Aluísio Mendes
Aluísio quer que Maranhãozinho seja submetido a teste de alfabetização
Política

Deputado do PR apresentou à Justiça Eleitoral certificado de escolaridade suspeito e juntou uma suposta matrícula em curso superior para provar que sabe ler e escrever. PF já apura o caso

O deputado estadual e candidato à Câmara dos Deputados, Josimar Cunha Rodrigues, o Josimar de Maranhãozinho ou Moral da BR (PR), é alvo de representação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão que pode obrigá-lo a se submeter a um teste de alfabetização e ditado, para provar que não é analfabeto e cumpre uma exigência constitucional — de saber ler e escrever — para aqueles que pretendem ocupar cargos eletivos.

Segundo denúncia formulada ao TRE/MA e à Polícia Federal pelo deputado federal Aluísio Mendes (Pode), integrante da bancada da Lava Jato na Câmara e que concorre à reeleição, Maranhãozinho teria apresentado documentos escolares supostamente fraudados à Justiça Eleitoral, quando de seu pedido de registro de candidatura à Câmara Baixa. Em caso de condenação, a denúncia de Aluísio pode tanto impedir que o deputado do PR concorra à Câmara quanto resultar em até uma sentença de cinco anos de reclusão.

Também por iniciativa do Podemos, Josimar de Maranhãozinho já é alvo de inquérito na PF por suposta falsificação da mesma documentação, apresentada à Corte Eleitoral na eleição de 2014. De acordo com a denúncia, para concorrer naquele pleito, Maranhãozinho apresentou comprovante de escolaridade do ensino fundamental suspeito, não apresentou comprovante de ensino médio e ainda juntou uma suposta matrícula em curso superior na Universidade Anhanguera.

Agora, no pedido de registro de candidatura nas eleições de 2018, Maranhãozinho mudou seu nível de escolaridade e o respectivo comprovante.

“O comprovante de escolaridade apresentado agora é diferente do que foi usado nas eleições de 2014, o que mostra a continuidade delitiva e a livre consciência para burlar a lei eleitoral”, afirma Aluisio Mendes.

A denúncia pede que Josimar de Maranhãozinho seja submetido ao teste de alfabetização perante o juiz do TRE/MA, para saber se ele detém as condições mínimas exigidas para ser candidato e, independente do julgamento do seu registro de candidatura, já foi protocolado contra ele um segundo pedido de inquérito na Polícia Federal, para analisar os documentos apresentados à Justiça Eleitoral.

Líder da bancada da Lava Jato, Aluísio Mendes amplia apoio em mais 20 municípios
Política

Disputando a reeleição, deputado federal do Podemos tem mantido agenda de pré-campanha intensa nas últimas semanas

A dois meses da eleição, o deputado federal Aluísio Mendes (Podemos-MA) caminha com tranquilidade para se manter como um dos representantes do Maranhão na Câmara Federal. Um dos líderes da bancada da Lava Jato, o parlamentar tem mantido uma agenda intensa de apoios à sua reeleição, em diversos municípios do Maranhão.

Somente nas últimas semanas de julho, Aluísio, que é ex-secretário de Segurança Pública do Maranhão, recebeu o apoio de lideranças sociais e políticas, durante encontros, em pelo menos 20 cidades do estado: Barra do Corda, Senador La Rocque, São José de Ribamar, Pindaré-Mirim, Imperatriz, Paulino Neves, Estreito, Tutóia, Santa Helena, Grajaú, Fortaleza dos Nogueiras, São Bento, Pedreiras, Barreirinhas, Lago da Pedra, Colinas, Urbano Santos, Belágua, Santa Quitéria e Bacurituba.

“Ficamos felizes em ter o apoio de pessoas que defendem um novo jeito de fazer política, baseado em honestidade, competência e compromisso com a população”, destacou recentemente, durante uma grande manifestação de apoio à sua reeleição, em Senador La Rocque.

Além da apresentação e relatoria de projetos importantes defendidos na Câmara, segundo a assessoria do deputado, Aluísio Mendes também tem contribuído para o desenvolvimento das cidades maranhenses por meio da destinação de emendas, que estão possibilitando a entrega de novas obras e serviços públicos à população.

