Osmar Filho
Grupo de Flávio Dino tem 11 pré-candidatos a prefeito de São Luís
Política

Apenas PCdoB e PDT têm três nomes, cada. Apesar de permitir que aliados tentem se viabilizar, governador já tem seu ungido para disputa

Entre nomes do alto e do baixo clero, o grupo comandado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) possui, atualmente, ao menos 11 pré-candidatos a prefeito de São Luís para as eleições de 2020, segundo levantamento feito pelo ATUAL7.

Apesar da alta quantidade de postulantes, de acordo com declaração do presidente do PCdoB no Maranhão, deputado federal Márcio Jerry, eminência parda da gestão comunista, chegado o período das convenções partidárias, não haverá dificuldade para a unção do escolhido.

Pelas movimentações públicas de Flávio Dino, apesar da permissão dada aos aliados para que tentem se viabilizar na disputa – sim!, por submissão voluntária dos próprios integrantes, no grupo dinista os passos só são dados após a permissão do governador –, o deputado federal licenciado e secretário estadual de Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Pereira Júnior (PCdoB), desponta como já ungido antecipadamente pelo chefe. Recentemente, no que pode alavancá-lo na graça do ludovicense, ele recebeu das mãos do governador o comando do programa intitulado Nosso Centro, cujo investimento se aproxima de R$ 140 milhões.

Além de Rubens Júnior, também pelo PCdoB, se articulam no grupo dinista o deputado estadual Duarte Júnior e o vice-prefeito de São Luís, Júlio Pinheiro.

Outro partido que também possui três nomes em disputa interna é o PDT. Pela legenda, o predileto do presidente do partido no Maranhão, senador Weverton Rocha, é o presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho. Em sua mais recente declaração sobre o pleito do próximo ano, porém, ele abriu brechas para que tentem se viabilizar o deputado estadual Yglésio Moyses e o vereador licenciado e secretário municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Ivaldo Rodrigues.

Os demais postulantes a prefeito de São Luís pela panelinha do Palácio dos Leões são: o deputado estadual Neto Evangelista, pelo DEM; o vice-presidente da Câmara de São Luís, Astro de Ogum, pelo PL (antigo PR); o deputado federal Bira do Pindaré, pelo PSB; e a deputada estadual Helena Duailibe, pelo Solidariedade.

Também recebeu autorização de Flávio Dino para tentar se viabilizar na disputa, mas ainda permanece sem partido, o comunicador Jeisael Marx, único outsider do grupo.

Presidentes das Câmaras de São Luís e de Imperatriz vão disputar prefeituras em 2020
Política

Osmar Filho tentará manter PDT no comando da capital e José Carlos concorrerá ao Executivo pelo Patriota. Ambos já confirmaram pré-candidatura

A eleição de 2020 no Maranhão terá na disputa pelas prefeituras de São Luís e de Imperatriz, as duas cidades mais populosas e com maior quantidade de eleitores no estado, os atuais presidentes da Câmara de Vereadores dos respectivos municípios, Osmar Filho (PDT) e José Carlos (Patriota).

Ambos já confirmaram que são pré-candidatos e contam com o apoio de seus partidos, lideranças e militância, faltando apenas alguns acertos com legendas aliadas – eles não precisam combinar com os eleitores para entrarem no pleito majoritário, e, sim, conquistar os votos destes para serem eleitos.

Caso não haja recuo, será a primeira vez que concorrerão ao Executivo municipal.

Filho do juiz Osmar Gomes, da 1ª Vara do Júri da Comarca de São Luís, o pedetista está já no terceiro mandato de vereador e o primeiro à frente do Palácio Pedro Neiva de Santana. A aposta em seu nome representa a garantia do PDT, comandado no Maranhão pelo senador Weverton Rocha, se manter no controle dos cofres públicos da capital.

