Ricardo Murad
Sermão aos Peixes: TRF-1 concede habeas corpus a Ricardo Murad
Política

Ele estava preso na sede da Polícia Federal, São Luís, desde quinta-feira 18

A desembargadora federal Maria do Carmo Cardoso, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1.ª Região, concedeu habeas corpus impetrado pela defesa do ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad. A decisão é de sábado 20.

Ele estava preso na sede da Polícia Federal, São Luís, desde quinta-feira 18, resultado da deflagração de duas novas fases da Sermão aos Peixes, Abscondito II e Peixe Tobias, que apura o vazamento de informações privilegiadas e desvios de dinheiro público da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Na decisão, a magistrada acolheu os argumentos da defesa de que as buscas necessárias à investigação já foram realizadas e, ainda, de que a apuração remonta a fatos de 2011 a 2013, quando Murad esteve no comando da pasta.

Sermão aos Peixes: prisão de Murad aponta para iminência de operação contra Dino
Política

Governador do Maranhão também usou uma rede social para revelar informações privilegiadas sobre investigação contra ele

O cumprimento de mandato de prisão temporária do ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad, feito pela Polícia Federal no bojo da Operação Abscondito II, nesta quinta-feira 18, considerada a 7.ª fase da Sermão aos Peixes, aponta para a iminência de deflagração de nova operação federal, mas contra o governador reeleito Flávio Dino (PCdoB).

Assim como Murad, Dino também usou uma rede social para revelar informações privilegiadas sobre investigação contra ele e seu governo.

O vazamento feito pelo chefe do Executivo estadual ocorreu no mês de agosto último.

Por meio do Twitter, Flávio Dino insinuou que estaria sendo articulada uma trama contra ele, que teria por trás o grupo comandado pelo ex-presidente da República José Sarney (MDB-MA) e um delegado da Polícia Federal. “Avisaram-me que o grupo Sarney está tramando um novo factoide querendo usar a Polícia Federal. Não quero crer que um delegado se preste a esse tipo de armação. Seria mais uma desmoralização”, disse Dino.

No final do mês passado, em resposta ao ATUAL7 sobre as declarações do governador na rede social, a superintendente da Polícia Federal no Maranhão, delegada Cassandra Ferreira Alves Parazi, confirmou a existência de abertura de investigação sobre o caso, mas limitou-se a informar que a PF, “por dever de ofício e em estrito respeito ao ordenamento jurídico, não emite notas ou esclarecimentos sobre investigações policiais em andamento, em razão do segredo de Justiça”.

Quando da deflagração, o nome da eventual nova operação, inclusive, poderá ser Abscondito III.

Adriano Sarney, Roberto Rocha, Murad e Roseana declaram voto em Bolsonaro
Política

Edison Lobão Filho também chegou a declarar em Bolsonaro, mas recuou e se diz agora eleitor de Haddad

Adversários do governador Flávio Dino no Maranhão decidiram declarar voto no candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, que lidera todas as pesquisas de intenção de votos.

Já se dizem fechados com Bolsonaro o deputado estadual reeleito Adriano Sarney (PV), o senador Roberto Rocha (PSDB), o ex-secretário estadual de Saúde Ricardo Murad (PRP) e a ex-governadora a Roseana Sarney (MDB).

A decisão, segundo revelado por alguns dos novos eleitores do capitão reformado do Exército, é uma tentativa de contrapor Dino, aliado do presidenciável do PT, Fernando Haddad.

Na semana passada, o ainda suplente de senador Edison Lobão Filho, o Edinho (MDB), também chegou a declarar voto em Jair Bolsonaro, mas recuou um dia depois, adotando o novo discurso de que apenas se identifica com o candidato do PSL ao Palácio dos Planalto, mas que seu voto é no candidato petista.

TRE/MA mantém inelegibilidade de Ricardo Murad
Política

Com decisão, ex-secretário de Saúde do Maranhão fica fora das eleições até 2020

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão manteve, nesta terça-feira 21, por ampla maioria, a inelegibilidade do ex-secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad (PRP), por abuso de poder político nas eleições de 2012.