Lideranças de outras cidades, inclusive as que até outro dia eram controladas a mão de ferro pelo deputado Josimar de Maranhãozinho (PR), têm começado a perder o medo que ainda domina parte do interior do estado e fechado apoio com o deputado do Podemos.

Frente da PF

Capitaneada por Aluísio e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) – filho do pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL-RJ), a bancada da Lava Jato é formada por políticos compromissados com a segurança pública e o combate à corrupção, tanto por aqueles que já são parlamentares quanto quem vai disputar a eleição pela primeira vez. A frente também possui nomes ao Senado.

Aluísio Mendes e demais nomes da bancada da Lava Jato, durante evento de lançamento da Frente de Agentes da Polícia Federal, em Brasília, organizado pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) em maio deste ano
Foto: André Dusek/Estadão Frente da PFAluísio Mendes e demais nomes da bancada da Lava Jato, durante evento de lançamento da Frente de Agentes da Polícia Federal, em Brasília, organizado pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) em maio deste ano

Além de Aluísio e Eduardo Bolsonaro, os outros nomes da bancada da PF já conhecidos são: Jorielson Nasciomento (AP), Farley Meyer (TO), Odécio Carneiro (CE), Jorge Federal (PE), Anderson Muniz (BA), Flávio Moreno (AL), José Santiago (DF), Carlos Henrique Arouc (DF), Claudio Prates (MG), Ed Camata (ES), Sandro Ara[ujo (RJ), Plinio Ricciardi (RJ), Mauro Ricciardi (RJ), Danilo Balas (SP), Marcio Pacheco (PR), Bibiana Orsi (PR), Marco Monteiro (RS), Ubiratan Sanderson (RS), Renee Venâncio (MS), André Salineiro (MS), Lucas Valença (GO), Suender (GO), Rafael Ranalli (MT), João Bosco (RO) e Jamyl Asfury (AC).

Outros nomes ligados à Polícia Federal que também disputarão o pleito de outubro deste ano, embarcando no forte apelo popular da Lava Jato e do combate à corrupção e melhorias na segurança pública são: os deputados Delegado Francischini (SD-PR); Delegato Edson Moreira (PR-MG); Delegado Waldir (PR-GO); e Delegado Éder Mauro (PSD-PA).

Comissão aprova inclusão de guardas municipais na Força Nacional
Política

Proposta recebeu parecer favorável e defesa do deputado federal Aluísio Mendes

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou projeto de lei que inclui as guardas municipais entre as instituições que podem compor a Força Nacional de Segurança Pública. Apresentada pelo deputado Laudivio Carvalho (Pode-MG), a proposta recebeu parecer favorável e defesa do deputado federal Aluísio Mendes (Pode).

“Nossas guardas municipais estão cada vez mais profissionais e, nesse contexto caótico enfrentado diariamente pela sociedade brasileira no campo da segurança pública, abrir mão de seus efetivos na Força Nacional de Segurança Pública é uma irresponsabilidade”, destacou o parlamentar maranhense.

Criada no governo Luiz Inácio Lula da Silva, a Força Nacional é um órgão de cooperação federativa cuja função é preservar a ordem pública, a segurança das pessoas e do patrimônio. Atualmente, é uma tropa ligada ao Ministério da Justiça e atua em situações de emergência e calamidade pública, além de operações ambientais.

Ao contrário das Forças Armadas, a Força Nacional não é uma tropa federal. Ela é composta de policiais federais e policiais de órgãos de segurança estaduais (bombeiros, policiais militares e civis), que são selecionados dentro de suas instituições e passam por curso de capacitação para atuar no órgão.

Com as alterações propostas pelo projeto, a União poderá firmar convênio não apenas com os Estados e o Distrito Federal, mas também com os Municípios para que as guardas municipais possam compor a Força Nacional. Os membros dessas guardas que integrarem a tropa passariam a receber diárias, da mesma forma que os policiais dos Estados e do DF. As atribuições da Força Nacional passariam a incluir também a proteção de bens, serviços e instalações municipais.

