Escutec
Ampla maioria rejeita gestões Gil Cutrim e Luis Fernando em São José de Ribamar
Política

Escutec aponta que eventual apadrinhamento dos dois políticos no pleito de 2020 servirá apenas para atrapalhar postulantes à prefeitura

O deputado federal Gil Cutrim (ainda no PDT) e o secretário estadual de Programas Estratégicos do Maranhão, Luis Fernando Silva (sem partido), carregam em seus currículos números vexatórios relacionados à São José de Ribamar, município situado na Grande Ilha e quarto maior colégio eleitoral do estado, que ambos administraram.

É o que aponta resultado de pesquisa de intenção de votos realizada pelo Instituto Escutec, no mês passado. Segundo revelou o levantamento, as gestões dos ex-prefeitos possuem rejeições estratosféricas e eventual apadrinhamento deles no pleito do ano que vem servirá, tão somente, para atrapalhar candidatos que pretendem ser alçados ao comando da cidade do santo padroeiro do Maranhão.

De acordo com os números, pelo menos 77% dos entrevistados pela Escutec, que ouviu 801 ribamarenses, disseram não votar de maneira nenhuma em um candidato a prefeito apoiado por Gil Cutrim, que geriu São José de Ribamar de 2011 a 2016.

Levando em consideração a margem de erro de 3,45% para mais, o ex-prefeito soma uma desaprovação de mais de 80%, um recorde na história política da cidade.

Ex-pré-candidato ao Palácio dos Leões pelo grupo Sarney, Luis Fernando administrou o município em três oportunidades. Por conveniência política, renunciou ao mandato duas vezes –2010 e neste ano–, traindo a confiança do povo que o elegeu.

Seu terceiro mandato, para o qual foi eleito em 2016, foi um verdadeiro desastre administrativo, situação que o levou a deixar a prefeitura para abrigar-se na gestão Flávio Dino (PCdoB), a quem ele criticou por diversas vezes em passado bem recente.

De acordo com a Escutec, instituto que o próprio Luis Fernando sempre contratou e apontou como de grande credibilidade, 57% dos ribamarenses não votam, de modo algum, em um candidato apoiado por ele.

Esta desaprovação, também levando em consideração a margem de erro para mais, ultrapassa a casa dos 60% de rejeição. Um percentual considerável e que enterra a imagem de bom gestor daquele que um dia foi considerado por alguns analistas políticos como o melhor prefeito do Maranhão.

Desaprovados por metade da população, Dino e Edivaldo se reúnem após Escutec
Política

Pesquisa apontou que 47,8% dos ludovicenses desaprovam a gestão do comunista e 54,1% a do pedetista

Dois dias depois da pesquisa Escutec/O Estado apontar que um a cada dois ludovicenses desaprova suas gestões, o governador Flávio Dino (PCdoB) e o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) se reuniram para discutir investimentos na capital.

No encontro, divulgado pelo Palácio dos Leões, foi conversado sobre obras e ações na área de infraestrutura que estão sendo realizadas na cidade pelo governo do comunista e pela administração pedetista no ano pré-eleitoral, como o Hospital da Ilha, prolongamento da Avenida Litorânea e o derrame de asfalto pelo programa São Luís em Obras.

Sobre a interminável obra de reforma e ampliação do Hospital da Criança, promessa conjunta da dupla divulgada desde 2015, também ano pré-eleitoral, não foi divulgado se houve alguma discussão.

Segundo a sondagem da Escutec, quando questionados sobre a gestão de Flávio Dino, 49% dos entrevistados declararam que aprovam e 47,8% que desaprovam. Não soube ou não respondeu registrou 3,2%.

Já em relação a administração de Edivaldo Júnior na prefeitura, a situação apontada pela pesquisa é ainda pior. De acordo com o levantamento, 54,1% dos entrevistados disseram desaprovar a gestão do pedetista, que já está em seu segundo mandato, e 43,4% disse aprovar. Apenas 2,5% não respondeu ou não sabe.

A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 17 de outubro e ouviu 1.002 eleitores ludovicenses. A margem de erro é de 3,1 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Pré-candidatos a prefeito de São Luís comentam pesquisa Escutec
Política

Eduardo Braide, Duarte Júnior, Neto Evangelista e Wellington do Curso avaliam positivamente o levantamento; Allan Garcês contesta resultado e Jeisael Marx mostra desprendimento

O resultado da pesquisa Escutec/O Estado, divulgada nesse sábado 19, divide as opiniões dos pré-candidatos a prefeito de São Luís nas eleições de 2020 ouvidos pelo ATUAL7. Enquanto alguns avaliam positivamente o levantamento, outros contestaram ou se mostraram indiferente.