Foram seis votos pela rejeição do recurso eleitoral de Murad, mantendo a decisão da juíza Josane Araújo Farias, titular da 8ª Zona Eleitoral, da cidade de Coroatá. O julgamento havia sido iniciado na semana passada, mas acabou suspenso após pedido de vista do juiz Itaércio Paulino da Silva. O placar já contabilizada três votos pela rejeição ao recurso do ex-secretário, contra apenas um a favor da reforma da decisão.

Ao concluir o julgamento, a Corte entendeu que, durante a gestão de Murad à frente da poderosa SES, ele utilizou o cargo para viabilizar convênios estatais para construção de poços artesianos em Coroatá em período eleitoral, quando a sua esposa, Teresa Murad, disputava o cargo de prefeita da cidade, consagrando-se, inclusive, vitoriosa nas urnas.

Com a decisão, Ricardo Murad fica inelegível por oito anos a partir de 2012, por isso a punição vale até as eleições de 2020.

Outro lado

Após o término do julgamento, Murad utilizou as redes sociais para agradecer manifestações de apoio e declarar que avalia com a sua defesa a apresentação de recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), bem como qual a consequência da decisão do TRE/MA sobre seu pedido de registro de candidatura a deputado federal nas eleições deste ano.

“Minha gente querida, infelizmente o TRE manteve a sentença que me declarou inelegível. Estou avaliando com meu advogado o recurso para o TSE - Tribunal Superior Eleitoral e a consequência da decisão em relação ao registro da minha candidatura. Manterei todos permanente informados. Obrigado a todos pelas manifestações de apoio. Peço a todos que continuem firmes para nossa vitória na eleição, logo darei notícias. Forte abraço em todos”, declarou.

Pedido de vista suspende julgamento de recurso de Murad sobre inelegibilidade
Política

Solicitação foi do juiz Itaércio Paulino da Silva. Voto deve ser apresentado já na próxima sessão, marcada para o dia 21

Um pedido de vista do juiz Itaércio Paulino da Silva, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, suspendeu, nesta terça-feira 14, o julgamento do recurso do ex-titular da poderosa Secretaria de Estado da Saúde (SES), Ricardo Murad.

Ele tentava anular a sentença proferida pela juíza Josane Araújo Farias, titular da 8ª Zona Eleitoral, de Coroatá, em outubro do ano passado. A magistrada entendeu que houve abuso de poder político nas eleições municipais de 2012, quando a mulher do ex-secretário, Teresa Murad (MDB), consagrou-se vitoriosa nas urnas, e condenou Murad à inelegibilidade pelo período de oito anos.

Antes do pedido de vista, o placar contabilizada três votos pelo indeferimento do recurso apresentado pela defesa do ex-secretário, contra apenas um a favor da reforma da decisão.

Votaram pela manutenção da sentença da juíza de Coroatá o relator do processo, juiz Júlio César Lima Praseres, acompanhado pelo desembargador Vicente de Paula Gomes de Castro e o juiz federal Wellington Cláudio Pinho de Castro. O único a não acolher a decisão da juíza, que tornou Ricardo Murad inelegível, até o momento, foi o juiz José Eduardo Leal Moreira. Faltavam ainda votar dois outros magistrados.

Pelo regimento interno do TRE/MA, o voto vista do juiz Itaércio Paulino da Silva deve ser apresentado já na próxima sessão da Corte Eleitoral, marcada para acontecer no dia 21 deste mês.

Murad desiste de pré-candidatura aos Leões: “para apoiar Roseana”
Política

Ex-secretário de Saúde do Maranhão vai disputar a Câmara Federal. A filha Andréa Murad e o genro Sousa Neto tentarão renovar seus mandatos na Assembleia Legislativa

O ex-secretário estadual de Saúde Ricardo Murad anunciou, nesta terça-feira 17, após reunião com a cúpula do PRP, sua decisão de desistir definitivamente da pré-candidatura ao Governo do Maranhão.

Em vídeo publicado em suas redes sociais, ele informou que pretende disputar agora a Câmara Federal, e declarou apoio à pré-candidatura de sua cunhada, a ex-governadora Roseana Sarney, ao Palácio dos Leões.