A proposta será analisada, em caráter conclusivo, pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Aluísio Mendes avança em municípios controlados por Maranhãozinho
Política

Lideranças de Zé Doca e Centro do Guilherme reafirmaram apoio à reeleição do parlamentar do Podemos para a Câmara Federal

Lideranças de Zé Doca e de Centro do Guilherme, cidades localizadas no Oeste Maranhense, ratificaram apoio à reeleição do deputado federal Aluísio Mendes (Podemos), em atos políticos realizados no último fim de semana. A reafirmação de estabelecimento de base eleitoral nesses municípios é simbólica, pois representa o avanço do parlamentar em localidades, até então, controladas pelo deputado estadual Josimar de Maranhãozinho (PR).

Há anos a população dessas cidades temia confrontar Maranhãozinho, político metido a coronelzinho feudal, por conta do controle imposto por ele a mão de ferro nestes e em outros municípios. Diante das ações de Aluísio Mendes em benefício da população, porém, a esperança começa a vencer o medo. “Agradeço a todos pela receptividade e pela confiança demonstrada em nosso trabalho”, declarou Aluisio, num dos encontros.

Em Zé Doca, ele conta com o apoio do professor Zé Costa, vereadores e outras lideranças municipais.

No município, os cofres da prefeitura ainda são comandados pela irmã de Maranhãozinho, Josinha Cunha (PR). Como o irmão, ela é alvo de diversas ações na Justiça por malversação e possível desvio de dinheiro público, tendo inclusive tentado evitar um pedido de prisão pela Polícia Federal contra ela e outros membros da família, no bojo da Operação, por meio de um Habeas Corpus.

Também por meio do apoio de Zé Costa, Aluisio Mendes esteve em Centro do Guilherme, que fica na Microrregião de Gurupi, onde foi recebido pelo líder de oposição Fernandinho e o vereador João de Deus (SD). “Estávamos precisando de uma parceria como essa, com um deputado de coragem, para lutar ao nosso lado pela libertação desse município tão sofrido”, disse o vereador.

A cidade, incluída na rota da Estrada da Fome quando esteve sob a administração da mulher de Josimar de Maranhãozinho, a ex-prefeita ficha-suja Detinha, ainda é controlada pelo deputado por meio do prefeito Zé de Dário. Todos são do PR, presidido no estado por Maranhãozinho.

Além de Zé Doca e Centro do Guilherme, Aluísio Mendes também teve apoios reafirmados, ainda no último fim de semana, por lideranças políticas nas cidades de Araguanã e Governador Nunes Freire, onde foi recebido por uma multidão de populares.

Aluisio Mendes cobra melhoria da telefonia móvel no Maranhão
Política

Para o parlamentar, questões citadas pelas operadoras como motivos da má qualidade dos serviços não podem justificar os prejuízos sofridos pela população

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal promoveu audiência pública, na última quarta-feira 6, para discutir os serviços prestados pelas operadoras de telefonia móvel no Maranhão. A reunião extraordinária foi presidida pelo deputado Aluísio Mendes (Pode), que solicitou a audiência, e contou com a participação do presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Juarez Quadros, e de representantes das operadoras Claro, Vivo, Tim e Oi, e do Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor (Procon) do Maranhão.

Para Aluísio Mendes, todas as questões citadas como motivos da má qualidade dos serviços não podem justificar os prejuízos sofridos pela população. “Há municípios no Maranhão que ficam vários dias sem sinal de telefonia móvel, como Formosa da Serra Negra, Carutapera e a comunidade do Alto Brasil, em Grajaú. Não podemos mais aceitar essa situação. Vamos continuar acompanhando, pois o maranhense paga caro pelos serviços e tem o direito de ser bem atendido”, enfatizou ele.

Dois problemas foram citados pelas operadoras como justificativas para as interrupções do sinal da telefonia móvel: a oscilação de fornecimento de energia elétrica no Maranhão e a demora na votação de projetos que modernizam e regulamentam a telecomunicação, que estão parados no Congresso.

Aluisio Mendes ressaltou que a telecomunicação deve ser tratada com atenção pelo governo. Hoje o Brasil tem 244 milhões de linhas ativas, isso significa que os serviços precisam ser melhores para atender com qualidade a essa demanda e alcançar as pessoas que ainda não têm acesso à telefonia móvel.