José Carlos, por sua vez, possui mais de trinta anos na vida pública. Fez do mandato de vereador praticamente um emprego público, estando atualmente no sexto mandato e o terceiro consecutivo na presidência do Palácio Renato Cortez Moreira. Sua eventual chegada ao comando da prefeitura da Princesa do Tocantins, portanto, representaria mais um troféu para sua coleção de eleições.

Segundo estatísticas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), divulgadas no ano passado, São Luís possui 692.497 eleitores aptos a votar, e Imperatriz 162.477. São os votos para prefeito desses respectivos colégios eleitorais que já estão em jogo.

Osmar Filho imprime novo ritmo de trabalho na Câmara de São Luís
Política

Pedetista vem construindo sua marca na condução do Legislativo municipal, voltada para temas de interesse social e político

As duas primeiras semanas da Câmara Municipal de São Luís (CMSL) sob a presidência do vereador Osmar Filho (PDT) foram marcadas por um novo ritmo de trabalho, com decisões sobre temas de repercussão social e política, além da concretização de parcerias firmes com o governo federal e membros da bancada do Maranhão no Congresso.

Neste período, diversas ações foram iniciadas, ratificando o compromisso do pedetista de tornar a Casa Legislativa, que completa 400 anos em 2019, mais moderna e dinâmica objetivando prestar um serviço de qualidade aos parlamentares e à população.

“Buscaremos fazer uma gestão pautada nos princípios que norteiam a administração pública, com a transparência, ética, moralidade e modernidade que a população tanto espera”, disse, durante a a abertura dos trabalhos.

Logo na primeira semana, foi dado início ao projeto Parlamento Metropolitano, iniciativa que visa unir forças para discutir e encontrar soluções para problemáticas que prejudicam as cidades da região metropolitana.

Ainda na primeira semana, foi implantado tradução em libras para as sessões, promovendo inclusão para deficientes auditivos, que acompanham os trabalhos legislativos no Plenário Estácio da Silveira.

Houve ainda reunião entre vereadores da Casa e representantes da Defensoria Pública do Estado (DOE) para estreitamento de relações institucionais e discussões sobre o fortalecimento do atendimento aos ludovicenses, além de possíveis caminhos para obtenção de recursos para criação de novas unidades da DPE.

Na segunda semana, diversas atividades iniciadas na anterior foram consolidadas, dentre elas a celebração de um convênio com a Faculdade Estácio, que beneficiará servidores da Câmara com a concessão de descontos de até 50% para ingresso no ensino superior, além de cursos de pós-graduação, tanto na modalidade presencial quanto a distância. E o benefício se estende também aos dependentes dos servidores (cônjuge e filhos).

Houve ainda uma movimentada agenda de trabalho do presidente da Câmara e uma convite de vereadores em Brasília.

Por lá, os parlamentares reuniram-se com os senadores Weverton Rocha (PDT-MA) e Eliziane Gama (PPS-MA), e o deputado federal Gil Cutrim (PDT-MA), para discutir sobre pautas que vão desde projetos de infraestrutura a investimentos que estimulem as atividades culturais e de turismo na capital.

Também foi tratado de investimentos para o Centro Histórico de São Luís, na ordem de R$ 80 milhões, com a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa. E acertados os detalhes para a instalação da nova sede do Poder Legislativa Municipal, na Fábrica São Luís, localizada na região central da cidade, que está sendo restaurada.

Ainda no novo ritmo de trabalho da nova gestão da CMSL, foi montada uma comissão para acompanhar a situação da Maternidade Maria do Amparo, localizada no bairro do Anil. A unidade estava fechada desde dezembro do ano passado, após corte de recursos pelo Governo do Maranhão, mas terá suas atividades retomadas pela Prefeitura de São Luís, após a intervenção de Osmar Filho e demais vereadores da Casa.

