar lance no leilão da Cepisa, a empresa vislumbra investimentos perto de R$ 1 bilhão na distribuidora do Piauí nos próximos cinco anos.

O número foi apontado pelo diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Equatorial Energia, Eduardo Haiama, durante teleconferência com analistas e investidores. Ele salientou, no entanto, que o número deve oscilar, a depender da evolução operacional da distribuidora, no que diz respeito ao crescimento do mercado e expansão do número de consumidores

A Equatorial informou que adquiriu 89,94% do capital da Cepisa, pagando R$ 45.521,52 à Eletrobras. Na prática, o lance ainda significará uma redução de 8,5% nas tarifas praticadas pela Cepisa, o que deverá entrar em vigor em 45 dias após a transferência do controle da elétrica.

A empresa também vai realizar pagamento de um bônus de outorga de R$ 95 milhões ao governo federal, que ainda pretende privatizar outras cinco empresas da estatal.