Líder com 42,6% das intenções de voto, Eduardo Braide (PMN) disse, por meio de sua assessoria, que o resultado da sondagem mostra que ele está no caminho certo. “Sempre serei grato ao povo de São Luís. Todo esse apoio e carinho demonstrados nas ruas e refletidos nas pesquisas divulgadas nos mostra que estamos no caminho certo e que a nossa cidade será muito melhor!”, comentou.

Segundo colocado no levantamento com 10%, Duarte Júnior (PCdoB) creditou o resultado da Escutec/O Estado ao “reconhecimento” do seu trabalho à frente do Procon e do Viva. “Me sinto honrado pela confiança depositada em meu nome. Nossa cidade precisa de resultados efetivos. Afinal, não adianta tratar os velhos problemas com velhas soluções. Por esta razão, acredito que este reconhecimento se dá pela gestão inovadora, eficiente e de resultados que desempenhamos no PROCON e no VIVA. Estou preparado para o desafio e tenho fé que não vou decepcionar!”, disse.

Neto Evangelista (DEM) atribuiu o desempenho na pesquisa à forma como vem atuando na Assembleia Legislativa e ao trabalho que desenvolveu no Governo do Maranhão. Ex-secretário estadual de Desenvolvimento Social, ele registrou 8,8% no levantamento. “Eu encaro a pesquisa primeiro com muito entusiasmo, vendo nosso crescimento, pois sei que ela reflete um reconhecimento das pessoas para com o nosso trabalho, tanto como parlamentar, quanto como gestor, porque até hoje as pessoas me param lembrando também da minha passagem como secretário. Continuarei meu caminho como pré-candidato ouvindo às pessoas, de todas as idades e me preparando muito para o que vem pela frente. Só tenho um sentimento, o de gratidão por ver que cada vez mais aprovam o nosso trabalho”, comemorou.

Para Wellington do Curso (PSDB), que pela margem de erro aparece embolado com Duarte Júnior e Neto Evangelista, o resultado da Escutec/O Estado representa “o reconhecimento da população” ao “trabalho sério e independente” que ele vem fazendo “em defesa de São Luís”. O tucano pontou 8,2% das intenções de voto.

“É com alegria que recebemos o resultado dessa pesquisa que reflete, na realidade, o reconhecimento da população pelo nosso trabalho sério e independente em defesa de São Luís: O sentimento do povo é maior que qualquer apoio político! Prova disso é que mesmo diante de todos os ataques e perseguições que sofremos do governo e prefeitura, o nosso nome surge entre os pré-candidatos a prefeitos de São Luís na pesquisa da Escutec! Seguiremos na luta, de forma séria, com coragem e sempre à disposição dos ludovicenses. Continuaremos cobrando, denunciando e fiscalizando para que o dinheiro público seja realmente para melhorar a qualidade de vida das pessoas. E o mais importante apresentamos soluções para os problemas existentes em nossa cidade! O nosso apoio vem das ruas e é com a força da nossa gente que seguiremos firmes”, disse.

Já Allan Garcês (PSL) contestou a pesquisa, que o aponta com apenas 1,0% das intenções de voto. Ele defendeu a tese de que a população, para ser respeitada por seus governantes, precisa eleger um governo de direita. “Acho no mínimo estranho o percentual de alguns candidatos. O povo de São Luís precisa ser respeitado, mas para isso precisa se dá o direito de ter um governo de Direita. Estamos a disposição para colocar nossa cidade na rota do desenvolvimento e do progresso”, declarou.

Estreante em pré-candidatura eleitoral própria, o comunicador Jeisael Marx (sem partido) mostrou-se desprendido dos números da Escutec/O Estado, onde apareceu com 1,1%. Para ele, embora seja positivo haver pontuado na pesquisa, “quem tem ‘obrigação’ de aparecer bem” são os candidatos que há anos estão na política. “Acho ótimo estar pontuando nas pesquisas, mas isso não influencia minha caminhada agora. Quem tem ‘obrigação’ de aparecer bem são eles que têm carreira política. Vou continuar levando minha mensagem independente de números de pesquisa, sejam quais forem”, destacou.