“Acima dos nossos sonhos, devemos tomar as decisões certas no momento certo. A hora é de união, de unidade, de todos juntos caminharmos para uma grande vitória. Por isso, em nome do Maranhão e das pessoas que sempre estiveram ao meu lado, renuncio a minha candidatura para apoiar Roseana ao governo e derrotar aqueles que não foram capazes de fazer a mudança que prometeram”, disse.

Ainda segundo o ex-secretário, a filha Andréa Murad e o genro Sousa Neto tentarão renovar seus mandatos na Assembleia Legislativa.

Sem PR, Bolsonaro pode ter vice do partido de Ricardo Murad
Política

PSL avalia lançar o general da reserva do Exército Augusto Heleno Ribeiro, do PRP, como companheiro de chapa do presidenciável

Sem resposta do PR para a formação de aliança nas eleições deste ano, o PSL avalia lançar o general da reserva do Exército Augusto Heleno Ribeiro como vice na chapa do presidenciável Jair Bolsonaro. A informação foi antecipada pela Coluna do Estadão, na semana passada.

O general é filiado ao PRP, que no Maranhão é presidido pelo ex-secretário estadual de Saúde e pré-candidato ao Palácio dos Leões Ricardo Murad, desafeto de Flávio Dino (PCdoB), que tentará a reeleição.

Caso a aliança entre PSL e PRP seja confirmada, um imbróglio poderá ser criado no estado.

Enquanto o PRP tem Murad como pré-candidato aos Leões, o PSL aposta no nome da ex-prefeita de Lago da Pedra Maura Jorge para o pleito.

Ela, também adversária de Dino, inclusive, trouxe Bolsonaro ao Maranhão recentemente, e tenta colar no presidenciável para aparecer bem nas pesquisas de intenção de voto.

Douglas Martins se declara suspeito para julgar ação contra Flávio Dino
Política

Governador do Maranhão é acusado de causar dano R$ 49,7 milhões ao erário. Também são réus os secretários Carlos Lula, Clayton Noleto e Marcos Pacheco

O juiz titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, Douglas de Melo Martins, se declarou suspeito para julgar a ação popular n.º 0819969-82.2018.8.10.0001, que tem dentre os réus o governador Flávio Dino (PCdoB). A denúncia foi formulada ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad, no último dia 11.

Segundo com regra do Código de Processo Civil (CPC), a suspeição pode ser declarada por juízes em diferentes caso como, por exemplo, ser ‘amigo íntimo’ ou ‘inimigo capital’ de uma das partes no processo; ou mesmo quando o magistrado é interessado no julgamento da causa em favor de uma das partes.

Na decisão, proferida no último dia 16, Douglas Martins não informou a razão da suspeição. “Declaro-me suspeito por motivo de foro íntimo”, despachou o magistrado.

Cabe agora à Corregedoria-Geral de Justiça (CGJ) designar um novo juiz para atuar no processo.

Entenda o caso

De acordo com os autos, a ação popular busca fazer cessar dano ao erário estadual, no valor de R$ 49.776.169,59 (quarenta e nove milhões, setecentos e setenta e seis mil, cento e sessenta e nove reais e cinquenta e nove centavos).

A alegação de Murad é de que Flávio Dino e os demais réus estariam utilizando os recursos provenientes do contrato n.º 132/2014/SES, destinado às obras de ampliação do Hospital de Alta Complexidade Dr. Carlos Macieira, para construir, no mesmo local, o chamado Hospital do Servidor, violando a lei de licitações com a alteração do projeto inicialmente licitado, bem como a Constituição e legislação atinente ao Sistema Único de Saúde (SUS), que veda a utilização de recursos públicos da saúde para atender interesses de natureza privada — isto é, de prestar atendimento somente aos servidores estaduais na unidade, em vez de toda a população.

O investimento, que não poderia ser utilizado para qualquer outro atendimento que não o universal, dentro do SUS, tem como origem os cofres do próprio Estado e um empréstimo contraído pelo governo anterior junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A obra, inclusive, originalmente estruturante, foi consideravelmente diminuída pelo atual governo, principalmente em relação ao número de leitos, tendo perdido ainda um laboratório de análises clínicas e uma central de imagens para exames de tomografia, ultrassom, radio-x, endoscopia e mamografia.