Osmar Filho defende união da classe política e readequação do pacto federativo
Política

Aos 32 anos, vereador assumiu Presidência da Câmara Municipal de São Luís durante solenidade bastante concorrida realizada nesta terça-feira

Durante solenidade bastante concorrida, realizada no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), nesta terça-feira 1º, o vereador Osmar Filho (PDT) foi empossado no cargo de presidente da Câmara Municipal de São Luís, pelo biênio 2019/2020. Também foram empossados os demais membros da nova Mesa Diretora da Casa: Astro de Ogum (1º vice-presidente); Nato Júnior (2º vice-presidente); Josué Pinheiro (3º vice-presidente); Chico Carvalho (1º secretário); Francisco Chaguinhas (2º secretário); Beto Castro (3º secretário); Concita Pinta (4ª secretária); e Afonso Manoel (5º secretário).

A cerimônia contou com a presença do prefeito da capital, Edivaldo Holanda Júnior (PDT); o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB); o senador eleito Weverton Rocha (PDT); o procurador-geral de Justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho; o presidente da Fiema, Edilson Baldez; e do o presidente da Associação Comercial do Maranhão (ACM), Felipe Mussalém, além de vereadores, deputados estaduais e deputados federais.

Em seu discurso, Osmar Filho defendeu a união da classe política como forma de contribuir para que o país ultrapasse este momento de instabilidade econômica e volte a crescer e se desenvolver. O presidente ratificou, mais uma vez, o seu perfil municipalista e garantiu que unirá forças com a Bancada Maranhense em Brasília no sentido de lutar pela imediata modificação do pacto federativo.

“Como presidente do Legislativo de São Luís, não medirei esforços, juntamente com os demais vereadores e a classe política de nosso estado, para modificarmos este pacto federativo injusto que beneficia, tão somente, a União, deixando os municípios praticamente sem nenhum recurso”.

Osmar Filho fez questão de agradecer os seus pares, amigos e, em especial, sua família. Ele afirmou estar honrado em ter a oportunidade de, aos 32 anos, presidir à Câmara Municipal de São Luís que, este ano, completará 400 anos destacando-se como umas das instituições públicas mais antigas do Norte e Nordeste.

O pedetista garantiu, ainda, continuar investindo na modernização dos serviços da Casa; implantar os projetos “Parlamento Metropolitano” e “Câmara Itinerante”; dotar os setores de equipamentos e infraestrutura necessária; ampliar o diálogo com a sociedade através das mais diversas ferramentas de comunicação; capacitar e valorizar o funcionalismo; inserir a classe estudantil no dia-a-dia do Parlamento, dentre outras medidas.

Osmar Filho é eleito presidente da Câmara Municipal de São Luís
Política

Correlegionário de Edivaldo Holanda Júnior, pedetista garante que Casa manterá a independência

O vereador Osmar Filho (PDT) foi eleito presidente da Câmara Municipal de São Luís, nesta quarta-feira 9, após semanas acirradas de articulação de bastidores e disputa judicial. A escolha aconteceu por maioria esmagadora, não sendo unânime por conta do voto contrário do vereador Estêvão Aragão (PSDB) e da ausência de Honorato Fernandes (PT). Osmar conquistou 29 votos, e deverá ficar no comando do Palácio Pedro Neiva de Santana pelos próximos dois anos.

Também foram escolhidos os demais membros da Mesa Diretora, para o biênio 2019-2020: Astro de Ogum (PR) como 1º vice-presidente; Nato Júnior(PP) 2º vice-presidente; Josué Pinheiro (PSDB) 3º vice-presidente; Francisco Carvalho (PSL) 1º secretário; Chaguinhas (PP) 2º secretário; Beto Castro (Pros) 3º secretário; Concita Pinto (PEN/Patriota) 4º secretária; e Afonso Manoel (MDB) como 5º secretário. Eles tomam posse no cargo no 1º de janeiro do ano que vem.

Em sua primeiro contato com a imprensa após a ascensão ao posto, o pedetista disse que a experiência que teve enquanto secretário municipal de Articulação Politica e também como líder da administração do seu correligionário, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, deve ajudá-lo no diálogo entre os parlamentares oposicionistas e governistas.