Ontem, Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e o juiz federal Carlos Madeira também comentaram ao ATUAL7 o resultado da pesquisa Escutec/O Estado. Enquanto Rubens Júnior alegou que “ainda sequer” lançou pré-candidatura a prefeito, Madeira comemorou o fato de ter aparecido e pontuado. Ambos registram 1,0% das intenções de voto.

Demais pré-candidatos não retornaram a tentativa de contato ou não foram localizados.

Madeira comemora após aparecer na Escutec: ‘Reforça convicção de oferecer meu nome’
Política

Juiz federal teve o nome lembrado por eleitores em pesquisa de intenções de voto para prefeito de São Luís, divulgada neste sábado 19

O juiz federal José Carlos Madeira comemorou o aparecimento de seu nome na pesquisa Escutec/O Estado, divulgada neste sábado 19.

Na sondagem estimulada, ele aparece com 1,0% de intenções de voto, mesma pontuação do secretário estadual de Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Pereira Júnior (PCdoB) —que buscou minimizar a colocação, por não conseguir deslanchar apesar de estar há anos na política, ter recebido uma injeção multimilionária pelo Flávio Dino (PCdoB) na pasta e de conversas com lideranças de outros partidos.

“Irei me aposentar até o final do ano. Em razão de meu nome ser lembrado e até já aparecer em pesquisa de opinião pública reforça a minha convicção de oferecer meu nome como pré-candidato. Alguns partidos estão me procurando e, após minha aposentadoria, conversarei com todos que tem me procurado”, disse ao ATUAL7.

É a primeira vez que Madeira fala como postulante ao Palácio de La Ravardière, nas eleições de 2020. Até antes da divulgação da Escutec/O Estado, em todas as declarações destacava que, após a aposentaria da magistratura, iria se dedicar à advocacia.

Entre os partidos que tentam ter o juiz federal como candidato a prefeito de São Luís, segundo apurou o ATUAL7, estão o PSD, MDB e PP.

Na Justiça Federal, onde ficará até dezembro de 2019, Madeira responde como titular da 5ª Vara Cível da Seção do Maranhão do TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região.

“Ainda sequer me declarei pré-candidato”, diz Rubens Júnior sobre 1% na Escutec
Política

Pesquisa divulgada neste sábado 19 mostrou secretário de Cidades como pior colocado entre os pré-candidatos governistas

O secretário estadual de Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Pereira Júnior (PCdoB), buscou diminuir o resultado da pesquisa Escutec/O Estado, divulgada neste sábado 19. A sondagem o apontou como o pior colocado entre os pré-candidatos da base governista na disputa pela prefeitura de São Luís em 2020.

“Eu ainda sequer me declarei pré-candidato a prefeito. Tem tempo pra tudo. Foco é trabalho. Eleição é ano que vem”, disse, por meio de sua assessoria, ao ATUAL7.

Segundo os números da Escutec/O Estado, Rubens Júnior registrou apenas 1,0% das intenções de voto na pesquisa estimulada com todos os possíveis nomes do grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) e do atual prefeito da capital, Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

O melhor colocado entre os governistas, de acordo com o levantamento, é o deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB), com 10% das intenções de voto na estimulada.

Os demais são: Neto Evangelista (DEM), com 8,8%; Bira do Pindaré (PSB), com 4,0%; Osmar Filho (PDT), com 3,1%; Yglésio Moyses (PDT), com 1,8%; e Jeisael Marx (ainda sem partido, mas com garantias de disputa pela Rede Sustentabilidade), com 1,1%.

Braide lidera intenções de voto, seguido por Duarte, aponta Escutec
Política

Pré-candidato de Flávio Dino e do PCdoB, Rubens Júnior é o pior colocado entre os governistas

O deputado federal Eduardo Braide, que deve sair do PMN para entrar no Podemos, lidera as intenções de voto para prefeito de São Luís na pesquisa Escutec/O Estado, divulgada neste sábado 19.

De acordo com os números, Braide tem a preferência de 42,6% ouvidos pela pesquisa estimulada. Ele é seguido, ainda que de longe, pelo deputado estadual Duarte Júnior, com 10%, que ainda está no PCdoB, mas disputará o pleito de 2020 pelo PRB, do vice-governador Carlos Brandão.