“Se o problema for a energia elétrica, cobraremos providências dos responsáveis. Quanto à legislação ou regulamentação de impostos, faremos um acompanhamento rigoroso de todos os projetos que versam sobre telecomunicação, tornando possível sua tramitação”, assegurou Aluisio Mendes.

PEC da prisão em segunda instância tem apoio de apenas oito deputados do MA
Política

Proposta propõe mudança no artigo da Constituição que trata da consideração de culpa em trânsito julgado

A Câmara dos Deputados analisa, desde a última terça-feira 27, quando foi protocolada, proposta que inclui na Constituição a possibilidade de prisão de réu condenado em segunda instância. A matéria é de autoria do deputado federal Alex Manente (PPS-SP), e teve a adesão impulsionada pela entrevista do juiz federal Sergio Moro, na noite do dia anterior, ao programa Roda Viva. Para o magistrado de Curitiba, uma eventual revisão do precedente que permitiu a prisão antes de esgotados todos os recursos, em pauta no Supremo Tribunal Federal (STF), representaria “um passo atrás” no combate à corrupção.

Das 195 assinaturas validadas pela Secretaria-Geral da Mesa, que representa 24 a mais do que o número mínimo necessário para a tramitação da PEC na Casa, apenas oito são de deputados do Maranhão. São eles: Alberto Filho (MDB), Aluísio Mendes (PODE), Eliziane Gama (PPS), Hildo Rocha (MDB), Júnior Marreca (PEN), Luana Costa (PSB), Weverton Rocha (PDT) e Zé Carlos (PT).

Segundo o texto, a PEC propõe a substituição do Artigo 5º da Constituição em que diz que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória” por “ninguém será considerado culpado até a confirmação de sentença penal condenatória em grau de recurso”.

A proposta agora ficará na fila para ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. A inclusão na pauta dependerá de um acordo entre os partidos.

Caso aprovada na CCJ, a matéria tramitará em uma comissão especial, cuja criação depende do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). Se for aprovada na comissão especial, seguirá para o plenário. Por se tratar de uma mudança na Constituição, a PEC precisará ser aprovada por pelo menos 308 votos em dois turnos, antes de seguir para o Senado.

Intervenção no Rio

O Artigo 60 da Constituição, contudo, diz que a Carta não pode ser alterada enquanto durar decreto de intervenção federal, como é o caso atual do Rio de Janeiro, onde a segurança pública está sob o comando das Forças Armadas.

Diante disso, em março passado, Rodrigo Maia decidiu que as PECs em análise na Câmara poderão tramitar, mas não poderão ser votadas pelo plenário.

“Me sinto envergonhado”, diz Aluísio sobre subserviência de deputados ao Palácio
Política

Deputado criticou atitude dos parlamentares que manobraram e barraram uma moção de aplausos à superintendente da PF-MA pela Operação Pegadores

O deputado federal Aluísio Mendes (Podemos) usou as redes sociais para criticar os parlamentares estaduais que, anilhados ao Palácio dos Leões, manobraram e barraram uma moção de aplausos à superintendente da Polícia Federal do Maranhão, delegada Cassandra Parazi.

A proposta foi apresentada pelo deputado Wellington do Curso (PP), em homenagem à condução dos trabalhos da 5ª fase da Sermão aos Peixes, denominada Operação Pegadores. Deflagrada há duas semanas, a operação pilhou o governo Flávio Dino, do PCdoB, em desvios de mais de R$ 18 milhões de recursos públicos da saúde.

Para Aluísio, a atitude de subserviência de quase a totalidade do Parlamento estadual contraria a grande maioria da população brasileira, que reconhece a importância e aplaude a PF por seu trabalho contra a corrupção.

“Enquanto a grande maioria do povo brasileiro reconhece a importância e aplaude a Polícia Federal por seu trabalho contra a corrupção, a Assembleia Legislativa do Maranhão nega moção de aplausos à instituição que é hoje a mais aprovada pelos brasileiros”.

Ex-agente da PF, ele disse ainda que a ação dos deputados estaduais maranhenses causam vergonha.

“Como policial federal e representante da categoria na Câmara, me sinto envergonhado em ver o Poder Legislativo do Maranhão tão subserviente ao governo Flávio Dino, que tem criticado a Polícia Federal por ter descoberto desvio de recursos na atual gestão”, lamentou.