A acusação é de que houve o cometimento dos crimes de peculato, improbidade administrativa, crime contra a Lei do SUS, organização criminosa, lavagem de dinheiro, prevaricação e crime de responsabilidade.

Além de Flávio Dino, os outros réus são os secretários estaduais de Saúde, Carlos Lula, e de Infraestrutura, Clayton Noleto; e o ex-titular da SES, Marcos Pacheco, que atualmente comanda a Secretaria de Estado Extraordinária de Articulação das Políticas Públicas (SEEPP).

O pedido liminar feito por Murad é que seja determinada a imediata suspensão das obras de construção do Hospital do Servidor e a continuação da ampliação do Hospital Dr. Carlos Macieira, afim de que toda a população tenha acesso aos serviços de saúde, inclusive servidores públicos e dependentes.

Partido de Murad representa contra Flávio Dino por crime eleitoral
Política

Comunista pediu explicitamente por votos para ele e para terceiros, o que é proibido pela Lei das Eleições

O Partido Republicano Progressista (PRP), do ex-secretário de Saúde do Maranhão e pré-candidato ao Palácio dos Leões em 2018 Ricardo Murad, protocolou, nesta terça-feira 15, uma representação com pedido de liminar contra o governador Flávio Dino (PCdoB) e contra o Partido Solidariedade, legenda que realizou um ato político no último sábado 12, em razão do comunista haver pedido explicitamente por votos para ele e para terceiros, o que é proibido pela Lei das Eleições.

O flagrante da trapaça eleitoral, confirmada pelo ATUAL7, ainda foi transmitido ao vivo pela internet e ficou publicado na conta pessoal do pré-candidato. O mesmo vídeo também pode ser acessado pelo perfil oficial do Solidariedade no Facebook.

“O ato do Representado Flávio Dino é prática desonesta, pois priva os outros pré-candidatos de participar de uma eleição limpa, sem mácula. É, a bem da verdade, um convite à ilicitude, pois, se não houver punição, a igualdade e a paridade de armas somente serão alcançadas quando os outros candidatos se utilizarem das mesmas práticas, ou seja, quando cometerem os mesmos ilícitos perpetrados pelo Representado”, diz a peça.

A Representação alega que os pré-candidatos repetem o ato por manter o vídeo publicado nas redes sociais, usando as plataformas como verdadeiros comícios, violando as normas eleitorais. E pede que a Justiça Eleitoral determine a exclusão das mídias de clara propaganda antecipada.

“Diante de todo o exposto e ponderado, requer que V. Exª. Se digne de receber a presente Representação e, initio litis e inaudita altera pars, conceda LIMINAR para determinar que os Representados cessem os atos de propaganda eleitoral antecipada e, para o fiel cumprimento da decisão liminar, determine excluam das suas redes sociais o vídeo do ato político-eleitoral ilícito. Requer, a final, julgue procedente julgue procedente o pedido para condenar os Representados, cada um, a pagar multa no valor R$ 25.000,00 (vinte cinco mil reais)”, pede a Representação.

Em nota ao ATUAL7, emitida antes da Representação do partido de Murad, a PRE/MA declarou que ainda “está analisando a questão”.

Murad diz que, se eleito, entregará centros de hemodiálise até agosto de 2019
Política

Pré-candidato do PRP ao Palácio dos Leões, ex-secretário estadual de Saúde criticou o governo pelo atraso nas obras

O ex-secretário estadual de Saúde e pré-candidato ao Palácio dos Leões pelo PRP, Ricardo Murad, afirmou nas redes sociais que, se for eleito em outubro, entregará em pleno funcionamento, entre agosto e dezembro de 2019, os sete centros de hemodiálise não concluídos pelo atual governo, de Flávio Dino (PCdoB).

“Eu afirmo que os sete centros vão iniciar o atendimento em agosto de 2019 e em dezembro de 2019, o HCM estará realizando os transplantes. Eu idealizei o sistema, conheço a área e sei como fazer”, disse.