Na sequência aparecem Neto Evangelista (DEM), com 8,8%; Wellington do Curso (PSDB), com 8,2%; Tadeu Palácio (PSL), com 4,8%; Adriano Sarney (PV), com 4,5%; Bira do Pindaré (PSB), com 4,0%; Osmar Filho (PDT), com 3,1%; e outros candidatos que pontuaram apenas na casa do 1%.

Entre os nomes de baixa intenção de voto está o do deputado federal licenciado e secretário de Cidades e Desenvolvimento Urbano de Flávio Dino, Rubens Pereira Júnior. Nome do governador e do PCdoB para a corrida, ele registrou míseros 1,0%. É o pior colocado entre os governistas no levantamento da Escutec/O Estado.

Ainda segundo a sondagem, declararam que não votariam em nenhum desses candidatos 1,4% dos entrevistados e 4,0% não sabem ou não responderam.

A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 17 de outubro e ouviu 1.002 eleitores ludovicenses. A margem de erro é de 3,1 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Escutec: Dino lidera com 42%, mas números apontam tendência de 2º turno
Política

É o primeiro levantamento do instituto para o comando do Palácio dos Leões após o registro das candidaturas

O Instituto Escutec, em sua primeira pesquisa realizada para o comando do Palácio dos Leões após o registro das candidaturas, captou uma tendência de 2º turno entre os candidatos Flávio Dino (PCdoB), da coligação Todos pelo Maranhão, e Roseana Sarney (MDB), da coligação O Maranhão quer Mais.

De acordo com o levantamento, no cenário estimulado, Dino aparece na liderança com 42% das intenções de votos. Roseana aparece em seguida, com 36% da preferência do eleitorado e apenas 6 pontos percentuais de desvantagem, sem levar em consideração a margem de erro, de 2 pontos para mais ou para menos.

O senador Roberto Rocha (PSDB), candidato da coligação Coragem e União para fazer o Maranhão melhor tem 6% das intenções de votos; e Maura Jorge (PSL), da coligação Renovação de Verdade, é a quarta colocada na pesquisa com 5% das intenções de votos.

Ramon Zapata, do PSTU, aparece no levantamento com 1% da preferência do eleitorado; e Odívio Neto (PSOL), da coligação Vamos sem medo de mudar o Maranhão, não pontuou.

Outros 6% dos entrevistados afirmaram não votar em nenhum dos candidatos apresentados e 4% não souberam ou não responderam aos questionários.

A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-07603/2018. Foram ouvidas 2 mil eleitores, entre os dias 25 e 28 de agosto, com intervalo de confiança de 95%. O contratante é o jornal O Estado.

Roseana deixa de ser favorita e perde para Flávio Dino, aponta Escutec
Política

Queda da ex-governadora ocorre em meio a saída dela do Caso Sefaz; e em meio à Operação Pegadores, que pilhou o atual governo em corrupção

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) perdeu o favoritismo absoluto que vinha mantendo em pesquisa anterior e agora é derrotada pelo atual mandatário do Palácio dos Leões, Flávio Dino (PCdoB).

É o que aponta o mais recente levantamento do Instituto Escutec, após ouvir 2 mil eleitores entre os dias 9 e 13, agora em dezembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com os números divulgados nessa sexta-feira 22, na estimulada, Dino aparece com 36% das intenções de voto, seguido por Roseana com 32,4%. Na pesquisa anterior, de setembro último, ela tinha 36,9% de intenções de votos, contra 33% do comunista.

Na espontânea – aquela na qual não são apresentados os nomes dos candidatos —, Flávio Dino também segue na preferência do eleitorado maranhense. Ele obteve 16,2% da intenção de votos, contra 13,4% de Roseana Sarney. Em setembro, a Escutec apontou ela com 14,9%, contra 13,3% do governador.

Curiosa, a queda da ex-governadora do Maranhão e a ascensão do atual governador ocorre em meio a nova fase da Sermão aos Peixes, a Operação Pegadores, que pilhou apenas a turma dinista em desvios de mais de R$ 18 milhões apenas entre os meses de fevereiro e setembro de 2015; e à saída definitiva de Roseana do célebre Caso Sefaz, também relacionado à corrupção.