Aluísio pede ao TRF-1 informações sobre processos criminais contra Josimar
Política

Pedido foi encaminhado diretamente ao presidente do órgão. Deputado baseou requerimento da Lei de Acesso à Informação

O deputado federal Aluísio Mendes (PODE) encaminhou ofício ao presidente do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, desembargador Hilton José Gomes Queiroz, no início deste mês, solicitando informações sobre a existência de processos criminais que tramitam no órgão contra o deputado estadual Josimar Cunha Rodrigues, o Josimar de Maranhãozinho (PR).

Mendes usou como base a Lei n.º 12.527/2011, a chamada Lei de Acesso à Informação (LAI), que regulamenta o direito constitucional de acesso às informações públicas.

Segundo o deputado federal, ex-secretário estadual de Segurança Pública do Maranhão, o seu gabinete na Câmara dos Deputados tem recebido diversos pedidos de informação a respeito de processos criminais contra Maranhãozinho na esfera federal.

O requerimento tem entre seus anexos uma certidão da Seção Judiciária do Maranhão, a respeito de um processo em que Josimar, conhecido na região do Alto e do Baixo Turi como “Moral da BR”, foi indiciado por furto qualificado e formação de quadrilha. À época, por medo de ser preso pela Polícia Federal, ele chegou a correr atrás de um habeas corpus, como revelou o ATUAL7.

Nesse inquérito, inclusive, além de Josimar, também aparecem como indiciadas pela PF a sua mulher, a ex-prefeita do município de Centro do Guilherme, Maria Deusdete Lima, a Detinha, e Maria Josenilda Cunha Rodrigues, a Josinha Cunha, atual prefeita de Zé Doca e irmã do deputado denunciado. Ambas também são do PR, que tem Josimar como presidente estadual.

Maranhãozinho adota silêncio após ser alvo de pedido de investigação
Política

Deputado é alvo de notícia-crime ingressada pelo seu novo desafeto, Aluísio Mendes, por suposta falsificação de documentos

Acostumado a responder e atacar até magistrados sempre que colocado sob suspeita, o deputado estadual Josimar Cunha Rodrigues, o Josimar de Maranhãozinho ou Moral da BR, recuou do tradicional estilo cabra-macho e adotou o silêncio sepulcral após ser alvo de pedido de investigação, feito pelo deputado Aluísio Mendes (PODE), seu mais novo desafeto político.

Segundo notícia-crime ingressada por Mendes no Ministério Público Eleitoral (MPE) contra Maranhãozinho, ele teria cometido falsificação de documentos — requisitos para o deferimento do registro de candidatura — nas eleições de 2014, quando apresentou o calhamaço à Justiça Eleitoral.

Um farto material foi anexado ao processo, inclusive assinaturas que seriam do deputado estadual, que é ainda presidente do PR no Maranhão, mas que não coincidem com seu nome ou não são iguais a outras a ele atribuídas. Há ainda um vídeo com sua história de vida, onde ele próprio diz ter estado no estado do Amazonas, mas no mesmo período em uma certidão escolar aponta que estaria estudando em São Luís.

Apesar da gravidade, Josimar de Maranhãozinho ainda não se manifestou da denúncia. Até à tribuna da Assembleia Legislativa, inclusive, ele tem evitado ir.

Aluísio Mendes denuncia Maranhãozinho por suposta falsificação de documentos
Política

Caso será analisado pelo MPE. Notícia-crime tem mais de 130 documentos e uma mídia em vídeo

O deputado federal Aluísio Mendes (PODE) deu entrada em notícia-crime no Ministério Público Eleitoral (MPE) do Maranhão visando à instauração de investigação federal contra o deputado estadual e presidente estadual do PR, Josimar Cunha Rodrigues, o Josimar de Maranhãozinho, por suposta falsificação de documentos apresentados à Justiça Eleitoral para registro de candidatura nas eleições de 2014.

Para a abertura de investigação federal foram apresentados mais de 130 documentos e uma mídia em vídeo em que constam vários elementos que necessitam de profunda averiguação. Há, por exemplo, assinaturas - que seriam de Maranhãozinho - que não coincidem com o nome do deputado estadual ou não são iguais a outras a ele atribuídas.