“Eu tenho a experiência de já ter exercido essa função na gestão de Edivaldo e de ter liderado a base do prefeito aqui na Câmara. Me sinto capacitado para conduzir um bom relacionamento com todos os colegas”, declarou.

Osmar Filho garantiu quem, embora seja do mesmo partido de Edivaldo Júnior, o Legislativo municipal manterá a independência. Segundo ele, o trato entre os dois poderes será de harmonia.

“É normal que ocorra conflitos entre Executivo e Legislativo, mas são coisas que podem ser resolvidas sempre com diálogo. Há uma previsão constitucional que garante a independência entre os poderes. Eu tenho uma relação de amizade com o prefeito Edivaldo, sou aliado do prefeito, correligionário, mas a Casa é independente”, garantiu.

Interferência de Edivaldo em apoio a Osmar começa a desagradar aliados
Política

Maioria da Casa tem manifestado apoio à reeleição de Astro para o comando da CMSL. Parlamentares consideram correligionário do prefeito um político fraco e sem capacidade de decisão

Apesar de haver apalavrado que não se envolveria na disputa pela eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Luís, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) vem demonstrando desconfiança em relação à iminente reeleição do atual presidente da Casa, vereador Astro de Ogum (PR).

Segundo rumores, o chefe do Executivo municipal tem operado nos bastidores para viabilizar a candidatura do vereador Osmar Filho, seu correligionário, mesmo sem este contar com uma base sólida no Poder.

O problema é que, apostando em Osmar, o prefeito da capital corre riscos em dobro.

Primeiro, o vereador pedetista é visto pelos demais colegas da CMSL como um político hesitante, fraco, sem capacidade de decisão e sem poder de articulação, como evidenciado durante sua passagem pela pasta da Articulação Política.

Na visão dos vereadores ludovicenses mais experientes, inclusive, o pedetista é apenas um playboyzinho, que ganhou o mandato de presente, por ser amigo do prefeito e suposta articulação forense.

Segundo, se insistir no apoio a um vereador de defesa acanhada e sem expressividade no Parlamento, enquanto a maioria dos membros da Casa, tanto situação quanto da oposição, tem manifestado apoio pela reeleição de Astro, o prefeito de São Luís pode estar indo de encontro à sua própria formação religiosa, pelo comportamento semelhante ao de Judas.

É que, embora conduza a Câmara com autonomia, Astro de Ogum é o principal responsável por manter a plena harmonia entre os poderes Legislativo e Executivo, bem como pela aprovação dos projetos mais importantes e de interesse do prefeito.

Segundo os fatos, os dois últimos chefes do Executivo que atentaram contra a própria base e a independência da CMSL foram derrotados e acabaram perdendo apoios importantes. O próximo pode ser Edivaldo, e em ano de eleição importante para o seu principal aliado.

Vereadores querem reeleição de Astro para Presidência da Câmara
Política

Manifestações ocorreram após presidente da Casa rebater críticas que estariam sendo feitas à sua gestão pelo vereador Osmar Filho

Pelo menos três vereadores da Câmara Municipal de São Luís — Ricardo Diniz (PCdoB), Francisco Carvalho (PSL) e Pereirinha (PSL) — manifestaram apoio irrestrito pela reeleição do vereador Astro de Ogum (PR) para a Presidência da Casa.

As declarações públicas de apoio ocorreram nesta segunda-feira 19, durante discurso de Astro rebatendo críticas contra sua gestão, que teriam sido disseminadas nos bastidores pelo vereador Osmar Filho (PDT), seu adversário na disputa.

“Louvo aqui o trabalho do colega, do companheiro Astro de Ogum. O presidente Astro de Ogum pode contar com o meu total apoio. Quero que vossa excelência volte a se candidatar a presidente desta casa, porque tem meu voto, de forma incondicional”, assegurou Diniz, acompanhado pelos demais colegas de Parlamento.

A eleição da Mesa Diretora da Câmara  está prevista para acontecer no fim de abril, como tradicionalmente vemocorrendo em anos eleitorais.