Numa leitura fria, é como se a população tivesse Roseana Sarney como corrupta, independente dela estar ou não livre nas barras da Justiça, e por isso não merecedora de votos; e acreditasse que, mesmo sendo alvo de diversas operações de órgãos federais sérios contra o seu governo por desvios de dinheiro público, Flávio Dino fosse incorruptível e por isso merecedor de votos.

Roseana é favorita e vence em todos cenários em 2018, diz Escutec
Política

Pesquisa mostra que, apesar do ataque midiático e da série de processos, peemedebista é a preferida da população maranhense

A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) continua tendo, apesar de todo o ataque midiático e da série de processos em que é alvo do Ministério Público por suposta corrupção, a preferência dos maranhenses.

Pesquisa Rádio Difusora AM/Escutec, divulgada neste sábado 16, aponta que, se as eleições para o governo estadual fossem hoje, Roseana vence em todos os cenários levantados. A pesquisa ouviu 2020 eleitores entre os dias 5 e 9 de setembro de 2017 em 60 municípios maranhenses.

De acordo com os dados divulgados, no primeiro cenário, Roseana Sarney tem 36,9%, contra 33% de Flávio Dino (PCdoB). Roberto Rocha (PSB) tem 9,1% e Maura Jorge (Pode) 5%. Nenhum deles chegou a 4,4% e não sabem ou não responderam marcou 11,7%.

No segundo cenário, em que é retirado o nome da peemedebista, Dino venceria é quem venceria, com 36%, contra 20,1% de Rocha. Maura Jorge aparece com 8,1%. Nenhum deles 18% e não sabem ou não responderam 17%.

Segundo turno

Numa simulação de segundo turno entre Roseana Sarney e Flávio Dino, a ex-governadora do Maranhão venceria com 39,4% contra 36% do comunista. Nenhum deles representa 11% e não sabem ou não responderam somam 13,6%.

Espontânea

Roseana também leva a melhor sobre Dino e os demais possíveis adversários no voto espontâneo, quando os entrevistados não recebem as cartelas com os nomes dos candidatos.

Nesse cenário, ela vence todos, com 14,9% das intenções de votos. Flávio Dino aparece com 13,3%.

Outros lembrados pela população são: Roberto Rocha, com 3,2%; o senador João Alberto (PMDB) com 2,3%; o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) com 1,9%; Maura Jorge com 0,8%; e o prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando Silva (PSDB), com 0,4%.

Ninguém marcou 3,4%. Não sabem ou não responderam 59,8%.

Eliziane Gama sequer é lembrada em pesquisa para o Senado
Política

Levantamento foi feito pelo Instituto Escutec em 80 municípios maranhenses

Para seguir no projeto de ser senadora pelo Maranhão, a deputada federal Eliziane Gama (PPS) precisa, como diz no ditado popular, comer muito feijão.

Humilhada nas urnas nas eleições de 2016 após ser apontada como eleita e terminar no amargo quarto lugar, Gama sequer foi lembrada pelo eleitor maranhense no levantamento feito pelo Instituto Escutec, em junho último, em 80 municípios.

De acordo com a consulta, pela espontânea, os nomes lembrados pelo eleitor foram Sarney Filho (PV), Lobão Filho (PMDB), Zé Reinaldo (PSB), Weverton Rocha (PDT), Gastão Vieira (PROS), Waldir Maranhão (PP), João Alberto (PMDB), Clóvis Fecury (DEM) e até mesmo o vereador de São Luís, Dr. Gutemberg (PSDB).

Na pesquisa estimulada, ela também foi totalmente ignorada.

Os nomes apontados pela Escutec foram apenas de Sarney Filho, Zé Reinaldo, Gastão Vieira, Lobão Filho, Waldir Maranhão, Weverton Rocha e Clóvis Fecury.

Segundo o Escutec, 2034 pessoas foram ouvidas.

Para 64,6% da população do MA, Flávio Dino está envolvido na Lava Jato
Política

Levantamento foi feito pelo Instituto Escutec em 80 municípios

Pelo menos 64,6% da população do Maranhão acredita que o governador Flávio Dino (PCdoB) está mesmo envolvido na Lava Jato, maior esquema de desvio de dinheiro público e de corrupção já desbaratado pela Polícia Federal no país.

O levantamento é do Instituto Escutec, após consulta em 80 municípios, em junho último.