Na denúncia, é questionada ainda a autenticidade de documentos usados pelo presidente estadual do PR para comprovar a escolaridade declarada à Justiça Eleitoral.

Pelo Código Eleitoral, “falsificar, no todo ou em parte, documento particular ou alterar documento particular verdadeiro para fins eleitorais” é crime sujeito a reclusão de até cinco anos e pagamento de três a 10 dias-multa.

Segundo Aluísio Mendes, a denúncia é gravíssima e merece profunda investigação, pois trata de fatos que não podem ser tolerados ou aceitos, principalmente se cometidos por um homem público.

“Por isso pedimos a investigação e aguardamos as providências dos órgãos competentes, assim como temos agido com relação a todas as denúncias que chegam ao nosso gabinete”, ressaltou.

“Quem sugere essa chapa não entende de política”, diz Aluísio Mendes
Política

Deputado comentou sobre boato de que Maura Jorge seria vice de Eduardo Braide na disputa pelo governo do Maranhão em 2018

O deputado federal Aluísio Mendes rechaçou o boato de que a pré-candidata ao governo do Maranhão pelo Podemos, Maura Jorge, possa ser vice do deputado estadual Eduardo Braide (PMN) numa possível chapa em 2018.

“Sem chance! Maura Jorge é candidata a governadora! Além do mais, está a frente nas pesquisas e tem o nome consolidado no interior e na capital. Quem sugere essa chapa Braide/Maura não entende de política”, declarou o parlamentar, que é uma das lideranças do partido na Câmara dos Deputados.

O boato veio a público após postagem do jornalista Marco Aurélio D'Eça, que aponta ainda a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB) como os nomes ao Senado no caso de uma aliança entre o quarteto.

Todos foram procurados pela reportagem, mas ainda não retornaram para comentar sobre o assunto.

Antigo Partido Trabalhista Nacional (PTN), o Podemos anunciou recentemente a saída da base do governo Michel Temer, assumindo posição de independência em relação ao governo federal. No Maranhão, tendo como presidente a pré-candidata ao governo estadual Maura Jorge, a legenda faz oposição ao governo Flávio Dino. Atualmente o partido possui 13 deputados federais e já acertou a filiação dos senadores Álvaro Dias, Romário e Reguffe no final deste mês.

Veja quais deputados do MA pediram urgência para texto que tira poderes do TSE
Política

Projeto de lei retira punição a partidos que não prestarem contas

A Câmara dos Deputados aprovou, na última terça-feira 7, pedido de tramitação em regime de urgência de um projeto de lei que confronta uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e reduz a previsão de punições a partidos políticos, envolvendo prestação de contas.

Com a decisão, que teve 314 votos favoráveis, 17 contrários e quatro abstenções, ganha prioridade a tramitação do texto. Até o momento, o projeto sequer tinha relator designado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Agora, proposta já pode ser votada no plenário da Casa nesta quinta-feira 9.

Abaixo, confira quais deputados do Maranhão votaram pelo pedido de urgência para tramitação do projeto (em ordem alfabética por partido):

DEM
Juscelino Filho

PDT
Weverton Rocha

PEN
Junior Marreca

PMDB
Alberto Filho
João Marcelo Souza

PP
Waldir Maranhão

PRB
Cléber Verde

PSB
Luana Costa

PSD
Victor Mendes

PT
Zé Carlos

PTB
Pedro Fernandes

PTN
Aluísio Mendes

Nomeação de Gastão articulada como passo para reaproximação entre Dilma e Sarney
Política

Outro nome ligado a Sarney que deve assumir uma secretaria no Ministério da Justiça ou mesmo um ministério é o líder do PTN, Aluísio Mendes

Pessoas ligadas ao PMDB na Câmara dos Deputados admitiram ao Atual7, na manhã desta quinta-feira 7, que a nomeação do ex-ministro do Turismo Gastão Vieira ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) foi uma articulação que envolveu os ex-presidentes José Sarney (PMDB-AP) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Lula está em Brasília para tentar conter o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). O governo acredita que pode ter até 200 votos na Câmara contra a ação e tem distribuído cargos em segundo e terceiro escalão para conter os ânimos mais exaltados.