De acordo com o Astro, durante os três anos de sua administração, a CMSL teria evoluído, com implantação inédita de transparência nas movimentações financeira e pessoal da Casa, adimplência da folha de pagamento e de repasse a terceirizas, dentre outros avanços. “Estamos aí com o Portal de Transparência, com pagamento dos fornecedores e dos funcionários em dia, o recadastramento em andamento e outras inovações. Portanto, não se pode desconhecer a evolução de nosso trabalho”, assinalou.

Em provável recado a Osmar Filho, o chefe do Poder Legislativo municipal alertou que não pretende se perpetuar no comando da Câmara, mas que é prerrogativa de todos os membros da Casa concorrer à vaga. Ele rebateu ainda o baixo nível quem tem tomado conta da disputa.

“Não cheguei aqui para me perpetuar no poder, fui eleito presidente como forma de dar minha  contribuição a este parlamento. Todos podem almejar esse cargo, é uma prerrogativa de todos. Não posso aceitar aqui são agressões. Jamais utilizei desse expediente ao longo dos maus mandatos, nunca agredi  nenhum colega”, ressaltou.

Filha do juiz Osmar Gomes é nomeada em alto cargo no governo Flávio Dino
Política

Bianca Rodrigues está nomeada desde janeiro no cargo de Assessor Jurídico da Secretaria das Cidades e Desenvolvimento Urbano

Com filha empregada no governo, juiz Osmar Gomes não se viu suspeito em pedido de prisão contra desafeto de  Flávio Dino
Facebook Decisão fácil Com filha empregada no governo, juiz Osmar Gomes não se viu suspeito em pedido de prisão contra desafeto de Flávio Dino

Se o fato de ter um filho como líder da base aliada do governador Flávio Dino (PCdoB) na Câmara Municipal de São Luís já coloca o juiz Osmar Gomes, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, em suspeição no decreto de prisão do ex-chefe da Casa Civil do governo Roseana Sarney, João Guilherme de Abreu, o surgimento de um novo fato deve agora confirmar a suspeita de que o pai do vereador Osmar Filho (PDT) não agiu em conduta compatível com o exercício da magistratura.

Osmar é pai de da jovem Biana Rodrigues dos Santos, empregada no governo Flávio Dino no cargo de Assessor Jurídico, Simbologia DAS-1, da Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano, desde o 21 de janeiro, mas com data de remuneração retroativa ao 1º dia do mesmo mês.

Conforme antecipado pelo Atual7 mas cedo, de acordo com a causa de impedimento arrolada parágrafo V do artigo 135 do Código de Processo Civil (CPC), pelo grau de parentesco com pessoas de dentro do governo, o titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri deveria ter preservado o princípio da imparcialidade do julgador e se dado por suspeito do pedido de cerceamento da liberdade do ex-auxiliar governamental.

Diante de outras coincidências que só ocorrem no Maranhão e que reforçam a tese de viés político, como o fato da Seccional maranhense da Ordem dos Advogados ter se silenciado durante todo o procedimento que levou ao reconhecimento de João Abreu no Quartel do Corpo de Bombeiros e ter se pronunciado somente após pressão dos advogados de defesa, a suspeita de que o titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri agiu sob interesse particular aumenta ainda mais, e por isso deve ser levada ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Abaixo, trecho da nomeação de Bianca Rodrigues, filha de Osmar Gomes, no governo Flávio Dino:

Bianca Rodrigues faz parte do governo Flávio Dino desde janeiro; emprego pode ter influenciado decisão de Osmar Gomes em decretar prisão de João Abreu
Diário Oficial MA A filha do juiz Bianca Rodrigues faz parte do governo Flávio Dino desde janeiro; emprego pode ter influenciado decisão de Osmar Gomes em decretar prisão de João Abreu

Juiz que decretou prisão de João Abreu é pai de vereador aliado de Flávio Dino
Política

Titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri é pai do vereador Osmar Filho, líder do governo Edivaldo Holanda Júnior na Câmara de São Luís

O juiz Osmar Gomes, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, que acolheu praticamente na íntegra os argumentos da Polícia Civil do Maranhão e decretou a prisão do ex-chefe da Casa Civil do governo Roseana Sarney, João Guilherme de Abreu, é pai do vereador em São Luís Osmar Filho (PDT), líder do governo Edivaldo Holanda Júnior na Câmara e aliado de primeira hora do governador Flávio Dino (PCdoB) na capital.