Conforme mostrado mais cedo pelo ATUAL7, 53,5% da população tomou conhecimento de que o comunista foi citado por delatores da Odebrecht como beneficiário de dinheiro por fora e por dentro, nas eleições de 2010 e 2014.

Ao todo, segundo petição da procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao ministro Edison Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), R$ 400 mil teriam sido repassados pela empresa para as campanhas de Flávio Dino, a pedido do próprio comunista, sendo que metade desse dinheiro não teria sido declarado à Justiça Eleitoral.

Para esse universo que respondeu ter tomado conhecimento da citação do governador maranhense no esquema, a Escutec quis saber quem acredita que ele esteja envolvido.

Apenas 24,7% respondeu acreditar que não há envolvimento dele na Lava Jato, 10,7% não sabem ou não responderam ao questionamento.

53,5% da população soube de citação de Dino na Lava Jato, aponta pesquisa
Política

Levantamento é do Escutec. Instituto entrevistou 2034 pessoas em 80 municípios

Pelo menos 53,5% da população maranhense tomou conhecimento da citação do governador Flávio Dino (PCdoB) na Lava Jato, maior esquema de corrupção já desbaratado pela Polícia Federal no país.

É o que aponta levantamento feito pelo Instituto Escutec, no mês passado. 2034 pessoas foram entrevistadas, em 80 municípios.

Segundo a pesquisa, 44,7% responderam que não tomaram conhecimento da citação de Dino no esquema de corrupção e 1,8% não souberam ou não responderam.

Conforme mostrou o ATUAL7, documentos entregues por delatores à Procuradoria-Geral da República (PGR), comandada por Rodrigo Janot, apontam que o comunista era o “Cuba” na planilha da propina da Odebrecht.

Um dos delatores, inclusive, afirma que Flávio Dino foi beneficiado com R$ 400 mil pela empresa, nas eleições de 2010 e de 2014. Metade desse valor teria sido repassado por fora, e pode ser caracterizado como caixa dois ou propina, caso o Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorize à PGR que investigue o governador do Maranhão.

Gilberto Aroso lidera preferência do eleitorado e é o menos rejeitado em Paço, diz Escutec
Política

Ele estaria eleito se a votação fosse hoje. Domingos Dutra está entre os mais rejeitados

O candidato a prefeito pela coligação “A Vontade de Todos”, Gilberto Aroso (PRB), é o líder na disputa pela prefeitura de Paço do Lumiar, de acordo com pesquisa Escutec divulgada nesta quinta-feira 22. Ele tem 30,7% da preferência do eleitorado e estaria eleito se a votação fosse hoje.

Em seguida, vêm o ex-deputado Domingos Dutra (PCdoB), com 23,8% das intenções de votos; Josemar Sobreiro (PSDB), que busca a reeleição, mas pontuou apenas 10,7%; Inaldo Pereira (PPL), com 8,7%; Raimundo Filho (PT), com 3,3%; e Moraes Maninho (PCB), com apenas 1,5%.

Aqueles que votariam em branco ou nulo atingiram 12,2%, enquanto 9,2% não souberam ou não responderam.

Rejeição

No quesito rejeição, Professor Josemar é quem aparece na frente: 48,5% dos entrevistados disseram não votar nele de jeito nenhum. Candidato do governador Flávio Dino (PCdoB), Domingos Dutra, é o segundo mais rejeitado, com 13,3%; e Gilberto Aroso, que lidera em intenções de voto, tem apenas 9,8% de rejeição.

Ficha Técnica

A pesquisa Escutec foi contratada pelo jornal O Estado e realizada nos dias 17 e 18 deste mês. O registro é MA­08845/2016. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais, para mais, ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%.

Escutec também confirma Wellington no segundo turno da eleição em São Luís
Política

Instituto confirmou resultado de levantamentos feitos recentemente pelo Ibope e Prever

Pesquisa realizada pelo Instituto Escutec traz poucas alterações de levantamentos de outros institutos e confirma segundo turno na disputa pela preferência do eleitorado para a prefeitura de São Luís. Segundo a Escutec, no cenário estimulado, o prefeito e candidato da máquina, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), ainda permanece na dianteira, com 30,6%, seguido pelo candidato Wellington (PP), que marcou 19,5% das intenções de votos.

Com este resultado, se as eleições fossem hoje, a disputa na capital maranhense iria para o segundo turno, entre Edivaldo e Wellington.