A declarações de Murad foram feitas em razão de reportagem do JMTV ter mostrado, na semana passada, que mais um paciente, o aposentado Raimundo Borges, morreu após a desgastante rotina para realizar o tratamento no Maranhão. Ele era morador de Pinheiro, e tinha de se submeter a uma jornada de 341 quilômetros até uma clínica em São Luís para fazer hemodiálise três vezes por semana.

Ainda em 2014, quando a Secretaria de Estado da Saúde (SES) era comandada por Ricardo Murad, R$ 7,5 milhões foram liberados para a construção dos novos centros de hemodiálise no Maranhão, um deles, inclusive, deveria estar funcionando no município de Pinheiro desde 2015.

Em razão do atraso na conclusão das obras, Murad disse que deixou projetos de construção das unidades de tratamento, segundo ele todos prontos, e lamentou o fato da administração estadual não ter concluído nenhum deles. Ele questionou a falta de solução do governo, após uma série de justificativas apresentadas para o atraso.

“Passaram-se mais de três anos e o governo comunista não teve competência para resolver os problemas que alega ter para levar adiante esses centros. Se foi problema no projeto, porque nesse tempo todo não resolveu? Se foi por causa das adequações para atender a Vigilância Sanitária, porque, mesmo assistindo todos os dias as pessoas morrerem nessas longas viagens, nesses mais de três anos, não sanaram esses problemas?”, questionou.

Maranhão sem novidades na disputa pelo Palácio dos Leões em 2018
Política

Roseana Sarney, Roberto Rocha, Ricardo Murad e Maura Jorge concorrem contra Flávio Dino. Todos cinco representam a velha política

Apesar da crescente intenção dos maranhenses de rejeitar os velhos políticos e buscar nomes de fora do establishment, o futuro das urnas no estado segue apontando para o mais do mesmo, num confronto apenas entre representantes da velha política.

Em outubro do próximo ano, os eleitores voltam as urnas para decidir quem comandará o destino do Estado durante os próximos quatro anos. Considerando as pré-candidaturas que já estão oficialmente confirmadas pelos seus partidos, há certeza de que pelo menos cinco nomes estarão na disputa, e nenhum deles é dos chamados outsider.

O principal desafio, e por isso tema que deverá ganhar maior destaque durante as campanhas eleitorais, será diminuir o inchaço da máquina pública e tirar o Maranhão da extrema pobreza, que nos últimos três anos aumentou drasticamente.

Para tentar reverter esse dado alarmante, quatro pré-candidatos de oposição já se lançaram: Roberto Rocha (PSDB), Maura Jorge (Pode), Ricardo Murad (PRP) e Roseana Sarney (PMN).

Os três primeiros tentam chegar ao comando do Executivo estadual pela primeira vez, embora não sejam novidade na política. Já a última, esteve por lá por quatro vezes, logo considerada uma das maiores co-responsáveis pela situação de miséria em todo o estado.

Todos, inclusive Roseana, ensaiam discurso de contraponto à gestão de Flávio Dino (PCdoB), postulante à reeleição no Palácio dos Leões.

Novo capo di tutti capi — expressão utilizada para designar “o chefe de todos os chefes” da máfia siciliana e da Cosa Nostra Americana — do Maranhão, o comunista chegou ao governo como promessa de mudança e esperança, mas termina seu terceiro ano de mandato maculado por diversos casos de corrupção, cooptando aliados da família Sarney e administrando os cofres públicos mais para correligionários, empresários aliados e camaradas de outros partidos, do que para os maranhenses.

Diante da dificuldade de aparecer alguém que realmente represente o novo e a antipolítica, o eleitor terá de ir às urnas escolher o menos pior.

Murad oficializa pré-candidatura e anuncia eixos centrais do seu plano de governo
Política

Meta é alavancar o desenvolvimento do Maranhão. Um dos principais grandes projetos é a construção de uma ponte rodoferroviária, ligando São Luís à Baixada Maranhense

O Partido Republicano Progressista (PRP) lançou, em reunião da Comissão Executiva da legenda, nesta terça-feira 12, em São Luís, a pré-candidatura do ex-secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, ao Palácio dos Leões.