O filho do magistrado é um dos 15 vereadores ludovicenses que, durante a campanha eleitoral de 2014, reuniu-se com Dino e os outros candidatos da chapa majoritária da coligação Todos pelo Maranhão para reafirmar seu apoio em colocar Flávio Dino no controle do Palácio dos Leões. Em agosto passado, trocou o PSB pelo PDT, mais próximo do governo comunista.

Segundo a causa de impedimento arrolada parágrafo V do artigo 135 do Código de Processo Civil (CPC), por ser pai de Osmar Filho, o titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri deveria ter preservado o princípio da imparcialidade do julgador e se dado por suspeito do pedido de cerceamento da liberdade do ex-auxiliar governamental feito pela Superintendência de Investigações Criminais (Seic).

Filho de Osmar Gomes sentado ao lado de Flávio Dino, em 2014
Divulgação Tá tudo dominado Filho de Osmar Gomes sentado ao lado de Flávio Dino, em 2014. Pai foi quem decretou prisão de ex-chefe da Casa Civil

Como não agiu conforme determina a Lei, pela suspeita de sua conduta não ter sido compatível com o exercício da magistratura, já que a decisão judicial pode ter sido dada sob interesse particular, em prol da aliança do filho o governador do Maranhão, o juiz Osmar Gomes - que é conhecido pela atuação política em todas as comarcas em que passou, inclusive a de ser cabo eleitoral de Osmar Filho - pode ser arguido do decreto de prisão de João Abreu, e ainda ser aposentado compulsoriamente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Precedentes

Esta não é a primeira vez que um membro do Poder Judiciário maranhense não se dá por suspeito ou mesmo impendido em algum processo e julga a favor do governo Flávio Dino, mesmo tendo relações diretas e indiretas com o comunista.

Em meados de maio, o juiz João Francisco Gonçalves Rocha, titular da 5ª Vara da Fazenda Pública, que é irmão do suplente de deputado estadual Amilcar Gonçalves Rocha (PCdoB), ex-sócio de Dino empregado na Secretaria de Articulação Política e Assuntos Federativos, e que tem ainda o cunhado de seu irmão em alto cargo no governo, o também ex-sócio do governador do Maranhão, Antônio Leitão Nunes, condenou o jornal O Estado Maranhão, por matéria absolutamente correta, jornalística e eticamente, envolvendo a morte de três pacientes, sendo duas crianças e uma idosa, no Hospital Macrorregional de Coroatá, no dia 18 de abril deste ano, por falta de oxigênio.

Um mês antes, o juiz Clésio Coelho Cunha, que responde pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, e que teve nas mãos a missão de julgar uma ação popular contra o Governo do Estado o caso da licitação das operadoras na gestão da saúde maranhense, confessou em rede social ser um admirador do governador Flávio Dino. Acuado, o magistrado excluiu a conta e, respectivamente, as postagens da rede social.

Diante dos fatos, por mais que o governador do Maranhão corra para o Twitter para alegar [a quem não é bloqueado por ele na rede social] que não possui "competência legal" para estar por trás do indiciamento e prisão de Abreu, além da inércia dolosa do presidente da Seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil, Mário Macieira, a ligação indireta de Flávio Dino com magistrados, como na relação com o juiz Osmar Gomes por meio de Osmar Filho, reforça a tese de viés político na ação contra o ex-chefe da Casa Civil no governo Roseana, conforme afirmou a própria ex-governadora do Maranhão.