Desde a semana passada, Sarney tem intensificado o coro contra o governo federal. Mas Lula iniciou uma reaproximação do governo com caciques do PMDB. E parte dessa reaproximação consiste em aumentar o nível de influência de Sarney na Esplanada dos Ministérios, radicalmente reduzida pelo governo Dilma Rousseff.

Nas conversas de que haveria uma mudança nas relações do PMDB com o governo, Sarney exigiu uma contrapartida do Poder Executivo. A primeira foi a nomeação de Gastão Vieira. Pela primeira vez um político vai assumir o FNDE, uma pasta com orçamento de aproximadamente R$ 30 bilhões.

Com a nomeação de Gastão, o governo também espera captar os votos do PROS na Câmara e manter, ao menos, três votos dos peemedebistas maranhenses na casa: Hildo Rocha, Alberto Filho e João Marcelo. Conforme o Atual7 apurou, outros nomes ligados ao grupo Sarney estão sendo sondados para assumir cargos no segundo e terceiro escalão petista.

Um nome que aparece forte para assumir uma secretaria no Ministério da Justiça ou mesmo um ministério é o líder do PTN, o deputado Aluísio Mendes. O ex-secretário de Segurança Pública do Maranhão é um nome muito próximo à Sarney e tem se destacado pelo trâmite acima do normal que vem tendo na capital federal.

Nenhum parlamentar maranhense aparece entre os melhores do Congresso
Política

Jean Wyllys foi eleito o melhor deputado federal. Ronaldo Caiado foi eleito o melhor senador. Prêmio Congresso em Foco 2015 foi divulgado ontem

Nenhum dos 18 deputados federais ou dos três senadores maranhenses foi lembrado entre os melhores do Congresso Nacional, de acordo com o resultado final do Prêmio Congresso em Foco 2015.

Acusação de envolvimento em propinagem pode ter sido motivo que levou Lobão a não ganhar sequer um mísero voto
Edilson Rodrigues/Agência Senado Nenhunzinho Acusação de envolvimento em propinagem pode ter sido motivo que levou Lobão a não ganhar sequer um mísero voto

O Prêmio é dividido em sete categorias - Parlamentares do Futuro; Defesa da Agropecuária; Defesa da Cidadania e da Justiça Social; Combate à Corrupção e ao Crime Organizado; Profissionalização da Gestão Pública; Deputados Mais Bem Avaliados pelos Jornalistas e Senadores Mais Bem Avaliados pelos Jornalistas - e teve o resultado geral divulgado nessa quinta-feira 8.

Na categoria “Melhores Deputados", Jean Wyllys (PSOL-RJ) foi o deputado federal mais bem avaliado pelo público. Essa categoria classificou 20 deputados. Com 19.809 votos para essa categoria, esta é a terceira edição do prêmio em que o deputado pelo Rio de Janeiro recebe a homenagem. Ele foi o deputado mais votado nas edições de 2013 e 2012.

Além da premiação na categoria geral, Jean Wyllys também foi o mais votado na categoria “Parlamentares de Futuro”, que homenageou deputados e senadores com menos de 45 anos, “Defesa da Cidadania e da Justiça Social”, e foi o segundo deputado mais bem avaliado pelos jornalistas que cobrem o Congresso Nacional.

Já na categoria “Melhores Senadores”, foi classificado o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO). Ao todo, 10 senadores foram classificados. Com 19.427 votos do público para essa categoria, esta é a quinta edição do prêmio em que é homenageado. O parlamentar também foi homenageado em outras duas: “Defesa da Agropecuária" e “Defesa da Cidadania e da Justiça Social”, em que ficou em terceiro lugar.

Maranhão

Pras bandas do Maranhão, os três deputados federais maranhenses mais bem votados - se é que se pode considerar boa votação - foram: Aluísio Mendes (PSDC), na 74ª colocação, com 494 votos; Cléber Verde (PRB), na 107ª colocação, com 282 votos; e Rubens Pereira Júnior (PCdoB), na 123ª colocação, com 227 votos.

Amargando os últimos três lugares na bancada federal maranhense ficaram: os deputados federais Juscelino Filho (PRP), com 13 votos; Deoclides Macedo (PDT) e João Marcelo (PMDB), cada um com 7 votos, sendo que Macedo não é mais deputado desde março.