Diferente dos adversários que já tiveram seus nomes lançados até aqui — Flávio Dino (PCdoB), Roseana Sarney (PMDB), Roberto Rocha (PSDB) e Maura Jorge (Pode) —, Murad apresentou, no que definiu como ‘carta de compromisso com o povo maranhense’, os principais projetos, ações e eixos do seu programa de governo para os próximos quatro anos.

No documento, o destaque é dado para pelo menos dois eixos centrais: o dos Direitos Sociais e o da Economia e Meio Ambiente. Segundo o pré-candidato, ambos serão operacionalizados por meio da criação do Fundo de Garantia para a Universalização dos Direitos Sociais (FGDS), da Agência Estadual de Infraestrutura Digital e do programa ‘Itaqui 2018: Maranhão de Portas Abertas ao Mundo’.

Em relação aos grandes projetos, chama a atenção a construção de uma ponte rodoferroviária, entre São Luís e a Baixada Maranhense. No trecho, será criada uma nova zona portuária, possibilitando terminais das ferrovias da Vale, Norte Sul e CFN (Companhia Ferroviária do Nordeste). A proposta é, por meio da implantação de empresas e outros empreendimentos, acabar com o isolamento de quase uma centena de municípios maranhenses, além de oferecer uma nova via de acesso para a capital.

“A ponte de São Luís à Baixada Maranhense é essencial para alavancar o desenvolvimento do nosso estado. O nosso projeto também visa construir vias expressas e modernizar as rodovias federais, estaduais e municipais, como disse, melhorando plenamente o fluxo de rodovias, ligando São Luís às capitais Belém, Fortaleza, e aqui, incentivando a Rota das Emoções; ligando Teresina, ligando também as regiões Tocantina e Sul, passando por Açailândia e Imperatriz, chegando a Carolina e Balsas, e, claro, melhorando a Rodovia da Produção entre Grajaú e Alto Parnaíba”, ressaltou Murad.

Nos próximos dias, a Comissão Executiva do PRP irá elaborar o calendário de visitas de seu pré-candidato ao governo a todas as macrorregiões do Maranhão, onde Ricardo Murad terá a oportunidade de apresentar pessoalmente a carta-proposta aos maranhenses.

“Quero ser governador para que o Maranhão tenha um tempo de paz, de solidariedade, de desenvolvimento. Quero por fim ao fisiologismo e à cooptação política com o uso do dinheiro público. Quero um tempo de oportunidade para todos, em que o mérito irá substituir a “camaradagem” e a competência a ineficiência. Quero ser governador porque me sinto preparado para isso. Quero ser governador porque o povo maranhense quer um governo de resultados, que saiba olhar para os mais frágeis e construir um futuro forte, solidário e marcado pelo desenvolvimento. Quero ser governador, porque acredito que chegou a minha vez e estou preparado!”, declarou Murad.

Saúde é Vida

Durante a apresentação de sua pré-candidatura ao Palácio dos Leões, Ricardo Murad falou ainda dos resultados alcançados e do trabalho realizado à frente da pasta da Saúde, em que destacou o avanço na assistência e no atendimento à população por meio do Programa Saúde é Vida.

“Em um curto período, oferecemos aos maranhenses atendimento igual aos melhores serviços de saúde públicos e privados do país. Foram 113 novos hospitais, 11 UPAs, sete Centros de Hemodiálise, vários Centros de Medicina Especializada e muitas outras unidades que revolucionaram a medicina maranhense. E pretendo dar continuidade a esse grande avanço, universalizando a saúde pública no estado. E como a mesma visão e empenho, tratarei as demais áreas”, destacou.

PRP oficializará pré-candidatura de Murad ao Palácio dos Leões
Política

Ato acontece na próxima terça-feira 12. Ele pretende utilizar o evento para apresentar as diretrizes de seu “Plano de Governo”

O Partido Republicano Progressista (PRP) oficializará, nesta terça-feira 12, a pré-candidatura do ex-secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, ao Palácio dos Leões.

