Hospital Dr. Jackson Lago
Hospital Dr. Jackson Lago coleta 82 bolsas de sangue em campanha de doação
Cotidiano

Iniciativa foi organizada pela Agência Transfusional do hospital em conjunto com a Hemomar e promovida pelo Instituto Acqua em Ação

Um dia para ajudar a quem precisa. Foi com essa premissa que doadores voluntários participaram da Campanha de Doação de Sangue promovida, na última terça-feira 5, pelo Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago, no município de Pinheiro. A iniciativa integra o Instituto Acqua em Ação, vertente social do Instituto Acqua, que gerencia a unidade em parceria com a SES (Secretaria de Estado da Saúde).

A campanha foi organizada pela equipe da Agência Transfusional do hospital e teve o apoio do Centro de Hemomar (Hemoterapia e Hematologia do Maranhão). O serviço da agência funciona desde 2015 e a campanha é realizada há 4 anos.

“A demanda da agência aumentou em mais de 40% por conta da ampliação dos serviços de hemodiálise e a quantidade de internações e cirurgias. Todos os anos realizamos a campanha em parceria com a Hemomar”, destacou a bioquímica da Agência, Glaucejane Canindé Chaves.

A campanha teve ampla divulgação na região da Baixada Maranhense e atraiu a participação de estudantes universitários da área da saúde, alunos de escolas federais e municipais, moradores de cidades próximas e os colaboradores do hospital. Ao todo, foram coletadas 82 bolsas de sangue.

Para doar sangue, o voluntário precisa ter entre 16 e 69 anos, sendo que os menores de 18 anos precisam apresentar o consentimento do responsável para realizar o ato. O doador também precisa estar em boas condições de saúde, sem sintomas de pressão alta ou pressão baixa e ter peso mínimo de 50 kg. Homens podem doar a cada dois meses, no intervalo de 4 doações por ano. Mulheres, a cada três meses devido o fluxo menstrual.

Os doadores do Maranhão cadastrados na Hemomar têm direito a benefícios sociais. Cada doador recebe uma carteira e após a segunda doação tem direito a isenção de pagamento de taxa em concurso público, entradas gratuitas em espetáculos e os funcionários públicos têm direito a um dia de folga.

Recém inaugurado, Hospital de Pinheiro não atende diretor geral por falta de material
Política

Leonardo Sá teve de aguardar escondido dentro da unidade enquanto equipe correu em busca do material. Ele levou quatro pontos

A irresponsabilidade do governador Flávio Dino (PCdoB), em inaugurar sem condições de funcionamento o Hospital Macrorregional de Pinheiro, batizado pela comunista como Hospital Dr. Jackson Lago como forma de fazer média à família do ex-governador, acabou vitimando o próprio diretor geral da unidade, o vereador Leonardo Sá (PCdoB), que na foto acima aparece com o governador e o seu padrinho, deputado Othelino Neto (PCdoB).

Governador descerrando a placa de um hospital inaugurado, mas que não funciona
Divulgação Engodo Governador descerrando a placa de um hospital inaugurado, mas que não funciona

Nessa quarta-feira 30, Sá caminhava pelas dependências do hospital quando escorregou e caiu, batendo e quebrando e cabeça. Como era esperado, o diretor tentou atendimento no próprio hospital de Pinheiro, mas para a própria infelicidade, a unidade hospitalar não pode fazer nada por falta de material.

Diante do descaso e da vergonha, já que o hospital havia sido inaugurado por Dino e pelo secretário de Saúde Marcos Pacheco dois dias antes, Leonardo Sá mandou que fosse comprado curativos em uma farmácia da Região, e ficou aguardando dentro das dependências da unidade para que a população não flagrasse o vexame. Horas depois, uma outra equipe conseguiu voltar com o necessário para o procedimento correto, e o diretor geral do Hospital Dr. Jackson Lago levou então quatro pontos.

Não faltou aviso

Responsável pela construção e compra de todos os equipamentos e mobiliários do Hospital Dr. Jackson Lago, o ex-secretário de Saúde Ricardo Murad (PMDB) já havia alertado, no dia 15 de setembro passado, em detalhes, que a unidade iria ser inaugurada pela gestão comunista sem condições de operar.

“Recebi hoje um relato da situação do Macrorregional de Pinheiro e no dia 28 o que o governador poderá inaugurar é um hospital com os equipamentos e mobiliários que eu deixei estocados no interior do prédio mas sem funcionar”, escreveu Murad em sua página no Facebook.

Foi profético.

-->