Ainda segundo a pesquisa, a candidata Eliziane Gama (PPS), que já esteve em primeira colocada e depois caiu para a segunda posição após a entrada do ex-prefeito João Castelo em sua campanha, permanece em queda livre, mas ainda conseguiu se segurar na terceira colocação, com 18,5%. Além de Edivaldo, Gama também faz parte do consórcio dinista controlado pelo Palácio dos Leões.

Na briga pela quarta posição estão o candidato Eduardo Braide (PMN), com 6,5%, Fábio Câmara (PMDB), com 4,1% e Rose Sales (PMB), com 4%.

O candidato Zeluis Lago (PPL) alcançou 1% das intenções de voto e os candidatos da chamada ultra esquerda, Cláudia Durans (PSTU) e Valdeny Barros (PSOL) não pontuaram. Ainda segundo a pesquisa Escutec, a opção nenhum deles aparece com 9,8% e não sabe ou não responderam somaram 6%

O levantamento foi encomendado pelo jornal O Estado. Foram entrevistadas 800 eleitores, nos dias 31 de agosto e 1º e 2 deste mês. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O registro da pesquisa na Justiça Eleitoral é n.º MA 01182/2016.

Espontâneo

Pelo cenário espontâneo, que é quando o eleitor não tem apresentação de nomes nos candidatos, se as eleições fossem hoje, a disputa também iria para o segundo turno, entre o candidatos Edivaldo Holanda Júnior e Wellington.

Segundo os números, o candidato da máquina aparece com 21% e Wellington com 12%.

A candidata Eliziane Gama permanece na terceira colocação, com 8%, Eduardo Braide aparece com 3,1% e Rose Sales e Fábio Câmara com 2% cada.

Disseram que não votaria em ninguém 12% dos entrevistados e não respondeu ou não sabe somaram 39,9%.

Ibope e Prever

Antes da Escutec, dois outros institutos de pesquisas, o Ibope e o Prever, já haviam apontado para uma disputa de segundo turno entre Edivaldo e Wellington.

Segundo o levantamento do Ibope, contratado pela TV Mirante e divulgado na noite desta terça-feira 30, o pedetista aparece com 29% das intenções de votos, seguindo pelo progressista, que obteve 20% da preferência do eleitorado ludovicense. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-08827/2016.

Já segundo pesquisa do Instituto Prever, contratada pelo Blog do Luis Cardoso e registrada sob o protocolo MA-02350/2016, a diferença entre Edivaldo e Wellington é mínima. O primeiro aparece com 37,2% e o candidato progressista pontuou com 34% das intenções de voto.

Considerando a margem de erro de 3,1% para mais, em favor do progressista, Wellington e Edivaldo Holanda Júnior estão tecnicamente empatados.

Rendição à Curado melhora aprovação de Flávio Dino em Imperatriz
Política

60,6% dos entrevistados passaram a aprovar o governo comunista após a reaproximação do governador com a pré-candidata a prefeita

A rendição do governador Flávio Dino (PCdoB) — e de seu braço direito e esquerdo, Márcio Jerry Barroso — à pré-candidata a Prefeitura de Imperatriz, Rosângela Curado (PDT), pode ter sido o grande motivador da melhora de aprovação de seu governo junto à população na cidade, segundo maior colégio eleitoral do Maranhão.

Até maio último, quando ainda resistia ao avanço de Curado sobre a população da Princesa do Sertão, Dino era reprovado por metade do eleitorado de Imperatriz. Nem mesmo a conclusão ou continuação de dezenas obras iniciadas pelo ex-secretário de Infraestrutura Luis Fernando Silva (PSDB) na cidade contribuíam para a melhora do comunista na cidade. Contudo, bastou Flávio Dino se reaproximar de Curado, e consequentemente parar de atacá-la, para que sua aprovação melhorasse.

Em recente levantamento, o Instituto Escutec voltou a incluir no questionário uma pergunta sobre a avaliação do governo comunista.

O resultado é que 60,6% dos entrevistados disseram aprovar a gestão do governador. Em maio eles eram exatamente 50%.

A rendição à Curado trouxe melhoras ao governador Flávio Dino também no quesito desaprovação. Segundo a Escutec, o número dos que desaprovam seu governo caiu de 46,3% para 31,5%.