Temida pelo atual chefe do Executivo, Flávio Dino (PCdoB), a entrada de Murad na disputa endurece o jogo, em razão de todos os outros nomes até agora confirmados — Roseana Sarney (PMDB), Maura Jorge (Pode) e Roberto Rocha (PSDB) — não possuírem a mesma qualidade no discurso e prontidão para o contraponto ao comunista.

O ato está programado para acontecer no Hotel Luzeiros, e deve ser marcado também pela apresentação de diretrizes do “Plano de Governo” de Murad.

Será o primeiro pré-candidato ao governo em 2018, inclusive, a apresentar as metas e projetos estratégicos para o Maranhão. Todos os demais, até mesmo o próprio Dino, têm-se resumido a apenas querelas e futricas políticas nas redes sociais e nos bastidores do poder.

Ricardo Murad é confirmado na Presidência do PRP no Maranhão
Política

Ex-secretário de Saúde recebeu ainda o aval para candidatura majoritária nas eleições de 2018

O ex-secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, teve confirmando pelo presidente nacional do Partido Republicano Progressista (PRP), Ovasco Resende, nesta quarta-feira 8, em São Paulo, o aval para candidatura ao Palácio dos Leões ou ao Senado Federal nas eleições de 2018.

Acompanhado do vice-presidente nacional da legenda, o maranhense Severino Sales, Murad teve confirmado também que assumirá a Presidência do Diretório Estadual do PRP no Maranhão.

“Estamos aqui num momento festivo. Hoje estamos conversando para que Ricardo Murad venha a ser o nosso presidente regional. Pra isso veio com projeto muito grandioso que é a candidatura a majoritária. Está aberto a você, Murad, uma candidatura, aquilo que você achar que é conveniente”, declarou Ovasco.

Murad aproveitou a ocasião para destacar que, diante dos fatos decisivos ocorridos nos últimos dias, a oposição majoritária está consolidada no estado.

“Quatro importantes e decisivos fatos nos últimos dias definem o quadro político favorável às oposições no Maranhão. A confirmação de Roseana como pré-candidata, a destituição de Carlos Brandão e a designação do senador Roberto Rocha como presidente do PSDB, a reafirmação da candidatura de Maura Jorge, e a minha confirmação pelo presidente nacional do PRP como presidente do partido no estado, definem o quadro das forças majoritárias de oposição para as próximas eleições”, destacou.

Possibilidade de debate entre Dino e Murad causa temor no Palácio
Política

Ex-secretário de Saúde do Maranhão sinalizou que pode disputar o Palácio dos Leões em 2018

A sinalização feita pelo ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad, de que pode vir a disputar o Palácio dos Leões em 2018, gerou ampla repercussão no Palácio dos Leões e seu entorno.

O receio dos comunistas é que, se conseguir viabilizar a adesão de legendas ao seu nome, Murad pode causar estragos na já deteriorada imagem do governador Flávio Dino (PCdoB).

Segundo os palacianos, o temor principal é de que o cunhado da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) participe de debates em emissoras de grande audiência.

Eles temem que, com qualidade técnica no discurso e ousadia para o contraponto que possui, Ricardo Murad force Dino a confessar publicamente, em pleno debate eleitoral, que a rede hospitalar que tem inaugurado desde 2015 é resultado exclusivo de ações implementadas pelo próprio Murad, quer em continuação de obras que já estavam iniciadas, quer em recursos deixados em caixa pelo governo anterior.

O outro temor é de que, com um leque de partidos ainda que não muito amplo, mas suficiente para garantir um bom tempo na propaganda eleitoral para somar com os nanosegundos do PRP, seu novo partido, Ricardo possa revelar supostas irregularidades que o comunista estaria cometendo com dinheiro público.

Diante da possibilidade do debate vir a acontecer, e da serie de ataques reiniciados contra Ricardo Murad logo após o anúncio de seu retorno político, em grupos de WhatsApp, eleitores dos dois lados e até de outros candidatos já começam a se interessar no assunto.

Murad se filia ao PRP e sinaliza candidatura ao Palácio dos Leões ou Senado
Política

Ex-secretário de Saúde do Maranhão deixou o PMDB

O ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad, teve confirmada a saída do PMDB e a entrada no PRP, nesta sexta-feira 20, com sinalização de que poderá disputar o Palácio dos Leões ou o Senado Federal nas eleições de 2018.