Na ordem de senadores, ficou: Roberto Rocha (PSB) no vergonhoso 43º lugar, com 137 votos; e João Alberto (PMDB) no humilhante 50º lugar, o penúltimo na ordem de classificação geral, com apenas 36 votos. Edison Lobão (PMDB), que retornou ao Senado desde janeiro e é acusado de propinagem na Operação Lava Jato, sequer foi citado, pois não ganhou um voto.

Abaixo, os nomes dos parlamentares premiados separados por categoria e ordem de classificação geral:

I – CATEGORIAS GERAIS

Melhores Deputados

1 – Jean Wyllys (Psol-RJ)
2 – Chico Alencar (Psol-RJ)
3 – Eduardo Bolsonaro (PSC-SP)
4 – Ivan Valente (Psol-SP)
5 – Edmilson Rodrigues (Psol-PA)
6 – Onyx Lorenzoni (DEM-RS)
7 – Jandira Feghali (PCdoB-RJ)
8 – Domingos Sávio (PSDB-MG)
9 – Carlos Sampaio (PSDB-SP)
10 – Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP)
11 – Maria do Rosário (PT-RS)
12 – Celso Russomanno (PRB-SP)
13 – Tiririca (PR-SP)
14 – Alessandro Molon (Rede-RJ)
15 – Fernando Francischini (SD-PR)
16 – Delegado Waldir (PSDB-GO)
17 – Pastor Eurico (PSB-PE)
18 – Luiza Erundina (PSB-SP)
19 – Mendonça Filho (DEM-PE)
20 – Antonio Imbassahy (PSDB-BA)

Melhores Senadores

1 – Ronaldo Caiado (DEM-GO)
2 – Romário (PSB-RJ)
3 – Aécio Neves (PSDB-MG)
4 – Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
5 – Magno Malta (PR-ES)
6 – Cristovam Buarque (PDT-DF)
7 – Alvaro Dias (PSDB-PR)
8 – Marcelo Crivella (PRB-RJ)
9 – José Medeiros (PPS-MT)
10 – Paulo Paim (PT-RS)

II – CATEGORIAS ESPECIAIS

Parlamentares de Futuro

1 – Jean Wyllys (Psol-RJ)
2 – Rodrigues (Rede-AP)
3 – Alessandro Molon (Rede-RJ)
4 – Bruno Araújo (PSDB-PE)
5 – Roberto Sales (PRB-RJ)

Defesa da Agropecuária

1 – Ronaldo Caiado (DEM-GO)
2 – Aécio Neves (PSDB-MG)
3 – Ana Amélia (PP-RS)
4 – Marcelo Crivella (PRB-RJ)
5 – Alvaro Dias (PSDB-PR)

Defesa da Cidadania e da Justiça Social

1 – Jean Wyllys (Psol-RJ)
2 – Chico Alencar (Psol-RJ)
3 – Ronaldo Caiado (DEM-GO)
4 – José Medeiros (PPS-MT)
5 – Romário (PSB-RJ)

Combate à Corrupção e ao Crime Organizado

1 – Eduardo Bolsonaro (PSC-SP)
2 – Chico Alencar (Psol-RJ)
3 – Aécio Neves (PSDB-MG)
4 – Ivan Valente (Psol-SP)
5 – Alessandro Molon (Rede-RJ)

Profissionalização da Gestão Pública

1 – Eduardo Bolsonaro (PSC-SP)
2 – Aécio Neves (PSDB-MG)
3 – Chico Alencar (Psol-AP)
4 – Marcelo Crivella (PRB-RJ)
5 – Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

Deputados Mais Bem Avaliados pelos Jornalistas

1 – Chico Alencar (Psol-RJ)
2 – Jean Wyllys (Psol-RJ)
3 – Alessandro Molon (Rede-RJ)
4 – Luiza Erundina (PSB-SP)
5 – Ivan Valente (Psol-SP)

Senadores Mais Bem Avaliados pelos Jornalistas

1 – Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
2 – Paulo Paim (PT-RS)
3 – Cristovam Buarque (PDT-DF)
4 – Romário (PSB-RJ)
5 – Ana Amélia (PP-RS)