Talita Laci e Eudes Barros têm maior rejeição em Raposa, aponta Escutec
Política

Segundo pesquisa, comunista e presidente da Câmara de Vereadores estão tecnicamente empatados em rejeição

Pesquisa realizada pelo Instituto Escutec/Blog do Domingos Costa, entre os dias 25 e 26 de junho, mostra que a pré-candidata a prefeita de Raposa, Talita Laci (PCdoB), apesar do auxilio paralelo de membros do Palácio dos Leões para alavancar seu nome na disputa, tem praticamente o mesmo índice de rejeição do presidente da Câmara de Vereadores da cidade, Eudes Barros (PR).

De acordo com o levantamento, enquanto Eudes aparece com 29% da rejeição do eleitorado de Raposa, a jovem Laci vem logo atrás, com 23,7% de rejeição, isto é, de eleitores que responderam que não votariam na comunista de jeito nenhum na disputa de outubro próximo.

Como a margem de erro é de 5 pontos percentuais para cima ou para baixo, ambos estão tecnicamente empatados em rejeição. Isso implica dizer que, pela margem de erro, Talita pode, inclusive, estar na frente de Barros em rejeição; ou, ainda que a margem de erro dela seja para baixo e a margem de erro do vereador para cima, a pré-candidata seria de qualquer forma a segunda mais rejeitada pela população.

A pesquisa Instituto Escutec/Blog do Domingos Costa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 01837/2016, e entrevistou 300 eleitores nas localidades Vila Talita, Pirâmides, Araçagi, Boa Esperança, Cumbique, Alto do Farol, Alto da Base, Itapeuá, Vila Nova, Jardim das Oliveiras, Vila Laci, Vila Bom Viver, Jussara, Maresia I e II, Inhaúma, Carcarape, Centro e Garrancho.

O nível de confiança é de 95%, ou seja, de cada 100 pesquisas realizadas com a mesma metodologia, 95 chegariam a resultados dentro da margem de erro.

Escutec mostra que Wellington é quem mais cresce na preferência do eleitorado
Política

Pré-candidato a prefeito de São Luís pelo PP avançou de 6,6% para 17,5%

Nova rodada de pesquisas do Instituto Escutec/O Estado, divulgada neste sábado 2, mostra que o deputado estadual e pré-candidato à prefeito de São Luís, Wellington do Curso (PP), é quem mais cresce na preferência do eleitorado ludovicense.

A avanço é apontado no comparativo com o levantamento anterior do Escutec/O Estado, divulgado em abril último.

Apesar de ter lançado oficialmente sua pré-candidatura há pouco mais de duas semanas, e de ainda não ter firmado aliança com outras legendas, Wellington avançou de 6,6% na intenção de votos para 17,5%. O avanço confirma a consolidação do pré-candidato do PP como terceira via, já que seus principais adversários, embora em lados distintos na disputa, fazem parte do mesmo grupo político, e possuem os mesmos padrinhos, o governador Flávio Dino (PCdoB) e o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Humberto Coutinho (PDT).

Os novos números da Escutec mostram ainda que a deputada federal e pré-candidata Eliziane Gama (PPS) caiu.

Em Abril, Gama chegou a pontuar 26% na preferência do eleitoral. Na nova rodada de pesquisas do instituto, porém, ela marcou apenas 22,4%. Como até então, em comparação com levantamentos de outros institutos, Gama seguia estagnada, a queda pode estar ligada à aliança firmada por ela com o deputado federal e ex-prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB), a quem Gama até recentemente chamava por 'Caostelo'.

Já o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), que concorre à reeleição apesar do alto índice de rejeição à sua gestão, conseguiu uma proeza não esperada por seus adversários e até por alguns de seus aliados.

No novo levantamento Escutec/Estado, Edivaldo pontuou 20,8%. No levantamento de abril, o pedetista apareceu com apenas 16,3%. O pequeno avanço de Edivaldo pode estar ligado à serie de usurpação de obras alheias.

Da pesquisa de abril pra cá, por exemplo, o pedetista vinha entregando casas do governo federal, e inaugurando obras do governo estadual, como a Ponte Pai Inácio e a Praça da Lagoa na Jansen, como se fossem de sua autoria.

A nova rodada de pesquisa Escutec foi realizada entre os dias 28 de junho a 1º de julho. Foram ouvidos 1 mil eleitores. O levantamento tem margem de erro de 3 pontos para mais, ou para menos, e um intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número 07983/2016.