A informação foi divulgada pela nova legenda de Murad, agora comandada no estado pelo próprio.

“Com a chegada de Ricardo Murad, o PRP pretende participar das eleições majoritárias e proporcionais em 2018”, diz a nota do partido.

Cunhado da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), Murad pretende viajar para São Paulo no final deste mês, para se reunir com a liderança nacional do PRP.

Do encontro sairá decidido qual cargo disputar.

Lista de fichas-sujas do TCE-MA tem quase 2 mil nomes; confira
Política

Dois deles, Clécio Coelho e Marcos Pacheco, não poderiam estar ocupando cargo público. Relação não serve para inelegibilidade, mas possibilita ao eleitor saber a vida pregressa dos candidatos

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão liberou aos órgão judiciais e ao Ministério Público, na semana passada, a lista extraída de um cadastro que abrange dados de pessoas físicas, detentoras ou não de cargo ou função pública, que tiveram suas contas desaprovadas ou julgadas irregulares nos últimos oito anos, por decisão de irregularidade insanável em decisão irrecorrível, isto é, transitada em julgado.

Em cumprimento às determinações da Lei Federal nº 9.504/97, que estabelece normas para as eleições; e da Lei Complementar nº 64/90, que estabelece casos de inelegibilidade, já com as alterações da Lei da Ficha Limpa (LC nº 135/2010), o Tribunal de Contas do Estado do Maranhão encaminhou à Justiça Eleitoral a lista de todos os gestores públicos que tiveram contas julgadas irregulares pela Corte ou desaprovadas nos últimos oito anos, por decisão transitada em julgado (irrecorrível).

Quase dois mil responsáveis — incluindo-se prefeitos, presidentes de câmaras, secretários municipais e estaduais e demais ordenadores de despesas — integram a relação, no âmbito de mais de três mil processos — baixe a lista.

Por força de entendimento recente do Supremo Tribunal Federal (STF), a lista não serve mais de base para a declaração de inelegibilidade pela Justiça Eleitoral, visto que os tribunais de contas emitem apenas parecer prévio, mas possibilita ao eleitor, que quer fazer valer seu direito de cidadão com consciência e responsabilidade cívica, encontrar dentre os candidatos nas eleições de 2018 aqueles que não possuem uma vida pregressa limpa do ponto de vista ético e moral.

Dentre os fichas-sujas mais conhecidos na lista do TCE-MA, que atualmente ocupam outro ou mesmo cargo ou função pública estão: o prefeito de Chapadinha, Magno Bacelar; o suplente de deputado federal no exercício do mandato, Deoclides Macedo; a prefeita de Axixá, Sônia Campos; o deputado federal, Júnior Marreca; o secretário estadual extraordinário de Articulação das Políticas Públicas, Marcos Pacheco; e o superintendente de Articulação Regional de Itapecuru-Mirim, Clécio Coelho Nunes. Esses dois últimos, inclusive, sequer poderiam estar ocupando qualquer emprego público, por enquadramento na Lei da Ficha Limpa do Servidor Público.

Já dentre os fichas-sujas que atualmente não ocupam cargo público estão: o ex-prefeito de Matinha, Beto Pixuta; o ex-prefeito de São Luís, Tadeu Palácio; a ex-prefeita de Vitória do Mearim, Dóris Rios; o ex-prefeito de Barra do Corda, Nenzin; o ex-prefeito de Coroatá, Luis da Amovelar; o ex-secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad; o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira; a ex-prefeita de Centro do Guilherme, Detinha; e a ex-secretária municipal de Saúde, Helena Duailibe. Esses quatro últimos, pela brecha dada pelo Supremo, pretendem concorrer a deputado estadual e federal em 2018.

Não integram a lista os nomes dos responsáveis cujas contas julgadas irregulares ainda sejam objeto de recurso na Corte de Contas. Também ficam de fora da relação aqueles que tiveram os acórdãos tornados insubsistentes por decisão do Poder Judiciário do Maranhão.