Esquema de Anajatuba operou em outros trinta municípios do Maranhão
Política

Esquema de Anajatuba operou em outros trinta municípios do Maranhão

Quadrilha desviou R$ 60 milhões. Saiba os nomes de pelo menos oito prefeituras envolvidas no esquema

Em coletiva de imprensa na sede da Superintendência da Polícia Federal no Maranhão, o promotor Marco Aurélio Rodrigues, do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público Estadual, afirmou que, além dos 15 milhões de reais desviados em Anajatuba, as empresas integrantes do esquema comandado pelo prefeito Hélder Aragão (PMDB); o empresário Fernando Júnior, da Escutec; e o dono de empresas fantasmas Fabiano Bezerra garfaram mais 45 milhões de reais em pelo menos outros 30 municípios onde atuavam na mesma modalidade de crime.

“Essas quatro empresas, atuando em diversos municípios do Maranhão, desviaram mais de R$ 60 milhões”, afirmou, detalhando ainda que o valor pode até ser maior, uma vez que os números já divulgados correspondem apenas a dados obtidos a partir da consulta a fontes oficiais e abertas.

Apesar do representante do MP-MA não ter revelado quais são as outras 30 prefeituras que integram a máfia, com base em consulta feita pelo Atual7 também em documentos oficiais e abertos, pelo menos oito já são conhecidas: Caxias (Léo Coutinho), Trizidela do Vale (Fred Maia), Tuntum (Cleomar Tema), Itapecuru Mirim (Professor Magno), Codó (Zito Rolim), Alcântara (Domingos Araken), Parnarama (Dr. Davi) e Mirinzal (Amaury Santos). Todas trataram de dinheiro público com as empresas envolvidas no esquema que desviou somas milionárias por meio de montagem de licitações fraudulentas.

Foi nestes municípios, inclusive, que o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Antônio Carlos Braide, pai do líder do Bloco Parlamentar Unidos pelo Maranhão, deputado Eduardo Braide (PMN), atuou como uma especie de agiota, em esquema com as empresas A4 Serviços, RR Serviços, Construtura Construir, A.S dos Santos Ferreira, FCB, FF Produções, Distribuidora Castro e MR Serviços, superfaturando as prestações de serviços e vendendo notas frias para as gestões municipais.

Até a sexta-feira 23, o Atual7 mostrará em reportagem especial quais são todas as prefeituras, e seus respectivos gestores, que mantiveram ou ainda mantém laços suspeitos com as empresas fantasmas envolvidas no esquema de roubo de dinheiro público.



Comentários 3

  1. Pingback: ATUAL7: Esquema de Anajatuba operou em outros trinta municípios do Maranhão | Parmatões.com

  2. Leonardo

    E dentre os 30 municípios, pode ter certeza que Magalhães de Almeida estar inclusa nessa lista. É lamentável, as prefeituras viraram negócios particulares, todos que entram, visam única e exclusivamente se beneficiarem, deixando as margens das mazelas da vida a população. É triste saber e ter que conviver com essa maldita realidade. Isso urgentemente precisa mudar. É tremenda sacanagem tirarem verbas da educação, senda esta a o ponto de partida para evolução de nossos jovens. E a saúde, é outra sacanagem sem escrúpulos, tirar verbas de onde já não era suficiente, trás ainda maiores sofrimento para um povo que já é sofrido. Me indigno, mas um dia verei essa mazela acabando, basta a sociedade se unir verdadeiramente com um único propósito, ser feliz, temos tudo para isso acontecer, mas é necessário que todos façam sua parte. A politicagem tem pavor das mentes pensantes, busquem se informarem, vão em busca de ser alguém na vida, mas diga insistentemente não a alienação por parte dessa nojenta politicagem.

    Sou maranhense e magalhense com muito orgulho.
    Amo minha cidade, foi onde comecei a subir os degraus da vida, dando todo um direcionamento oposto ao sistema atuante.
    Cada degrau uma nova história. E cada história um novo recomeço.

  3. Pingback: Atual7

Comente esta reportagem